Por Redação

Foi enterrado no início da tarde deste domingo, 13, no Cemitério São Francisco de Paula, no Catumbi, região central do Rio, o corpo da porta-bandeira Karoline Oliveira, que morreu neste sábado, 12, aos 19 anos, vítima de dengue. Ela estava internada há uma semana, com sintomas da doença provocada pelo mosquito “Aedes aegypti”, mas teria recebido alta e continuado o tratamento em casa. No entanto, o quadro de saúde piorou e a versão mais forte da doença acabou levando a dançarina a óbito. Ela morreu de dengue hemorrágica.

karoline-oliveira-facebook
Karoline planejava voltar a dançar como porta-bandeira do Carnaval carioca, mas planos da dançarina foram interrompidos na madrugada deste sábado, 12. Ela morreu de dengue hemorrágica – Foto: Reprodução/Facebook

Sambistas que tiveram alguma relação com Karoline, que dançou pela escola mirim Infantes do Lins, ficaram chocados com a notícia, entre eles a consagrada porta-bandeira Lucinha Nobre, que chegou a dar aulas à jovem aprendiz num projeto social da Portela:

– Karol foi minha aluna na Portela. Quando a conheci, ela tinha 14 anos, era uma princesinha. Sempre foi uma menina super bem cuidada pela família, que nem andava sozinha na rua. Fico muito triste e muito chocada por acontecer uma coisa tão triste com uma menina tão do bem. Ela desfilou comigo no meu cortejo pela Inocentes (de Belfrod Roxo) também. Todas as minhas alunas sempre se tornam “filhas”, por quem tenho o maior carinho, e com ela não era diferente. É muito triste, é difícil até mesmo de falar.

Lucinha Nobre ainda aproveitou a conversa com o Sambarazzo para alertar a população sobre a gravidade do assunto “dengue”.

– Além da tristeza pela fatalidade fica também uma revolta por essa questão da saúde e da política quanto à doença. Se tivéssemos uma preocupação maior com isso de água parada, com os cuidados necessários, e nossos hospitais funcionando melhor, as coisas poderiam ser diferentes para muita gente – lamentou.

karoline-oliveira-manoeldionisio
Karoline (a segunda da direita para a esquerda) foi aluna da Escola de Mestre-Sala e Porta-Bandeira de Manoel Dionísio – Foto: Reprodução/Facebook

Mestre-sala da Renascer de Jacarepaguá está desolado

– Anda, aparece… Você me disse recentemente que voltaria a dançar, eu prometi te ajudar… Vai, aparece eu quero cumprir minha promessa… Não posso acreditar ser verdade. Papai do céu, cuide da nossa Karolzinha – escreveu o dançarino Thiaguinho Mendonça, da Renascer de Jacarepaguá, escola da Série A do Carnaval carioca, em sua página no Facebook.

No enterro da jovem Karoline, algumas escolas mandaram representantes, como a São Clemente e a Acadêmicos do Cubango.

aaaaa
O mestre-sala da Renascer, Thiago Mendonça, postou uma homenagem à Karoline em seu Facebook – Foto: Reprodução/Instagram