Oh, yeah! Estados Unidos inspiram enredo musical da Tijuca

Por Redação

Depois de muito disse-me-disse, a Unidos da Tijuca confirmou que o enredo para o carnaval 2017 irá beber da fonte americana. Ou melhor, das músicas da terra do Tio Sam. A comissão de carnavalescos da escola, Annik Salmon, Marcus Paulo Oliveira, Mauro Quintaes e Helcio Paim, irá desenvolver o enredo “Música na alma, inspiração de uma nação” que vai mostrar a influência do negro na formação musical dos Estados Unidos.

Do pop ao rock, passando pelo blues, jazz e o country, o que não vai faltar no desfile da azul e amarelo será ritmo. E um dos pontos de partida será a música que os escravos cantavam durante o trabalho nas fazendas para aliviar o sofrimento, assim como a Guerra Civil Americana (1861 a 1865), tratada no tema como o marco inicial da verdadeira música americana. Tudo isso com a luxuosa condução do instrumentista americano Louis Armstrong e do compositor brasileiro Pixinguinha

comissaum da tijuca 1
Há algumas semanas, o “quarteto fantástico” viajou para os States para uma pesquisa de campo na terra da Liberdade – Foto: Reprodução/Facebook

– Os donos das fazendas incentivaram, não proibiram, que os escravos cantassem porque isso aliviava a alma deles diante do sofrimento. Com a Guerra Civil, tudo vai se transformar porque os escravos são libertos. Estamos tratando a unificação do país neste momento histórico como o marco do início da verdadeira música americana – explicou Helcio Paim.

Mestres de cerimônia do enredo na Marquês de Sapucaí, Pixinguinha e Armstrong tiveram um encontro no Brasil. Há 60 anos, os dois se confraternizaram, e em 2017 eles se reencontram através da arte da Tijuca.

– Durante a nossa pesquisa, descobrimos um encontro do Pixinguinha com o Louis Armstrong, em 1957, aqui no Brasil. É desse encontro que nosso enredo começa a se desenvolver. Ou seja, é como se o Armstrong estivesse mostrando os ritmos americanos para a gente. Fizemos questão de fazer esse encontro com a nossa cultura – disse Mauro Quintaes.

aeroporto
No final de maio, a comissão de carnaval viajou para os Estados Unidos e de lá trouxe na bagagem ainda mais informações do enredo “Música na alma, inspiração de uma nação” – Foto: Reprodução/Facebook

Os fãs de outros cantores americanos de sucesso, como Beyoncé, Michael Jackson, Elvis Presley, Taylor Swift, Britney Spears, entre outros, podem ficar despreocupados que todos irão aparecer de alguma forma pela Tijuca em 2017.

– Esses personagens mais populares vão aparecer de alguma forma. Escultura, personagem… A gente vai preparar essa surpresa para o público – despistou Marcus Paulo.

Felizes com mais um enredo cultural, os carnavalescos da Unidos da Tijuca já trabalham na confecção do carnaval do ano que vem. Todos viajaram por 12 dias por cinco cidades do país do presidente Barack Obama de onde voltaram com inúmeras ideias para alegorias e fantasias. Tudo, claro, sendo guardado a sete chaves.

13418685_10208051378736262_5025109656224674134_n
“Tudo será embalado com o nosso samba”, comemorou Annik Salmon – Foto: Reprodução/Facebook

– A base da música americana vem do povo negro. A grande novidade para mim foi saber que até o country tem como base a musicalidade do negro. E o melhor de tudo isso é que será embalado com a música mais característica do Brasil: o nosso samba – disse Annik Salmon.

estatua-da-liberdade-reveil
I believe! Unidos da Tijuca confia no campeonato com o enredo sobre a cultura musical americana, num encontro espetacular de Louis Armstrong e Pixinguinha – Foto: Reprodução/Internet/Blog Viabr

Em 2016, faltou pouco. Por um décimo, logo atrás da Mangueira, a Tijuca não faturou o penta na festa. Será que agora vai?