Sem presidente! Caprichosos monta grupo pra administrar, e oposição denuncia: ‘Ilegal’

Por Redação

Rebaixada em 2016 para os desfiles da Estrada Intendente Magalhães, no Campinho, a Caprichosos de Pilares vive, talvez, o que pode ser considerado o pior momento da história da escola, que desfilou por mais de 20 anos no Grupo Especial, entre as décadas 1980, 1990 e 2000. E, agora, pra completar, a azul e branco está sem presidente. É que Gilberto Nilo, que ocupava a função administrativa na agremiação, se afastou. Ele alega motivos de saúde.

Para tocar a escola, o dirigente deixou no lugar uma junta administrativa, formada por sete pessoas que compõem os quadros da Caprichosos – Frederico Marcondes, Lee Santana, Sidney de Pilares, Jorge 101, Adélia Rodrigues, Tia Maria e Fábio Caprichosos. O diretor de carnaval Cristiano Amendoim explica mais uma situação sui generis na representante do bairro de Pilares, da Zona Norte carioca.

429107_2779293207586_1033551125_n
Diretor de carnaval Cristiano Amendoim anuncia boas novas para a Caprichosos a partir do mês de agosto – Foto: Reprodução/Facebook

– No próximo dia 23 de agosto, vamos fazer uma festa na quadra para anunciar a equipe para o Carnaval 2017, como cantor, casal de mestre-sala e porta-bandeira e enredo, tudo. A situação da escola está muito crítica, mas nunca sabemos o dia de amanhã. De repente, as coisas melhoram e podemos buscar o campeonato. Estamos com uma comissão administrativa com sete pessoas, estamos fazendo um trabalho bem bacana, e daremos esse passo a mais no mês que vem – disse o diretor.

Líder da oposição diz que comissão administrativa é “ilegal”

Assim que ficou sabendo da criação da comissão que passa a gerir a escola, a principal opositora da atual administração, a advogada e empresária Juliana Leandro, que é casada com Carlos Fernando Leandro (neto e filho de dois ex-presidentes da Caprichosos), de pronto tratou de questionar o novo formato de gestão. Na justiça, ela e Gilberto Nilo travam uma longa batalha, onde Juliana alega ilegalidades nas últimas eleições presidenciais da azul e branco.

carlos_e_juliana_caprichosos_620
Principal força de oposição na Caprichosos, Juliana Leandro fez críticas à formação da comissão administrativa da escola. Na foto, ela aparece ao lado de Carlos Fernando Leandro, filho do ex-presidente da agremiação, Alberto Leandro, e neto de Fernando Leandro, também, ex-presidente – Foto: Reprodução

– Uma grande vergonha, porque o judiciário ainda não resolveu uma questão que está praticamente definida. Tenho cinco decisões de Câmara não apoiando o projeto deles, de prosseguir com o processo pra Brasília. Falta, no caso, só o julgamento no Méier. Essa comissão é totalmente ilegal, partindo do princípio que o senhor Gilberto Nilo não tem ata registrada no RCPJ, que é o órgão competente que faz registro de eleição. Ele não poderia nomear nenhuma comissão de carnaval. Ele deixou inúmeras dívidas, afundou ainda mais a escola, arrombou de vez. Tomou dinheiro da Antonia Fontenelle (atriz e ex-rainha de bateria), nomeou outra rainha, pegou dinheiro dessa rainha, e depois ela deu várias declarações no site Ego de que foi enganada pela escola. Onde ele botou esse dinheiro? No Carnaval é que não foi – afirmou Juliana.

Desfile deste ano foi problemático

Em 2016, a escola de samba fez um dos piores desfiles da sua história, que é recheada de grandes passagens na festa. Falta de acabamento nas alegorias e ausência de diversas alas marcaram negativamente a apresentação no Sábado de Carnaval.

Disposta a assumir a escola, Juliana Leandro alerta que a Caprichosos de Pilares têm dívidas e avarias no patrimônio e aposta numa resolução judicial para o caso.

– A escola deve água, luz, tem banheiros quebrados. No caso de enrolar a bandeira, é porque eles não têm dinheiro. Lá atrás, houve um erro da Lierj (liga que rege a Série A) de liberar verba para o carnaval, carnaval que não foi apresentado, tanto é que a escola foi rebaixada. É deprimente, acredito que a justiça vai ser feita, acredito na Liesb (liga que rege o Grupo de Acesso B), que é uma entidade séria, competente. Acredito neles muito. Eles vão dar uma real resolução pra essa situação. Eu quero assumir a escola. Tenho capacidade moral, intelectual e financeira pra isso. Estou sendo impedida disso, e a comunidade tem que saber. O que se vê hoje é meia dúzia de gato pingado na quadra. Uma quadra que já teve mais de duas mil pessoas no ano da Xuxa. Essa comissão é uma farsa. O senhor Gilberto Nilo é uma farsa, deve a Deus e a todo mundo – finaliza.

A Caprichosos de Pilares será a segunda a desfilar na Terça-feira de Carnaval pela Série B, com o enredo “Vamos quebrar tudo, só de sacanagem”, desenvolvido pelo carnavalesco Amauri Santos.