Cruel? Jurado tirou décimo de Maria Helena e Chiquinho na Imperatriz

Por Redação

Ninguém nega que a função do jurado é esta mesmo: descontar décimos. Mas deu uma certa dó de ver o lendário casal de mestre-sala e porta-bandeira, Chiquinho e Maria Helena, ser despontuado pelo jurado João Wlamir, responsável pelas notas de comissão de frente no último módulo da pista. A dupla surgiu pra delírio do público do quesito de abertura da Imperatriz Leopoldinense.

Pro avaliador, Chiquinho e Maria Helena demonstraram ‘insegurança’ na apresentação.

Maria Helena e Chiquinho integraram a comissão de frente da Imperatriz – Foto: Michele Iassanori

Com uma apresentação sem tripé, truques ou maiores efeitos tecnológicos, a comissão de frente da Imperatriz representou a “nobreza dos pássaros em cortejo para o rei e a rainha” no enredo sobre o bicentenário do Museu Nacional.

A apresentação que lembrou as áureas comissões de frente da própria Imperatriz Leopoldinense dos anos 1990, nos trabalhos memoráveis de Fábio de Mello. A ideia foi do presidente Luiz Pacheco Drumond, que sugeriu a homenagem marcante ao lendário casal Maria Helena e Chiquinho, que apareceram como grande destaque da exibição aos jurados.

As notas da comissão, comandada por Claudia Motta, que deixou a Imperatriz, foram: 10, 10, 9,8 e 9,8.

Oitava colocada no Grupo Especial deste ano, a Imperatriz pode não ter muito a festejar pelo Carnaval que passou, mas merece comemorar a história laureada de glórias e conquistas, já que nesta terça-feira, 6, a “Rainha de Ramos” completa 59 anos.