Por Redação

Dois pares, no Poker, costumam ser garantia de mão boa. E a Viradouro segue dando suas cartadas na elaboração do time pra temporada 2019, quando a escola voltará a desfilar no Grupo Especial. Os novos integrantes da equipe da vermelho e branco são a porta-bandeira Amanda Poblete e o mestre-sala Jeferson Souza. A dupla vai formar o segundo casal da escola. O bailado principal na escola de Niterói é de responsa dos experientes Julinho e Rute.

Amanda, que tem 21 anos, este ano foi primeira porta-bandeira da São Clemente no Grupo Especial, onde estreou em 2017, defendendo a Unidos de Vila Isabel. Antes, na Série A, foi primeira no Paraíso do Tuiuti (2013), e na Renascer de Jacarepaguá (de 2014 a 2016).

O presidente da Viradouro, Marcelinho Calil, com os novos integrantes da escola de Niterói: o mestre-sala Jeferson Souza e a porta-bandeira Amanda Poblete – Foto: Maurício Antunes/Divulgação
Rute e Julinho vão para o segundo ano defendendo a Viradouro, atual campeã da Série A – Foto: Michele Iassanori

No último Carnaval, Jeferson, de 31 anos, defendeu, como primeiro mestre-sala, o Império da Tijuca, na Série A, e teve passagens ainda como mestre-sala titular pela União do Parque Curicica (2009, 2010 e 2015) e Renascer de Jacarepaguá (2003 e 2004).

Amanda não encara como retrocesso ser segunda porta-bandeira.

– Eu amo o que faço e o que me importa é dançar e estar feliz. Tenho certeza que a Viradouro será importante no meu aprendizado e formar o segundo casal de Julinho e Rute, uma das melhores duplas do Carnaval carioca, é uma honra. Agradeço a oportunidade que a escola está me dando e vou aproveitar muito bem – garante ela, que está concluindo a faculdade de educação física.

Amanda Poblete defendeu a São Clemente em 2018 – Foto: Irapuã Jeferson

Jeferson ressalta que a estrutura da nova escola será importante para seu crescimento profissional.

– Na Viradouro, tenho certeza que terei condições de me aprimorar na dança. E estou bem animado com a Amanda, minha nova parceira.

Pelo Império da Tijuca e ao lado de Gleice Simpatia, Jeferson Souza conseguiu nota 30, a mesma de Rute e Julinho pela Viradouro, na Série A – Foto: Irapuã Jeferson

‘A ideia é diminuir a distância entre os casais’, diz Calil

Presidente há menos de um ano, Marcelinho Calil já foi campeão com a Viradouro na Série A e conquistou o direito de desfilar no Especial – Foto: Irapuã Jeferson

Para o presidente Marcelinho Calil, o fato de não pontuar não diminui a importância de um segundo casal.

– A gente não pode montar um time forte, reunindo os profissionais que a escola contratou, e não reforçar o segundo casal. A ideia da Viradouro é diminuir a distância entre os dois casais. E vamos dar ao Jeferson e a Amanda total condição de trabalho. Já vínhamos acompanhando o desempenho deles e agora tivemos a oportunidade de unir os dois – revela o dirigente.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 42 = 48