Filho de Martinho, Tunico da Vila dispara: ‘Ala de compositores tá falida e acabada’

Por Redação

Depois da divulgação das prévias do CD do Grupo Especial, o compositor Tunico da Vila resolveu fazer duras críticas ao atual sistema de disputa de samba-enredo adotado pelas agremiações. Em entrevista ao Sambarazzo, o sambista, herdeiro de Martinho de Vila, reclama da ala de compositores das escolas.

Para Tunico, a maioria deles está sem bandeira. Ele cita, por exemplo, o consagrado André Diniz, que assina a obra vencedora da Vila Isabel para 2019 e também o samba feito sob encomenda para a Grande Rio.

André Diniz assina os sambas da Vila e da Grande Rio no Grupo Especial em 2019 – Foto: Divulgação

– Ala de compositores está falida e acabada. Falta bandeira aos compositores. É inadmissível ter compositor da Vila Isabel assinando (samba) na Grande Rio. Tudo por dinheiro. Nunca fiz samba contra a Vila. Já fiz no Acesso, mas contra a minha escola, jamais. Entendo a decisão do Diniz, respeito o trabalho dele, mas fiquei chateado, acho até que mais porque tenho ciúmes da minha Vila Isabel – ponderou Tunico.

Na Vila Isabel, o sambista começou a disputar em 2012. No ano seguinte, venceu com o famoso “Festa no Arraiá”, assinando junto com o pai, Arlindo Cruz, Leonel e o próprio André Diniz. Desde 2015, Tunico não participa de escolhas de samba.

Tunico da Vila criticou duramente as alas de compositores das escolas de samba – Foto: Divulgação

Para o irmão da cantora Mart’nália, no entanto, nem tudo é ruim nos novos rumos carnavalescos.

– Não me adaptei à máquina de ser compositor de samba-enredo de hoje. Atualmente, não ganham os melhores sambas nas escolas. O compositor de raiz coloca samba, mas sabe que vai perder. Então, se for pra preservar o compositor, que tenha a encomenda – afirmou.

“Não pode ter samba bom falando de cabelo, cavalo ou iogurte”

Tunico ainda não sabe se voltará a encarar uma disputa de samba-enredo nos próximos anos, mas acredita que somente um bom enredo o faria competir novamente. Ano que vem, a Vila Isabel levará para a Sapucaí a história de Petrópolis.

Filho de Martinho da Vila, sambista ainda não sabe se voltará a participar de uma disputa de samba-enredo – Foto: Divulgação

– Fator principal é ter um bom enredo pra ter um bom samba. Não posso ter bom samba falando de cabelo, cavalo, iogurte… Petrópolis é legal, mas exaltar a Princesa Isabel, uma escravocrata! – alfinetou Tunico.

*Foto de capa: Divulgação