Por Marcelo Barros

Esta quinta-feira, 4, foi o dia D para as escolas dos grupos de acesso do Rio de Janeiro. É que os dirigentes do samba estiveram na prefeitura para uma reunião com o prefeito do Rio Marcelo Crivella, que garantiu que vai pagar a subvenção até o próximo dia 15 de janeiro para todas as entidades.

Presidente do conselho deliberativo da Liesb, Sandro Avelar chegou a discutir com o prefeito sobre o corte de 50% da verba pros grupos da Intendente Magalhães, alegando que não houve aumento pelo ex-prefeito Eduardo Paes que justificasse tal redução agora. Na saída, o dirigente falou ao Sambarazzo e adiantou que é fundamental a busca das escolas por novos métodos de captação financeira.

– Eu fui mais polêmico na reunião com o prefeito. Não concordei com o corte de 50%, porque não foi o mesmo corte do Especial. O Grupo Especial teve um aumento de 100% com o Eduardo Paes e agora voltou pra o que era. Já nós, estamos recebendo 75% do valor que recebíamos antes do aumento do Eduardo Paes. Ele (Crivella) foge dos assuntos, quando ele fala essas coisas de creches, acho esse discurso muito demagogo. Nós entendemos o poder da caneta. As escolas vão ter que buscar outros meios de captação. Ele alega que os próximos anos vão melhorar, eu não sei. A gente vive numa incerteza – declarou Avelar.

O dirigente da Liesb aguardou o prefeito Marcelo Crivella na sala de reunião e depois posou pra foto com o chefe do executivo junto de Heitor Fernandes (à esquerda), ex-presidente da Em Cima da Hora – Foto: Reprodução/Facebook

O montante prometido é de cerca de R$ 10 milhões, a maior parte – R$ 6,5 milhões – fica com a Série A, que ainda não teve o contrato assinado pela prefeitura. O restante é dos grupos B, C, D e E, das escolas mirins e da Federação de Blocos de Enredo.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 1 = 6