Por Redação

Internado há mais de um ano na Casa de Saúde São José, na Zona Sul do Rio, em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC), Arlindo Cruz deve assistir à Copa do Mundo em casa. Quem dá a boa nova ao Sambarazzo é a mulher do cantor, Babi Cruz. A expectativa é de que em 15 dias ele seja liberado pelos médicos para seguir com o tratamento em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

– O Arlindo vai assistir aos jogos da Copa em casa. Ele vai chegar já no finzinho da Copa, mas vai assistir em casa. Ele vai ser mais um brasileiro fervoroso vendo os jogos, estou muito esperançosa. Já comecei a preparar a home care pra ele – revela Babi, radiante com a possibilidade de ver o marido voltar para mais perto da família.

Arlindo posa com a filha, porta-bandeira do Império Serrano, e a mulher Babi Cruz – Foto: Sambarazzo

“A gente já escuta o som da voz dele”

Segundo Babi, o sambista tem apresentado uma melhora significativa e avisa que já vem sendo possível ouvir traços da voz de Arlindo. Ela diz que o cantor tem se mostrado animado com as visitas de Arlindinho, herdeiro do sambista, e do compositor André Diniz. Os dois são alguns dos autores do samba-enredo que a X-9, agremiação paulista, irá levar para o Anhembi no ano que vem, quando irá homenagear o ilustre imperiano.

Em janeiro deste ano, Arlindo recebeu um trato no visual – Foto: Reprodução Instagram

– A gente já escuta o som da voz dele. Ele vai ter que passar por tratamentos com uma fonoaudióloga – explica Babi.

Em março do ano passado, Arlindo passou mal quando se preparava para ir a um show em São Paulo na companhia do filho, Arlindinho. O artista foi socorrido após sofrer um AVC e, depois de dois meses no CTI, passou por um procedimento para colocar um cateter cerebral. Em outubro, dezenas de sambistas fizeram um tributo para o cantor na quadra da Vila Isabel. O evento foi organizado pela Liesa com renda total destinada para os tratamentos médicos de Arlindo.

Arlindinho ao lado do pai – Foto: Divulgação

Visita do Rei da Nigéria

Muito emocionada, Babi fala da ansiedade com a chegada de Ooni de Ifé, o rei supremo da cidade de Ifé, na Nigéria, neste domingo, 10. Ele é considerado o maior representante dos iorubás no mundo e a eterna porta-bandeira integra a comitiva carioca que irá receber o líder. Para Babi, será um momento de pedir paz para o Rio de Janeiro.

– Vai ser espiritualmente muito importante para o Rio. Ele é um dos descendentes diretos de Ogum (orixá guerreiro) e merece o nosso respeito. A visita do rei vai servir pra uma virada na violência da cidade – pede Babi.

No dia 11, às 10h, Ooni será homenageado no busto de Zumbi dos Palmares, na abertura da Feira de Cultura e Negócios Brasil-Nigéria, no Terreirão do Samba, no Centro do Rio. Em seguida, participa de premiação na Alerj. Às 19h, fará um discurso à sociedade, no Theatro Municipal.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 29 = 30