Por Redação

Lotada de torcedores nesta sexta, 5, a quadra da Portela na rua Clara Nunes, em Madureira, Zona Norte do Rio, foi o palco da escolha do samba em homenagem à cantora mineira que dá nome à rua onde a azul e branca é sediada. Entre as três obras finalistas, a agremiação selecionou como hino oficial a composição dos poetas Jorge do Batuke, Valtinho Botafogo, Rogério Lobo, Beto Aquino, Claudinho Oliveira, José Carlos, Zé Miranda, D’Dousa e Araguaci. A escolha foi acompanhada de perto pela carnavalesca Rosa Magalhães, responsável pelo desenvolvimento do enredo “Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir cantar uma Sabiá“.

Final teve participação de escola paulista

Antes de dar o start para a última etapa do concurso, a Portela recebeu no palco da quadra um time de integrantes da Nenê de Vila Matilde, agremiação do Carnaval paulistano da qual é madrinha. A turma da “Terra da Garoa” foi recebida pelo intérprete Gilsinho, pelo mestre Nilo Sérgio e pelos ritmistas da “Tabajara do Samba”. Todos fizeram as honras da casa auxiliando a coirmã a apresentar os próprios sambas para o público.

Vitória ao raiar do dia

Como já é tradição, os poetas campeões só souberam do resultado ao fim da madrugada embalada pela batucada. O anúncio do samba campeão foi feito pelo presidente Luis Carlos Magalhães por volta das 6h da manhã deste sábado, 6. Para não perder o costume, a bateria deixou o quartel-general da “Águia” acompanhada de outros segmentos para tocar a canção recém-escolhida ao ar livre, numa saudação aos moradores da região.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

45 − 43 =