Lado B! Presidente da Alegria da Zona Sul é salva-vidas

Ensaiar perto da praia já é tradição da Alegria da Zona Sul (Série A) na preparação para o Carnaval e essa relação com as areias cariocas tem um laço ainda maior com a escola. É que o presidente da vermelho e branco, Marcus Vinícius de Almeida, além de comandar a agremiação pelo sexto ano consecutivo, também se divide com um compromisso muito importante: Marquinhos é salva-vidas há 25 anos.

Presidente da Alegria desde 2015, Marcus Vinícius Almeida é Guarda-vidas | Fotos: Felipe Araújo e Arquivo Pessoal
Homem ao mar! Presidente da Alegria desde 2010, Marcus Vinícius Almeida também é salva-vidas | Fotos: Felipe Araújo e Arquivo Pessoal

Copacabana, Ipanema, Leblon, Flamengo… Assim como a Alegria, Marcus passou toda sua infância pelas orlas das praias da Zona Sul do Rio de Janeiro. Ter uma vida diretamente ligada ao mar era um sonho de menino, que se tornou realidade em 1990. São mais de duas décadas salvando vidas e tirando lições de aprendizado, numa rotina que o deixa cada dia mais feliz.

– Sou nascido e criado em Copacabana, no Pavãozinho, pertinho da praia. Sempre gostei desse ambiente e em 1990 fiz concurso para o Corpo de Bombeiros e passei. Trabalho há 25 anos como guarda-vida e há pouco mais de quatro meses fui promovido a suboficial dos Bombeiros. Ser guarda-vida, pra mim, é uma filosofia. É a lição de amor ao próximo, de colocar sua vida em risco por uma pessoa que você nunca viu na vida. Levo esse pensamento na praia ou fora dela. Falta um pouco mais disso no nosso meio. Os sambistas precisam ser mais unidos – afirma o presidente.

Presidente Marquinho posa com companheiros guarda-vidas em operação | Foto: Arquivo pessoal
Presidente Marquinho (segundo da direita para a esquerda) posa com companheiros salva-vidas em operação de triagem | Foto: Arquivo pessoal

Conciliar as duas profissões não é missão fácil, mas vale a pena. Marcus tem a colaboração dos companheiros de trabalho para conseguir adaptar a agenda da melhor forma:

– Conciliar é sempre difícil, mas conto com a compreensão do meu comandante e das pessoas que trabalham comigo. Tenho que estar na contribuição. Minha escala é um pouco mais tranquila até pelo tempo de serviço que já tenho. Então, isso ajuda muito.

Dirigente já foi escalado para ficar na praia no dia do desfile

Esse desafio de apertar a agenda para dar conta do recado já fez Marquinhos suar a camisa para conseguir cumprir todos os compromissos. Se algumas vezes a Alegria já acabou ficando sem a presença do presidente, o trabalho nunca ficou na mão.

– Já teve situações de compromissos muito importantes da escola e eu estava trabalhando, aí não tinha como fazer. Mas nunca deixei de ir ao trabalho por causa do Carnaval. Muita gente não fala disso, mas muitos sambistas têm outra profissão além da folia. Em alguns anos, estava de serviço exatamente no dia do desfile da escola, mas consegui trocar a escala a tempo. É complicado, mas o samba é a minha cachaça também. Dou sempre um jeitinho apertadinho pra conseguir estar presente nos dois lados – conta Marcus.

Presidente exerce função de guarda-vidas desde 1990 | Foto: Arquivo pessoal
Presidente exerce função de salva-vidas desde 1990 | Foto: Arquivo pessoal

O tempo em que se dedica aos trabalhos na orla faz Marcus mergulhar em momentos intensos. Ao mesmo tempo que já protagonizou encontros inusitados com amigos sambistas, o dirigente já viveu situações de tensão para tentar recuperar a vida de várias pessoas.

– Já esbarrei com muito sambista na praia quando estava de serviço. Era engraçado porque muitos me paravam para falar: “Ué, você não é o presidente da Alegria?”. Assim como também passei por situações bastante complicadas. Esse ano, por exemplo, encontrei um cara parado. Sem respiração nem nada. Tive que fazer todos os procedimentos até que, graças a Deus, ele retornasse ao estado normal. Foi gratificante demais. Ver essa reviravolta é muito bom. Satisfaz a gente – revela o dirigente.

Marquinho conta com auxílio de amigos para conseguir conciliar agenda nos Bombeiros e no Carnaval | Foto: Arquivo pessoal
Marquinho conta com auxílio de amigos para conseguir conciliar agenda nos Bombeiros e no Carnaval | Foto: Arquivo pessoal

Por Rafael Arantes