‘É uma dama’! Presidente da Tijuca brinca sobre personalidade forte de Laíla

Por Redação

Contratado pela Unidos da Tijuca, após um casamento de mais de 40 anos (entre idas e vindas) com a Beija-Flor de Nilópolis, Laíla ouviu só elogios do novo patrão, Fernando Horta. Em entrevista para o programa “Show de Bola”, da Rádio Tupi, o dirigente afirmou que realizou um sonho ao trabalhar com o diretor.

Presidente da Tijuca brinca sobre personalidade de Laíla: ‘É uma dama!’ – Foto: Arquivo

Ao falar de Laíla, Horta não poupou elogios, mas também fez graça com a fama de durão do diretor.

– O Laíla é uma enciclopédia do samba, veio somar muito na Unidos da Tijuca. Ele está fazendo um grande trabalho e acho que ele está feliz, isso que é o mais importante. O Laíla sempre foi um sonho de consumo meu. Não tenho costume de tirar profissional de uma coirmã, mas quando ele saiu da Beija-Flor, parti pra cima dele. Acho que a Tijuca acertou em trazer o Laíla. Ele passa uma imagem de que é uma pessoa fechada, mas ele é uma dama de pessoa, sabe lidar muito bem com a comunidade. Ele é mais bom de papo do que eu. Convence as pessoas mais do que eu. É uma dama! (risos) – brincou Fernando Horta.

Fernando Horta ainda afirmou que sempre teve o sonho de ter Laíla na Tijuca – Foto: Arquivo

O clima descontraído evidencia que a rivalidade entre Horta e Laíla ficou mesmo no passado. Após o Carnaval de 2016, quando a Unidos da Tijuca ficou em segundo lugar e a Beija-Flor em quinto, o então diretor de carnaval da azul e branco deu declarações à imprensa pra lá de polêmicas. Ele colocou em xeque até a honestidade de um jurado que foi prontamente afastado pela Liesa (a Liga Independente das Escolas de Samba): o pivô da briga foi Fabiano Costa, julgador de bateria.

Na época, Laíla sugeriu que havia um favorecimento para a Unidos da Tijuca e Horta logicamente não gostou da atitude do diretor e rebateu as falas dele, a quem classificou de “desequilibrado”.

“Não quero coreógrafo junto com o casal”, diz Laíla

O agora diretor de carnaval da Tijuca também foi ouvido pela rádio e falou sobre a preparação do novo casal da agremiação, Alex Marcelino e Raphaela Caboclo. Laíla criticou a interferência de coreógrafos na dança do mestre-sala e porta-bandeira.

Laíla não quer coreógrafo para novo casal da Tijuca, formado por Alex Marcelino e Raphaela Caboclo – Foto: Divulgação

– Não quero coreógrafo junto com eles, estão tirando o pé de dança do casal de mestre-sala e porta-bandeira. Hoje o mestre-sala e a porta-bandeira têm coreógrafo pra ensinar o quê? A dança de mestre-sala e porta-bandeira? Trabalhei com Selminha (Sorriso) e Claudinho (ambos da Beija-Flor) durante muito tempo. Nunca deixei coreógrafo nenhum se meter no trabalho deles. Não quero que ninguém se meta na dança da Raphaela e do Alex. Ficam uns caras igual abutres no pé deles, querendo ensinar coisas que não sabem. Não é uma dança teatral, não podem tirar a espontaneidade do casal. Não preciso de coreógrafo pra ensaiar mestre-sala e porta-bandeira – declarou Laíla, que grava nesta quarta-feira, 21, uma entrevista para o Museu da Imagem e do Som (MIS) do Rio de Janeiro.

Ano que vem, a Tijuca será a última a desfilar no Domingo de Carnaval. O enredo, desenvolvido por uma comissão, é sobre a história e a simbologia do pão.

*Fotos de capa: Arquivo