Dá oi pra geral! Rainha da Portela e a relação com a comunidade: ‘Amo todo mundo’

Por João Paulo Saconi, Luiz Felippe Reis e Rafael Arantes

Patrícia Nery é “rata” de Portela e não perde uma chance de frequentar os eventos da Portela. Por isso, foi das primeiras a chegar para a final de samba que teve início nesta sexta-feira, 14, na quadra da escola em Madureira, Zona Norte carioca.

Tão logo pisou em território portelense,  a rainha de bateria da azul e branco fez a linha anfitriã e saiu cumprimentando todo mundo. Há cinco anos no cobiçado posto à frente dos ritmistas de Nilo Sérgio, a beldade garante que uma das coisas que mais importa, em toda a rotina na agremiação, é manter o convívio com cada componente.

– Costumo dizer que pra mim aqui todo mundo é igual. Eu gosto de todos, amo todo mundo. Não me importa se é dirigente, se é funcionário… Todo componente quer o melhor para a Portela, assim como eu, e todos fazem o seu melhor para isso. No que depender de mim, todo mundo vai ter toda atenção do mundo. E acho que isso é um dos motivos de eu receber tanto carinho aqui também – disse.

aa
Do povão! Patrícia Nery afirma que tem relação de igual para igual com a comunidade da Portela | Foto: Irapuã Jeferson

Todo Carnaval, Patrícia faz questão de preparar uma surpresa especial ao lado dos percussionistas da “Tabajara do Samba”. É que em cada desfile a rainha exibe uma coreografia especial junto aos comandados de mestre Nilo, bem em frente ao Setor 1. A performance não vale ponto, mas o empenho em fazer uma graça para a plateia será mantido em 2017.

– Eu e o Nilo sabemos da importância do Setor 1 (a arquibancada popular do Sambódromo). O pessoal que fica ali passa uma energia muito boa e, por isso, sempre fazemos questão de preparar algo bem legal. As coisas pra gente estão começando a caminhar agora e, com certeza, depois do samba escolhido vamos preparar algo. É nossa marca registrada já – comentou.

Morte de Falcon ainda mexe com a escola

O recente adeus ao ex-presidente Marcos Falcon, morto há cerca de 20 dias em seu comitê eleitoral onde cuidava da candidatura a vereador do Rio de Janeiro, ainda mexe com o sentimental dos componentes. A rainha de bateria não é exceção e também foi só lamento à chocante perda do dirigente. Segundo Patrícia, é com ele em cada coração que os integrantes vão em busca do tão sonhado título.

– O Falcon não era simplesmente um presidente. Ele se preocupava com cada integrante, ele não tinha hora pra sair daqui. A perda não foi apenas de um dirigente, mas de um grande amigo de cada um de nós. Tenho certeza que cada componente tem um pouco dele no seu coração e é assim que vamos fazer mais um grande desfile. Ele era o líder que a Portela não tinha desde a época do Natal (patrono da Portela nos anos 1960 e 1970) e termos nos despedido dele ainda pesa muito para a gente – completou.

Rainha vai preparar nova coreografia ao lado dos ritmistas para apresentar na Sapucaí | Foto: Irapuã Jeferson
Rainha vai preparar nova coreografia ao lado dos ritmistas para apresentar na Sapucaí | Foto: Irapuã Jeferson

Em 2017, a Portela será a quinta a desfilar na segunda-feira de Carnaval. A escola levará para a Sapucaí o enredo “Foi um rio que passou em minha vida e o meu coração se deixou levar”, desenvolvido pelo carnavalesco Paulo Barros.