Máquina zero? Porta-bandeira da Mangueira, Squel desfilou careca

Por Redação

Imersa no enredo sobre Maria Bethânia, a porta-bandeira da Mangueira, Squel Jorgea, entrou no clima afro do início do desfile da verde e rosa e usou uma touca para ficar carequinha durante o carnaval mangueirense.

Squel-capa-verdadeira
Foto: Michele Iassanori

A dançarina, que ano passado faturou a nota 40 dos jurados do quesito, agora quis, além de avaliação máxima, mergulhar no tema proposta pelo namorado, o carnavalesco da escola, Leandro Vieira.

Ao lado do parceiro de dança, Raphael Rodrigues, a artista chamou atenção do público pela dança e pela fisionomia afro, e encantou na cabeça da escola, que mostrou um enredo sobre a cantora Maria Bethânia.

_MG_5827
Foto: Michele Iassanori