Heróis no samba! Imperatriz recebe mergulhadores que salvaram crianças em caverna na Tailândia

Por Redação

O povo do samba pode até ter sua própria legião de heróis, mas é especialista em receber os de fora. Exemplo disso deu a Imperatriz Leopoldinense, que foi nota 10 no quesito hospitalidade ao recepcionar no último domingo, 25, quatro integrantes do grupo de mergulhadores que atuaram no famoso resgate dos 12 meninos e do técnico de futebol que, em julho deste ano, ficaram presos numa caverna na Tailândia.

Os profissionais, que participaram da busca por duas semanas e ficaram conhecidos mundialmente pelo sucesso da operação, estiveram na quadra da verde e branco em Ramos, na Zona Norte do Rio, a convite da rainha de bateria Flávia Lyra, que é Primeiro Tenente do Corpo de Bombeiros fluminense. Ela contou ao Sambarazzo como conseguiu incluir na abarrotada agenda de compromissos da heróica turma pelo Rio uma visita às dependências da verde e branco.

— Eles tinham contato com a corporação aqui e a Embaixada da Tailândia no Brasil montou uma programação pra eles conhecerem a cidade, incluindo o samba. No início, a ideia era que fossem pra outro evento, na Cidade do Samba. Só que, em conversa com a corporação, resolvemos mudar. Porque eles queriam conhecer a essência das escolas, com as passistas, o mestre-sala e a porta-bandeira… — detalhou Flávia.

Rainha de bateria da Imperatriz, Flávia Lyra convidou e recepcionou quatro mergulhadores tailandeses que participaram do resgate dos 12 meninos e do treinador de futebol que ficaram presos numa caverna, em julho | Foto: Divulgação

‘Noite inesquecível’, classifica rainha

Ainda que separados dos brasileiros pelo idioma, os tailandeses conseguiram aproveitar tudo que a Imperatriz tinha a oferecer durante o ensaio de comunidade. Eles foram apresentados ao público pelo diretor de carnaval, Wagner Araújo, e puderam dançar com a ala de passistas e cumprimentar o pavilhão conduzido pelo casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Thiago Mendonça e Rafaela Theodoro.

Os integrantes do time de resgate conheceram os sambistas da Imperatriz e foram apresentados ao público pelo diretor de carnaval da escola, Wagner Araújo | Fotos: Divulgação

A breve convivência com os colegas de profissão encantou Flávia, que estava com um pezinho atrás sobre a aceitação dos turistas ao pisar num ambiente tão diferente do habitual.

— Foi indescritível, me emocionei bastante. Foi um resgate que teve repercussão mundial. Principalmente por ser bombeiro, tenho noção do nível de dificuldade daquele processo. Tava um pouco receosa. Quando eles chegaram, não sabia qual ia ser a recepção deles. Mas foi incrível, muito além do que eu esperava. A comunidade ficou extremamente feliz, eles foram super aplaudidos e tratados como heróis. Foi uma noite inesquecível pra mim — completou a sambista.

Leia mais!

À mão armada! Porta-bandeira da Imperatriz é assaltada após ensaio