Por Luiz Felippe Reis

Não dá pra dizer que o “Encontro do Samba” amenizou a saudade dos ensaios técnicos, ausentes nessa temporada, mas valeu a pena pra quem gosta de samba e Carnaval. A orla de Copacabana foi tomada por cerca de 400 mil pessoas na noite deste sábado, 6, num evento de alto nível, que uniu, valorizou e entreteve os fãs da festa.

Presidente da Riotur, Marcelo Alves festejou o sucesso logo após o fim do acontecimento. Pra ele, o “Encontro” precisa entrar no calendário oficial da cidade.

– Emoção pura. Nós mostramos nossa competência, tanto toda nossa equipe técnica que desenvolveu esse trabalho, quanto a Liesa, as escolas de samba, todos de parabéns. O Resultado, eu posso te garantir com tranquilidade, foi emoção na veia. É um presente que a gente dá pro Rio de Janeiro, pros turistas, pros cariocas. Tem que ter todo ano. No que depender da gente, terá todo ano – disse Marcelo, que há um ano comanda a empresa de turismo da capital fluminense.

Ao final do evento, o presidente da Riotur comemorou e deu um abraço no cenógrafo Abel Gomes, criador do projeto “Encontro do Samba”, que reuniu centenas de milhares na orla de Copacabana – Foto: Irapuã Jeferson

O cenógrafo Abel Gomes, também responsável pela árvore de natal da Lagoa e dono da P&G Cenografia, foi a mente criadora de todo projeto, que impressionou pela grandiosidade e aparato, poucas vezes vista pelas escolas. Ele, claro, tava feliz da vida após a festa.

– Eu criei isso porque eu amo samba, a gente tem que cuidar do samba. E é muito bom ver o samba unido, com todas as escolas juntas. Foi emocionante, tô muito feliz – comentou.

Abel Gomes (à direita) ao lado do empresário Ricardo Amaral, um parceiro da Riotur – Foto: Irapuã Jeferson

“Ele (Crivella) se emocionou”

O relacionamento dos sambistas – dirigentes ou não – com o prefeito Marcelo Crivella não foi dos melhores em 2017, a partir, principalmente, do corte de verbas em 50% definido pela prefeitura a todas as divisões do Carnaval carioca. O líder da Riotur garante que o político, que ainda não foi à Sapucaí ver as escolas, desta vez, acompanhou o evento… e se emocionou.

– O prefeito assistiu, vibrou, se emocionou. Não há quem não se emocione com um espetáculo com essa dimensão. Ele teve um papel fundamental, desde o início, pra realizar esse evento. Nós marcamos história.

A Riotur estima que 400 mil pessoas foram à Copacabana para acompanhar o show das escolas de samba e dos artistas do gênero musical.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

58 − = 52