Ilusão de ótica? Escola nega, mas escultura de diabo é a cara do prefeito Marcelo Crivella

Por Redação

Se o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), quiser mesmo terminar o Carnaval 2019 como herói na visão das escolas de samba (foi isso que ele declarou dia desses), ele precisa urgentemente conversar sobre o assunto com a Acadêmicos do Sossego, escola da Série A. É que a azul e branco do Largo da Batalha, em Niterói, está preparando uma escultura de um diabo para uma de suas alegorias e, conforme mostra a foto dos preparativos, o “coisa ruim” é de fato a cara do político.

Segundo o presidente da agremiação, Wallace Palhares, não se trata de uma referência ao evangélico. Ele garante que os traços em comum entre o demônio e o rosto do gestor municipal são mera coincidência, fruto da ilusão de ótica.

— A gente fez um diabo só. Tão dizendo que é o prefeito, e pode até ser parecido, mas não é, não. Essa é a interpretação que estão dando — afirmou o dirigente ao Sambarazzo na tarde desta segunda, 28.

Eleito em 2016, o prefeito Marcelo Crivella ainda não conseguiu ‘acertar os ponteiros’ com as escolas de samba. Este ano, por exemplo, ele disse que queria ser herói, mas vai ser representado como o diabo pela Sossego | Fotos: Reprodução/TV Globo e Whatsapp

Diretor confirmou representação

Enquanto isso, o diretor de carnaval Hugo Júnior contou outra versão da história ao portal G1. Além de confirmar a “homenagem” a Crivella, ele ainda deixou claro que se tratava de uma surpresa para o Sábado de Carnaval, quando a Sossego apresentará o enredo “Não se meta com minha fé, acredito em quem quiser”.

— É o prefeito. Estávamos terminando a obra hoje. O objetivo é fazer uma crítica política à desvalorização do carnaval por parte dele. Temos que defender nosso carnaval. Era para ser uma surpresa, mas vou me reunir com o presidente da escola e vamos decidir ainda o que vai ser feito, mas a princípio a escultura vai estar na Avenida, sim — antecipou Hugo, na contramão da posição oficial da diretoria.

Esta não é a primeira sátira a Crivella na Sapucaí. No ano passado, a Mangueira o colocou no papel de Judas, por ter traído as escolas de samba do Grupo Especial após prometer não mexer nos repasses de dinheiro público para o espetáculo. Desde que ele assumiu, a subvenção por agremiação já caiu de R$ 2 milhões para R$ 500 mil.

Em 2018, a Mangueira comparou Crivella a Judas em plena Sapucaí | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Na Série A, a expectativa é de que cada uma das 13 escolas receba cerca de R$ 250 mil, quantia autorizada por Crivella. A Sossego conta ainda com R$ 500 mil pagos pela Prefeitura de Niterói.