Por Luiz Felippe Reis

Pela capacidade de criticar e propor novas reflexões, o Carnaval de 2018 da Mangueira é dos mais esperados dos últimos anos. “Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco”, do carnavalesco Leandro Vieira, promete não fugir dos temas mais polêmicos e quer “erguer a bandeira do samba”, como indica o samba-enredo recém-eleito.

Nesta quarta-feira, 11, a verde e rosa divulgou alguns figurinos do desfile que virá. Ironizando a “cura gay” – tratamento de reversão da condição sexual, apoiado por um grupo psicólogos – e debochando dos pretensos bons costumes, defendidos por moralistas de toda sorte, as fantasias dão o tom exato da acidez do tema.

Além das tiradas bem atuais, a escola propõe uma aliança entre Portela e Mangueira, dois dos mais emblemáticos pavilhões, para defender a dignidade do samba, “com dinheiro ou sem dinheiro”.

– São as duas escolas mais tradicionais. Elas representam muito da dignidade da história do samba. De onde viemos e o que lutamos pra chegar até aqui. Ter ali Mangueira e Portela juntas é como um abraço que a Mangueira dá na Portela e que a Portela dá na Mangueira no sentido de dizer que estão unidas nessa causa e que essa dignidade é preservada. Essa realeza ancestral das duas escolas é preservada, seja lá qual for a condição financeira. Nós vamos continuar sendo reis e rainhas, apesar do que vestimos, com luxo ou sem luxo. É olhar pras duas com a dignidade que elas representam pro Carnaval – explicou Vieira.

Foto: Divulgação

A inspiração pelo cabo de vassoura no figurino surgiu da música “Camisa Listrada”, interpretada por Carmen Miranda. Nos versão da canção tá lá:

“Abriu meu guarda-roupa,
Arrancou a combinação,
Até do cabo de vassoura,
Ele fez um estandarte, para o seu Cordão.”

– A ideia é que as escolas tem que desfilar como podem, manter o gosto pelo luxo, pelo brilho em se vestir de rei, mas brincar o carnaval como podem. A ideia de ter a bandeira na vassoura é que tem a música “Camisa listrada”, e essa música narra um folião se preparando para brincar o carnaval – encerrou.

Mangueira cancela mudança na letra do samba

A Estação Primeira decidiu cancelar a alteração mais polêmica feita no samba-enredo para o Carnaval 2018. O verso “Sou universal”, criado pela diretoria, caiu. Entre elogios e críticas, a mudança acabou não se concretizando.

Com isso, o refrão manteve a letra original do samba de Lequinho, Igor Leal, Júnior Fionda e parceria:

Eu sou Mangueira meu senhor, não me leve a mal
Pecado é não brincar o Carnaval!

Eu sou Mangueira meu senhor, não me leve a mal
Pecado é não brincar o Carnaval!

Confira outras fantasias da Mangueira:

 

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

16 − = 10