Por Luiz Felippe Reis

Campeãs em 2017, Mocidade e Portela ficaram exclusivamente com a missão de diminuir a sensação de desgosto popular pela ausência dos ensaios técnicos na Avenida, cancelados pela Liesa, que alega insuficiência financeira para custear a festa que antecede os desfiles. Pra amenizar a falta, o diretor de carnaval da Beija-Flor, Laíla, teve uma ideia pra marcar posição no palco criado para atender o Carnaval carioca.

Ele sugere uma espécie de ensaio técnico coletivo, com todas as agremiações juntas, de uma vez só, na Avenida durante a lavagem espiritual do Sambódromo, antes, portanto, dos ensaios técnicos de Mocidade e Portela. A possibilidade abraçaria todo o contingente do Carnaval que se despusesse a participar. O veterano sambista fala em tom de convocação.

– Faço um apelo que fizéssemos exatamente no dia da lavagem na Sapucaí. Que se reunisse todo contingente do Carnaval, do samba e das escolas de samba e fizéssemos um grande desfile. Um ensaio só, todo mundo junto. Se desse 10 mil pessoas… paciência – sugeriu Laíla, que também indicou a possibilidade de reduzir duas alegorias do desfile para baratear o Carnaval 2018.

Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Mocidade e Portela, como as duas vencedoras do último Carnaval, estão escaladas para a realização dos treinos no Sambódromo no dia do Teste de Som e Luz da Avenida, marcado para fevereiro de 2018. A Liesa, que organiza o Grupo Especial, não vê barreiras numa possível aplicação da ideia de Laíla.

Caso o tal ensaio técnico coletivo aconteça, o presidente da liga, Jorge Castanheira, não acredita que se trataria de um ato de protesto contra a prefeitura do Rio de Janeiro, que cortou pela metade a subvenção às escolas de samba.

– O Laíla nos passou essa ideia e nós falamos pra ele que havia a lavagem do Sambódromo. Caso as escolas de samba queiram participar nesse momento não há problema nenhum, damos apoio. Não veria de modo algum como um ato de protesto, não podemos fechar os olhos para a crise e as condições financeiras dos estados e municípios. Acho que seria um ato de fé e de força das escolas – declarou Castanheira.

O Carnaval 2018 começa em três meses e meio, a partir do dia 9 de fevereiro.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

7 + 2 =