Por Redação

A participação da dupla César Menotti & Fabiano no “Altas Horas” arrancou gargalhadas da plateia de Serginho Groisman, mas não teve graça pra muita gente do mundo do samba.

Durante a entrevista na TV Globo, os irmãos cantores contaram algumas histórias do início da carreira. Uma das passagens incluiu um show que fizeram num presídio onde a maioria dos presos teria pedido que, em vez de música sertaneja, eles cantassem samba.

Ao narrar o episódio, César Menotti disse, em tom de piada, que o irmão entendeu o clamor daquele público em especial, já que “samba é coisa de bandido”.

Neguinho: “Lamentável saber que tem artista que ainda se comporta assim” – Foto: Arquivo

“Pura deselegância”, diz Neguinho da Beija-Flor

Alguns sambistas não curtiram a brincadeira e ficaram chateados com a declaração do artista.

Caso de Neguinho da Beija-Flor, que não gostou da piada e achou deselegante a fala do cantor sertanejo.

– Já ouvi falar dessa dupla, mas confesso que não sou de escutar muito esses sertanejos de hoje. Prefiro mesmo os de raiz, como Pena Branca e Xavantinho, Jararaca e Ratinho, Tonico e Tinoco, além do Sérgio Reis e do Almir Sater. Mas não é porque não curto o estilo das duplas que fazem sucesso atualmente que vou me referir ao trabalho desses artistas com adjetivos pejorativos e preconceituosos, como fez esse rapaz. Pura deselegância. E num momento que os brasileiros conscientes estão lutando contra todo tipo de preconceito… Lamentável saber que tem artista que ainda se comporta assim – declarou Neguinho, intérprete mais famoso do Carnaval carioca e autor de inúmeros sambas clássicos.

Arlindinho disse conhecer a dupla e achou estranho o comentário – Foto: Divulgação

“Tenho pena dele”, diz Martinho da Vila

Já Martinho da Vila criticou duramente o sertanejo:

– Acho que foi uma infelicidade dele. Isso significa pouca cultura. Eu tenho pena dele. É um cara que tem pouca informação, pouca cultura… Deixa ele pra lá. É burrice, é ignorância, tadinho. Esse preconceito é uma coisa que tá no subconsciente das pessoas e, de repente, aflora. Às vezes, aparece na hora e o cara se ferra.

Para Arlindinho, a brincadeira também foi bastante “infeliz”. O filho de Arlindo Cruz conhece a dupla e achou estranho o comentário, já que, segundo ele, tanto César Menotti quanto Fabiano gostam de samba.

– Eles são amigos do meu pai e gostam de samba, já cantaram sambas dele, inclusive. Ainda estou tentando entender o que aconteceu, mas foi uma piada extremamente infeliz. Muito desrespeitosa com a gente do samba – classificou Arlindinho.

“Isso em deixa muito triste”, lamenta Reinaldo, o “Príncipe do Pagode”
O cantor Reinaldo, conhecido como “o Príncipe do Pagode”, comparou a situação do sertanejo com a do sambista. De acordo com o artista, ambos sofreram preconceito e precisaram lutar para conseguir uma vida melhor. Apesar disso, o sambista lamentou a fala de César Menotti.

– Não vi o programa, mas juro por Deus, isso me deixa muito triste. O sertanejo nada mais é do que o pobre do sertão. Eles são iguais a gente. O sambista é o pobre da cidade grande. Eles (sertanejos) são os pobres do interior. O sambista é aquele garoto que não joga bola. Antigamente, você só tinha essa possibilidade de ascensão. Ou era o futebol ou era o samba. Se não fosse a música sertaneja, eles seriam empregados de fazenda, estariam catando milho. Pô, vem falar de sambista? Fico muito triste. Era uma dupla até que eu gostava… Eles têm que entender que o artista tem que tomar muito cuidado com o que se fala. A verberação do que o artista fala tem um peso muito grande. Ele (César Menotti) vai ter que ir na televisão pedir desculpas. Vai tentar tapar o sol com a peneira, dizer que falou sem querer. Vai vir pedir desculpa, mas vai pedir desculpas pra quê? Tem é que assumir o que falou. Ele acha mesmo isso, que samba é coisa de bandido. É tão coisa de bandido que minha filha tá no quarto ano de Medicina. Quero saber o que as filhas deles fazem. Pronto, estragou meu domingo.

Reinaldo: “O sertanejo nada mais é do que o pobre do sertão. Eles são iguais a gente” – Foto: Divulgação

“Bandido é quem discrimina um ritmo”, declara rainha de bateria

Raissa de Oliveira, rainha de bateria da Beija-Flor de Nilópolis, lembrou que o samba faz o muito sucesso no exterior, sendo extremamente valorizado por estrangeiros.

– Em pleno 2018 e o samba ainda é visto dessa forma. É de se lamentar muito, ainda mais porque falaram isso em rede nacional. O samba é genuinamente brasileiro e é um dos ritmos mais respeitados no exterior. A gente, quando vai pra fora do país, é o samba que eles querem ver e ouvir, não o sertanejo. O samba é o maior patrimônio brasileiro. Bandido é quem discrimina um ritmo – afirmou Raissa.

Raissa: “O samba é o maior patrimônio brasileiro” – Foto: Sambarazzo

“Não somos bandidos”, afirma Casagrande, mestre de bateria da Unidos da Tijuca

Mestre de bateria da Unidos da Tijuca, Casagrande convocou todos os sambistas a fazerem um vídeo repudiando a fala da dupla sertaneja. Ele ainda vai usar as redes sociais para iniciar uma campanha com a #sousambistanaosoubandido:

– Em pleno século XXI ter que lidar com esse tipo de preconceito? Isso, sim, é uma piada. O cara tá lá fazendo o maior sucesso na música sertaneja, e vem tirar sarro dos sambistas, que às vezes trabalham o ano inteiro pra ganhar em um ano o que eles levam pra casa em apenas um show? Não somos bandidos. Somos artistas. Merecemos mais respeito. Não podemos ser personagens de piadas de mau gosto. Música sertaneja é arte. Samba também.
Mestre Casagrande pediu apoio dos sambistas nas redes sociais – Foto: Arquivo
“Quem é esse cara?”, indaga porta-bandeira da Portela

Porta-bandeira da Portela, Lucinha Nobre foi outra a ficar descontente com as declarações do cantor e pediu mais união da classe artística:

– Primeiro, quem é esse cara? Sinceramente, de verdade mesmo, eu não o conhecia. Mas acho uma lástima preconceito de qualquer tipo nos dias atuais… Já é tão difícil viver dignamente de arte no país, e aí, em vez de haver união, a gente tem que lidar com esse tipo de situações. Isso só demonstra o quanto o ser humano ainda precisa evoluir, né?

Porta-bandeira da Portela e irmã do sambista Dudu Nobre, Lucinha foi outra a reclamar da ‘infeliz’ declaração de César Menotti – Foto: Arquivo

Show na Sapucaí

Em tempo, a dupla, na prática, não deve rejeitar tanto o samba. É que, em 2016, César Menotti e Fabiano estiveram no palco principal dos sambistas, o Sambódromo do Rio de Janeiro, pra fazer show no camarote de uma rede de supermercados.

Outro momento que mostra afeição à festa rolou no mesmo ano. Ao verem os colegas sertanejos Zezé Di Camargo e Luciano ganharem uma baita homenagem ao se tornarem enredo da Imperatriz Leopoldinense, os dois mostraram que também curtiriam a ideia de receber tamanha honraria: “Quem sabe um dia?”, disseram, na época, ao canal Plus TV.

Veja o vídeo do cantor César Menotti no “Altas Horas”:

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 52 = 54