Autocrítica! Carnavalesco lembra alegoria que criou: ‘Meio brega e estranha’

Por Redação

Se arrependimento matasse, o que provavelmente causaria o último suspiro em Mauro Quintaes seria a alegoria da foto abaixo. O registro é antigo, do Carnaval de 2005, quando era carnavalesco da Viradouro. E agora, mais de uma década depois, o artista revela que o carro ainda é uma espécie de tormento pra ele.

— Até hoje não sei isso é legal ou não. Então vai ser legal essa matéria, aí posso medir se foi bom ou uma merda — brinca Quintaes, que é fã de autocrítica.

O carnavalesco Mauro Quintaes até hoje não formulou uma opinião sobre o carro alegórico que desenhou para a Viradouro em 2005 | Fotos: Reprodução/Facebook

O carnavalesco trabalha atualmente em São Paulo — estreia na Dragões da Real — e conta que o enredo da alegoria em questão foi “A Viradouro é só sorriso”, tema que receberia patrocínio de uma associação de dentistas.

— Tive que me submeter e tirar leite de pedra. Eu acho surrealista, meio brega e estranha. Isto são as desvantagens de enredos patrocinados. Mas o importante é estar em cena — completa, mantendo o bom-humor.

Mauro Quintaes é carnavalesco da Dragões da Real, escola do Carnaval de São Paulo | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Na tarde desta quarta-feira, 8, Mauro Quintaes, que tem 32 anos de carreira, compartilhou com amigos do Facebook a imagem do carro alegórico, batizado por ele de “Máquina Humana”, e disse não saber exatamente o que pensar sobre a criação. No post do carnavalesco, as opiniões foram divididas.

E você, o que acha? O Sambarazzo prefere não comentar…rs.