Liga da justiça! Mocidade recorre à Liesa e descarta tribunais

Por Rafaella Javoski

Nesta quinta-feira, 23, a Mocidade Independente de Padre Miguel convocou uma coletiva de imprensa para anunciar as medidas que pretende tomar, lutando para reparar o equívoco do jurado de Enredo Valmir Aleixo, que justificou o 9,9 dado à escola na ausência de um destaque que não estava presente no roteiro oficial do desfile. A escola, que perdeu o campeonato exatamente por um décimo, já entrou com um recurso administrativo para requerer o título e a premiação de campeã, em divisão com a Portela.

A escola está decidida a não deixar de brigar pelo título do último Carnaval. A agremiação descarta, entretanto, chegar à justiça comum.

– Não cogitamos isso ainda – disse a advogada da escola, Valéria Stelet, que completou.

– Estamos esgotando todos os recursos administrativos, a gente tem total respeito pelo trabalho da Liesa, pelo corpo jurídico da liga. Estamos de acordo com o estatuto e temos confiança que a Liesa vai decidir com justiça – informou.

Durante coletiva de imprensa, o vice-presidente administrativo da escola, Luis Claudio Ribeiro, logo no início da coletiva deixou claro a energia que a verde e branco está empregando nessa luta.

– A Mocidade vai em busca do que é seu de direito. Não podemos pagar por um erro que não é nosso – afirmou.
.
Diretor de carnaval da Mocidade, Marquinho Marino ressaltou que todos os procedimentos para o envio do roteiro oficial de desfile foram respeitados.
.
– A Mocidade cumpriu tudo que determina o regulamento e as datas para envio de erratas da Liesa. A Mocidade não pode ser prejudicada. A Mocidade quer o título do Grupo Especial – disse Marinho
.
O recurso administrativo para dividir o título e a premiação de campeã com a Portela foi entregue nesta quinta-feira, 22, à Liesa, e o prazo estabelecido pelo regulamento é de 30 dias para que a instituição avalie o material. Após isso, caso não seja considerada campeã, a Mocidade pode recorrer a uma plenária.
.
.
Segundo a advogada Valéria Stelet, a Mocidade não pensa em tirar o título da Portela:
.
– Eles não têm culpa, mas nos também não. Entramos com o recurso administrativo pedindo a divisão do título e da premiação, e a Mocidade vai recorrer até o último momento. A Portela não tem culpa do erro do jurado. Por respeito à Portela, decidimos requerer a divisão do título e da premiação.