Mocidade campeã? Advogado da Liesa estuda recurso: ‘Queremos discutir’

Por Redação

Nesta quinta-feira, 23, a Mocidade Independente de Padre Miguel convocou uma coletiva de imprensa para anunciar as medidas que pretende tomar, lutando para reparar o equívoco do jurado de Enredo Valmir Aleixo, que justificou o 9,9 dado à escola na ausência de um destaque que não estava presente no roteiro oficial do desfile. A escola, que perdeu o campeonato exatamente por um décimo, já entrou com um recurso administrativo para requerer o título e a premiação de campeã, em divisão com a Portela.

Um dos advogados da Liesa, Dr. Nelson Almeida espera que a Mocidade cumpra o estatuto e apele apenas para as possibilidades administrativas antes de qualquer ação na justiça comum.

– Vamos aplicar o que determina o estatuto… Você não pode proibir ninguém de acionar a justiça. Nós recomendamos que a escola esgote os recursos dentro do campo administrativo da Liesa. Primeiro você entra com um recurso, o que a Mocidade já fez, depois entra com um pedido junto ao Conselho Deliberativo e por último convoca uma assembleia geral com todas as escolas fundadoras. Mas nós queremos discutir o que aconteceu, vamos analisar o requerimento feito pela Mocidade ainda – disse o advogado.

O representante do corpo jurídico, que já trabalha na Liesa há 25 anos, lamentou o impasse e exaltou a organização da liga.

– Pra gente que ama Carnaval, essa situação entristece um pouco. Temos que buscar que continue sendo o maior espetáculo da terra. Carnaval é a única coisa que funciona no Brasil, em termos de estrutura, de organização – concluiu.

O erro do jurado desencadeou uma confusão sem tamanho. A verde e branco não se conformou desde as primeiras horas após o anúncio das justificativas, na última segunda-feira, 20, e recebeu apoio de muita gente nas redes sociais. Até uma torcida organizada realizou um protesto na porta da Liesa – a liga que comanda o Grupo Especial – reivindicando o título.