Cenas lamentáveis! Diretor agride mulher em ensaio técnico da Vai-Vai e público filma

Por Redação

Nem só por momentos de alegria foi marcado o fim de semana de ensaios técnicos no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. Neste sábado, 19, cenas fortes de violência assustaram quem acompanhava a passagem da Vai-Vai, sexta e última escola a ensaiar no palco principal da festa paulista.

O episódio aconteceu por volta de 1h da madrugada e terminou com a expulsão de um dirigente da escola neste domingo, 20.

Durante o treino, o homem foi filmado enquanto agredia uma componente: as imagens chocantes mostram ele, vestido com camisa do departamento de Harmonia, andando atrás de uma moça de vestido branco junto às grades da pista, no Setor C do Anhembi. Em determinado momento, ele aparece puxando o cabelo da vítima e, em seguida, a empurrando. Em outro trecho, uma discussão entre os dois foi registrada de perto.

— Vamos ou você vai ‘passar carão’. Não vai ‘passar carão’, não. (Trecho inaudível)… é o caral…! Vamos — gritava o agressor, enquanto o público localizado às margens da pista de desfiles tentava apartar a briga.

. .

Confusão teria sido briga de casal

Nas redes sociais, componentes da Vai-Vai que presenciaram o ocorrido escreveram que se tratava de uma ocorrência com motivos passionais. O diretor e a componente registrados no vídeo seriam, segundo internautas, marido e mulher.

Entre os comentários, foi recorrente a reclamação sobre a falta de posicionamento de outros integrantes do departamento de Harmonia da escola. No ápice da briga, havia pelo menos cinco pessoas da diretoria presentes, três deles homens, que aparentavam ter força suficiente para conter a agressão.

Presidente expulsou diretor: ‘Estou do lado dela’

Na tarde deste domingo, 20, o presidente Darly Silva, mais conhecido como Neguitão, utilizou os canais oficiais de comunicação da agremiação para informar que o diretor em questão foi expulso e não deve mais exercer o ofício junto aos responsáveis pela organização dos componentes. Ele também avisou que vai pedir ao Conselho Deliberativo da escola a exclusão dele do quadro de integrantes da Vai-Vai.

— O que ele fez fere totalmente a nossa ética, a nossa disciplina, nossa honra e principalmente a honra e a integridade da componente que foi agredida. Estou do lado dela. Já entrei em contato com a mesma e não medirei esforços pra que a justiça seja feita. Que isso sirva de exemplo e que fique bem claro que nós não aceitamos covardia com ninguém, muito menos com uma mulher — disse Neguitão, que classificou o fato como um caso isolado e de caráter pessoal.