FranFest! Carnavalesco comemora 20 anos na comissão da Beija-Flor

Por Fábio Klotz e Rafael Arantes

Não tem jeito, tá no DNA da Beija-Flor. Da voz inconfundível de Neguinho, passando pela rainha Raissa, aos encantos do casal Selminha Sorriso e Claudinho, o time que entra em campo na Sapucaí com a azul e branco é quase sempre o mesmo. A segurança dos artistas contratados dá a longevidade necessária para marcas emblemáticas serem atingidas.

No Carnaval deste ano, Fran Sérgio, um dos carnavalescos, vai festejar 20 anos na comissão responsável por desenvolver os desfiles da escola que é ‘de fato nilopolitana’.

Para comemorar a marca histórica, o artista vai relembrar uma das coisas que sempre gostou de fazer: desfilar no abre-alas. Fran não participava da primeira alegoria a entrar na Avenida desde 2005. O retorno vai ficar marcado por uma encenação no carro.

– Não imaginava chegar onde cheguei. O começo foi muito difícil, tinha muito medo, mas tinha sempre o sonho. Quis fazer um trabalho que fosse bom para a escola. Trabalhar onde você gosta não tem preço. É fantástico juntar isso tudo. Já havia desfilado no primeiro carro por 10 anos e sempre gostei muito, parei na hora que tinha que parar. Agora volto para fazer uma encenação na alegoria que é o ‘Panteon Indianista’, ou seja, a criação do mundo segundo os deuses indígenas – contou Fran.

Há 20 anos como carnavalesco da Beija-Flor, Fran Sergio vai voltar a desfilar no abre-alas | Foto: Rafael Arantes

Além dos 20 anos integrando a comissão de carnaval, Fran também atuou na escola como desenhista de Milton Cunha, nos anos 1990, e já desfilou até na ala das crianças. Nas duas décadas participando ativamente do desfile, o artista sempre buscou valorizar algo que passou a admirar desde pequeno: a identidade da azul e branco.

– Antigamente, a escola era toda formada por alas comerciais e não ganhava fazia 19 anos. A ideia da comissão foi do Laíla. De valorizar quem já estava trabalhando, valorizar quem já fazia parte. Foi complicado no início, a própria escola não aceitava. Quem era a gente? Hoje é uma coisa mais amadurecida – disse.

“Não tenho essa coisa de ter que ganhar todo ano”, diz Fran

O que não falta para Fran Sérgio nessas décadas de comissão de carnaval são títulos. Depois de estrear com pé direito, ajudando a dar o campeonato do Grupo Especial de 1998 para a Beija-Flor, muitos desfiles acabaram marcando a trajetória dele. Entre eles, dois que não levaram o troféu para Nilópolis. Para ele, independentemente de colocação, o mais importante é a consciência tranquila de ter realizado um trabalho de qualidade.

– Vários desfiles me marcaram, até alguns que não foram títulos. Agotime (2001, a Beija-Flor foi vice-campeã), por exemplo, que eu achava que não tínhamos como perder, mas perdemos. Araxá (1999, a Beija-Flor foi vice-campeã) foi outro que nunca saiu da minha mente. Fico feliz de ver a Beija-Flor satisfeita. Não tenho essa coisa de ter que ganhar todo ano. A gente luta sempre pra conseguir o melhor, mas aquela coisa de que se não ganhar vou querer morrer… Não, isso não. Eu não sou fanático. Olho o que é bom, o que é merecido. É ruim quando é feito de uma forma que você vê que algo externo interferiu, aí eu não gosto. Mas sei que o que é bonito, é bonito, o que merece tem que vencer. Seja nosso ou não – reconhece.

Fran se adaptou ao estilo de Carnaval da Beija-Flor durante trajetória: ‘Valorizo a identidade’ | Foto: Rafael Arantes

Carnavalesco defende enredos patrocinados: “Tem escola agonizando”

Um dos assuntos mais polêmicos quando se fala do desenvolvimento do carnaval das escolas de samba é a questão das parcerias e enredos patrocinados. Para Fran, quanto mais, melhor. Se muita gente critica o acerto de aportes financeiros externos para as agremiações, o carnavalesco vê a condição como uma das grandes aliadas para que os desfiles sejam desenvolvidos com mais tranquilidade.

– O patrocínio ajuda muito, ainda mais nesse tempo de crise. Muita gente não entende, acha que patrocínio é algo que chega e vai mandar. Não é isso. Escola de samba tem que ter parceria, isso é muito claro na minha cabeça. Tem escola agonizando, são tempos difíceis, são tempos que temos problemas na saúde, segurança, educação… E aí? Como você faz a arte? Acho que as pessoas precisam abrir os olhos para isso. Se toda escola tiver todo ano uma parceria boa, será ótimo – analisa.

Em 2017, carnavalesco desenvolverá o enredo “Iracema – a virgem dos lábios de mel” | Foto: Rafael Arantes

Ao longo das duas décadas, Fran Sérgio já teve como parceiros de comissão carnavalescos renomados, como Cid Carvalho, Alexandre Louzada, Shangai e Amarildo de Mello. O artista é o maior campeão da festa carioca, com oito títulos.

Em 2017, a Beija-Flor será a última escola a desfilar no Domingo de Carnaval. Liderada por Laíla, a comissão da azul e branco desenvolverá o enredo “Iracema – A virgem dos lábios de mel”.