Por Redação

A reviravolta na eleição do Salgueiro vem sendo nas últimas horas o tema da conversa da maioria dos sambistas. No WhatsApp, por exemplo, faz sucesso entre a turma que curte uma fofoca um áudio atribuído a Quinho, ex-intérprete da vermelho e branco, no qual ele diz querer comprar uma vassoura para “varrer a sujeira” da agremiação quando e se Regina Celi, atual presidente, for mesmo forçada pela Justiça a deixar o cargo. Na gravação, o cantor, entre várias afirmações, chama uma integrante do grupo da dirigente (reeleita no último dia 6) de ladra.

Em entrevista ao Sambarazzo, Quinho comentou o polêmico áudio e confirmou ser mesmo o autor da voz que arrepiou os salgueirenses.

O intérprete explicou que estava fazendo um comentário sobre o pleito da vermelho e branco apenas com um amigo, que acabou compartilhando a conversa com outras pessoas. O vazamento pegou mal para o cantor, que disse estar arrependido do que disse:

– Ficou chato pra mim. Estava fazendo um comentário ‘em off’ com uma pessoa, e o cara jogou isso pra outras pessoas. Fiz um comentário em tom de brincadeira sobre a vassoura. Eu não estava de maldade. Não posso falar da integridade de ninguém. A Justiça está aí para julgar. Quem roubou, que pague pelo que fez. Foi uma brincadeira de torcedor, mas sou uma pessoa pública e não podia fazer esse tipo de comentário. Estou arrependido. Me sinto envergonhado.

Entenda o caso

Nesta quarta-feira, 16, a Justiça do Rio de Janeiro decidiu, por dois votos a um, que deve ser realizada uma nova eleição para a presidência do Salgueiro. A ação, movida pela chapa de oposição liderada por André Vaz, questiona a possibilidade de um quarto mandato de Regina Celi, já que o estatuto da escola só prevê direito a uma reeleição. A decisão da Justiça ainda cabe recurso.

*foto da capa: Irapuã Jefferson

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

28 − 25 =