Por Luiz Felippe Reis

Subvenção cortada no meio, barracões interditados, uma longa crise brasileira… O Carnaval não vive propriamente momentos de glória, mas aos otimistas cada gesto de valorização, por mais singelo que seja, levanta uma chama necessária de esperança por dias melhores. Um caso desses rolou na noite desta quinta-feira, 9, na quadra da Unidos da Tijuca, no Centro do Rio. É que os carnavalescos Annik Salmon, Hélcio Paim e Marcus Paulo receberam uma homenagem da Alerj, a casa legislativa do estado do Rio.

Hélcio recebeu a medalha Tiradentes, honraria destinada a pessoas que prestaram relevantes serviços à causa pública do estado fluminense. Annik e Marcus ganharam uma moção de aplausos, que segue a mesma linha da comenda.

Hélcio (ao centro) ganhou a Medalha Tiradentes; Annik e Marcus receberam uma moção de aplausos da Alerj, a casa legislativa do estado do Rio, por uma iniciativa do deputado estadual Gilberto Palmares (PT) – Foto: Irapuã Jeferson

A Iniciativa foi do deputado estadual Gilberto Palmares (PT), que atendeu um pedido dos carnavalescos para que a cerimônia fosse realizada na quadra da Unidos da Tijuca, e não na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, como normalmente é. Um dos artistas valorizados, Marcus Paulo aproveitou o gancho político para alfinetar o prefeito carioca, Marcelo Crivella.

– A gente tá vivendo um momento muito difícil politicamente no Rio de Janeiro. Ele (Crivella) está com a caneta na mão, e ainda tem três anos pela frente pra nos perturbar. Mas é bom saber que ainda tem quem cuide da gente. E essa moção que o deputado Gilberto Palmares nos proporcionou é pra todos do mundo do samba se sentirem agraciados. É importante, levanta a nossa autoestima. Como é um prêmio para o Carnaval, nós pedimos que a cerimônia fosse aqui, junto da comunidade. Nos aproxima do nosso público – disse.

Marcus Paulo deu uma cutucada no prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella: ‘Ele está com a caneta na mão, e ainda tem três anos pela frente pra nos perturbar’ – Foto: Irapuã Jeferson

Emocionada durante a cerimônia, Annik Salmon ficou tocada exatamente por perceber que há, dentro da política, quem olhe com bons olhos para a festa mais popular do Brasil.

– Eu não esperava, me emocionei muito. Isso mostra que o nosso trabalho dá resultado, a gente tá conseguindo tocar certas pessoas, mesmo na política. E é bom saber que há muita gente que gosta do Carnaval, do samba. Não só gosta, ama, vive de disso. E a gente depende disso, é a nossa vida. Hoje, foi muito bom. Tô muito grata – comentou a carnavalesca, que levou pra quadra os pais, Dona Lúcia e Seu Lúcio, o irmão Alan e a cunhada Gabriela.

‘Me emocionei muito, não esperava’, falou Annik, que levou os pais para conferir a cerimônia – Foto: Irapuã Jeferson

Agora comendador do Rio de Janeiro, Hélcio Paim festejou a cerimônia realizada na quadra tijucana. Ele ganhou a medalha nove meses após um acidente grave no desfile da Unidos da Tijuca, quando a parte de cima da segunda alegoria da escola despencou em frente ao Setor 1, ferindo oito componentes do carro, no dia 28 de fevereiro.

– Foi no melhor do mundo, aqui na Tijuca. Foi um carinho, um afago. As pessoas reconhecerem nosso trabalho, com dignidade, com honestidade, respeitando as pessoas. Nós nunca pensamos em machucar ninguém e temos a consciência tranquila que não machucamos ninguém por nossa culpa – lembrou o carnavalesco, que teve o apoio na noite de celebração do companheiro Cristiano, de dois filhos e da neta Sabrina.

Carnavalesco Hélcio Paim ganhou a principal comenda do estado e lembrou do acidente da Unidos da Tijuca no Carnaval 2017, quando o artista sofreu com algumas insinuações de que seria o responsável pela queda de uma parte da alegoria tijucana – Foto: Irapuã Jeferson

Meses após a realização da perícia da Polícia Civil e do início do processo criminal na justiça, ficou comprovado: a Unidos da Tijuca não teve responsabilidade direta no acidente. A culpa, de acordo com o laudo pericial, foi de uma empresa de equipamentos hidráulicos que cuidou da engrenagem de sustentação do carro alegórico. Hélcio – especialista nas ferragens dos carros alegóricos – chegou a ser apontado, na época do desabamento do carro alegórico, como um possível responsável pelo acidente.

– A perícia foi feita, e na hora eu já sabia que a culpa não era minha, mas não podia falar nada. Tive que entubar tudo isso calado – respondeu sobre a questão em agosto ao Sambarazzo.

Logo após a cerimônia, a Unidos da Tijuca realizou ensaio de quadra e contou com boa adesão da comunidade que vibrou com o samba sobre Miguel Falabella, enredo da escola em 2018.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 18 = 19