Botaram fé! Wander e presidente da Estácio pedem proteção a São Jorge

Por Redação

Uma missa fora dos padrões da igreja católica foi realizada na manhã deste sábado na Igreja São Gonçalo Garcia e São Jorge, no Centro do Rio. É que além do discurso religioso, o padre Wagner Toledo declamou na íntegra o samba da Estácio de Sá, que este ano homenageia no enredo São Jorge, santo que todo dia 23 de cada mês ganha uma cerimônia especial por lá.

IMG_7238 (Copy)
Lotou! A missa foi acompanhada por devotos de São Jorge e torcedores da Estácio de Sá, que vai homenagear o “santo guerreiro” no desfile deste ano I Foto: Irapuã Jeferson

O altar foi tomado por fiéis do chamado “santo guerreiro”, entre eles muitos integrantes da vermelho e branco do Estácio, como o presidente Leziário do Nascimento, os carnavalescos Chico Spinosa e Tarcísio Zanon, baianas e o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Marcinho e Alcione.

Protegidos! Wander Pires e presidente da Estácio só deixaram a igreja após acender uma vela e pedir aquela proteção ao santo guerreiro

Após a missa, um cortejo da agremiação saiu em direção à quadra da escola, com direito à bateria de mestre Chuvisco e mais integrantes da primeira a desfilar pelo Grupo Especial carioca no Domingo de Carnaval. Wander Pires e Leziário Nascimento, no entanto, não deixaram a igreja sem antes fazer uma “fezinha”. Munidos de velas, o intérprete oficial e o cantor da Estácio gastaram alguns minutinhos agradecendo e pedindo aquela ajudinha do popular santo.

Fé! O presidente Leziário Nascimento e o cantor Wander Pires acenderam velas e fizeram pedidos a São Jorge I Foto: Irapuã Jeferson
Fé! O presidente Leziário Nascimento e o cantor Wander Pires acenderam velas e fizeram pedidos a São Jorge I Foto: Irapuã Jeferson

Tão logo definiu que o enredo seria em homenagem a São Jorge, a Estácio de Sá procurou a Arquidiocese do Rio para comunicar a ideia do projeto e evitar algum futuro inconveniente como o enfrentado pela Beija-Flor em 1989, quando a igreja vetou uma escultura do Cristo Redentor, obrigando a azul e branco a desfilar com o monumento em versão carnavalesca coberto, comprometendo a beleza da alegoria que ilustrava o enredo “Ratos e urubus, larguem minha fantasia”, numa polêmica que marcou a história do Carnaval.

Veja mais fotos da cerimônia religiosa, que acabou em ritmo de samba!

Carnavalescos Tarcísio Zanon e Chico Spinosa
Os carnavalescos Tarcísio Zanon e Chico Spinosa I Foto: Irapuã Jeferson
Baianas e os casais de mestre-sala e porta-bandeira I Foto: Irapuã Jeferson
Baianas e os casais de mestre-sala e porta-bandeira I Foto: Irapuã Jeferson
O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Alcione e Marcinho I Foto: Irapuã Jeferson
O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Alcione e Marcinho I Foto: Irapuã Jeferson

IMG_7386 (Copy)