Por Redação

A bruxa tá solta no complexo de barracões da Cidade do Samba. Depois de dois acidentes – no Império Serrano e na São Clemente -, com uma morte (Igor Sergio, escultor-assistente da São Clemente) e uma pessoa ferida (Paulo Elias, vice-presidente de carnaval do Império) em menos de uma semana, agora foi a vez da Imperatriz Leopoldinense passar por problemas. É que um incêndio de pequeno porte tomou conta do primeiro andar da fábrica de alegorias da verde e branco na manhã desta quarta-feira, 6. Desta vez, ninguém se feriu.

O fogo se alastrou no único carro alegórico que ainda não havia sido desmontado do Carnaval 2017. O diretor de carnaval Wagner Araújo informou que o incêndio por si só não chegou a assustar, mas a fumaça acabou sendo muito intensa, porque o fogo entrou em contato com uma parte de espuma da alegoria.

A fumaceira foi tanta que apavorou até os funcionários da Mangueira – vizinha da Imperatriz na Cidade do Samba – que chegaram a desocupar o barracão da verde e rosa até que a fumaça fosse debelada.

– Era um pedaço de espuma de uma alegoria que era uma cobra. Era a última que faltava desmontar. Não havia possibilidade de pegar fogo em lugar nenhum, os outros carros são só ferro. O próprio funcionário que tava cortando os ferros, desmontando, resolveu o problema. Deve ter sido fagulha da máquina de corte. Não tô no barracão, ainda não sei o que causou o incêndio – explicou Wagner.

O fogo já foi controlado, e os operários da Imperatriz aguardam a redução da fumaça para voltar ao batente no barracão.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

31 + = 41