Jayder Soares divide Grande Rio em antes e depois de Laíla: ‘Arrumou a casa’

Por Luiz Felippe Reis

Em 1975, a Beija-Flor fez uma contratação que mudaria pra sempre sua história no Carnaval carioca. Chegava na azul e branco um diretor de harmonia vindo do Salgueiro chamado Luiz Fernando do Carmo, apelidado de “Laíla”. Com a nova aquisição, a representante de Nilópolis deixou de ser coadjuvante e virou a “Deusa da Passarela”, acumulando títulos (13) e carnavais memoráveis.

No caminho desse casamento tão bem-sucedido, uma separação marcou a relação de amor verdadeiro entre Laíla e Beija-Flor. Durante a década de 1990, o sambista se aventurou a despejar seu talento em forma de legado em outra escola, a Grande Rio.

J
Parceiros de longa data, Jayder Soares e Laíla trabalharam juntos na Grande Rio no início da década de 1990: “Ele arrumou a casa”, disse o patrono da tricolor. “Jayder bancava todas as minhas ideias”, lembrou Laíla – Foto: Reprodução/Site oficial da Grande Rio
Homem forte da tricolor de Caxias, Jayder Soares lembrou da época em que o diretor de carnaval e geral de harmonia da Beija dava experiente na escola e não poupou elogios ao multi-campeão da festa mais popular do Brasil. Para o todo-poderoso, a Grande Rio se divide em antes e depois de Laíla.

– O Laíla tem uma participação importante na história da Grande Rio, ajudou muito a firmar a escola. Tem a Grande Rio antes do Laíla e depois do Laíla. Ele veio arrumar a casa, arrumou e foi embora – recordou, com boas memórias, o presidente de honra da Grande Rio.

Jayder-Soares_Vicente-Rodrigues_Divulgação
Patrono da Grande Rio, Jayder Soares lembrou com carinho da época de Laíla na tricolor de Caxias – Foto: Divulgação/Vicente Rodrigues
“O Jayder bancava todas as minhas ideias”, revelou Laíla.

Difícil dissociar Laíla e Beija-Flor, né? Mas nos carnavais de 1992 e 1993 o diretor era da tricolor de Caxias e tinha em Jayder um defensor. O comandante da comissão de carnaval da escola que é “de fato nilopolitana” também tem boas recordações dos tempos de Grande Rio.

– O Jayder sempre fala bem de mim. Ele é meu amigo. O Jayder bancava todas as minhas ideias. Fui pra lá no segundo grupo (Carnaval 1992). Lembro que eles ainda estavam no barracão em Caxias. Botei na cabeça da escola que tinha que sair de lá e consegui levar o barracão pro Rio em outro lugar. Se não fosse isso, não teríamos levado os carros para a Avenida. Também ajudamos a escolher o samba, que é considerado um dos melhores da história da Grande Rio. Minha proposta na Grande Rio era a mesma que eu implantei depois na Beija-Flor: formar uma comunidade forte e fazer grandes carnavais. Tenho muito carinho e respeito por todo o povo da Grande Rio – concluiu Laíla, que é o maior campeão do Sambódromo com oito títulos (1998, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011 e 2015).

Laíla_FotoJornalOBeija-Flor
A história de sucesso da Beija-Flor se deve muito a Laíla. Mas o diretor também deixou seus ensinamentos na Grande Rio – Foto: Jornal O Beija-Flor
Velhos amigos e adversários na disputa pelo título, Laíla e Jayder vão se reencontrar no Domingo de Carnaval, quando Beija-Flor e Grande Rio desfilam pelo Grupo Especial. A atual campeã será a terceira a cruzar a Passarela do Samba contando a história do Marquês de Sapucaí, enquanto a tricolor de Caxias se apresenta imediatamente na sequência, mostrando as belezas da cidade de Santos.

*Foto de capa: Reprodução/Site oficial da Grande Rio