Muita calma nessa hora! Portela pede que torcidas de sambas não briguem

Por João Paulo Saconi

Para evitar que os ânimos fiquem exaltados e para que a disputa aconteça no clima de maior harmonia possível, como sempre acontece nas finais de samba, a Portela pediu calma aos torcedores das três obras que serão apresentadas na quadra nesta madrugada de sábado, 15. Antes de começar a escolha do hino para o ano que vem, o presidente Luis Carlos Magalhães convocou um time de peso para subir ao palco da agremiação e dar o recado ao público.

Mestre Monarco, presidente de honra da azul e branco e líder da Velha Guarda Show; Tia Surica, pastora da Velha Guarda Show; Falconi Souza, filho de Marcos Falcon, ex-presidente assassinado no fim de setembro e representantes das três parcerias concorrentes saudaram a numerosa plateia e clamaram por paz.

img_8983

img_8984

img_8986

img_8991

img_8993

img_8995

img_8998
Acompanhados dos compositores finalistas, Luis Carlos Magalhães, presidente da Portela; Mestre Monarco, presidente de honra e líder da Velha Guarda Show; Tia Surica, pastora da Velha Guarda Show e Falconi Souza, filho do ex-presidente Marcos Falcon, pediram paz aos torcedores | Fotos: Irapuã Jeferson

Minuto de silêncio

Em homenagem a Falcon, o locutor da quadra pediu aos presentes que fizessem um minuto de silêncio antes dos trabalhos da noite terem início. O sucessor, Luis Carlos Magalhães, pediu aos portelenses que continuem dando prosseguimento ao legado de Falcon e disse, no palco, que muitas pessoas o abordaram para dizer que sentiam a presença do ex-dirigente.

Leia também!

Ao lado de Monarco, filho de Falcon posa na sala do pai: ‘Precisamos ser fortes’