Homem tentou dar golpe na Liesa; presidente revoltado… sambistas soltam o verbo

heron_capa2
Foto: Irapuã Jeferson

“Um cara me ligou querendo comprar um camarote. Ele disse que era complicado, e me pediu um número de alguma conta pra depositar. Passei, e, no dia seguinte, havia um crédito de R$ 92.500 reais. Estranhei, o camarote custava R$ 50.000. O tal entrou em contato dizendo que tinha mandado a mais, e me pediu pra retornar a diferença… Falei que não tinha como. Ele fez um depósito com um cheque num caixa eletrônico, não tinha garantido os 50 (mil reais) dele, como ia retornar os 42,500 dele? Era golpe. Tô aqui há 25 anos e todo ano tem alguma coisa diferente assim”

Heron Schneider, coordenador da Central de Vendas da Liesa, explicando o golpe que um espertalhão tentou aplicar na Liga dia desses. Graças à experiência do diretor, a fraude não teve sequência.

 

Ney-filardi-capa-2
Foto: Reprodução/Facebook oficial da União da Ilha

“Houve uma promessa da Prefeitura, que falo mesmo, e que até agora não veio. Acho que as autoridades precisam olhar pras escolas com mais carinho”

Ney Filardi, presidente da União da Ilha, soltou o verbo ao Sambarazzo falando sobre uma promessa não cumprida da Prefeitura do Rio, que, segundo o comandante da tricolor, tinha prometido ajuda financeira, e até agora… no money

 

Capa Cláudia Leitte
Foto: Felipe Araújo

“De uma coisa eu tenho certeza: eu nunca vou deixar de ser Mocidade. Serei Mocidade para sempre”

Cláudia Leitte, rainha de bateria da Mocidade Independente, tomada pela emoção durante o ensaio técnico da verde e branco na Sapucaí, se declarando à escola que a acolheu como realeza.

 

Capa Bocão
Foto: Sambarazzo

“A gente sempre sonha isso. Pode ser que um dia a gente veja a Vila cantando o Flamengo, vai ser legal”

Evandro Bocão, ex-presidente da Vila Isabel, que é flamenguista, levantando a possibilidade da Vila fazer um enredo sobre o clube da Gávea no futuro.

 

Bruno-Ribas-capa
Foto: Irapuã Jeferson

“É tão difícil falar de sambas atuais. Não tem divulgação. Sem divulgação, sem lembrança”

Bruno Ribas, cantor oficial da Mocidade, lamentando a baixa popularidade dos sambas-enredo atuais. Ao Sambarazzo, ele ainda criticou o “troca-troca” de cantores dentro do Grupo Especial.