Pra entrar de vez no clima de verão, o Sambarazzo abre a temporada 2017 de ensaios sensuais com uma mulata que, independentemente da estação do ano, é capaz de esquentar qualquer clima. A referida garota do tempo é Elaine Ribeiro, a linda musa da Porto da Pedra, de 34 anos, que é dona de um corpo escultural e de uma sedutora malemolência que só uma sambista de raiz pode ostentar.

Tendo como cenário a Praia de Itaipu, em Niterói, Elaine aproveitou a carcaça de sereia para mostrar que a maré tá boa pra peixe! A gata, registrada minuciosamente por nossas lentes, já foi rainha de bateria da Porto da Pedra por dois anos consecutivos, uma década atrás, e jura que vai ficar na agremiação até ser promovida a membro da Velha Guarda. Neste Carnaval, vai desfilar como musa da vermelho e branco e promete fisgar – com anzol e tudo – a atenção de cada um na Passarela do Samba.

Majestade da bateria “Ritmo Feroz” em 2006 e 2007, Elaine Ribeiro é prata da casa na Porto da Pedra e vai desfilar como musa da escola este ano. O ensaio aconteceu na Praia de Itaipu, a favorita da moça, que é fã de frutos do mar e costuma frequentar um famoso quiosque chamado “Bar do Jorginho” | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Academia é pros fracos: corpo perfeito é fruto de muito samba 

A boa forma, que vai roubar a cena na mais quente das estações e na folia, é mantida sem grandes esforços. Por não ser fã de academia, Elaine raramente malha. Ela credita o sucesso do corpaço na conta da atribulada agenda de trabalho como recepcionista bilíngue e passista-show.

– Não tenho tempo, não consigo malhar. Quando começo, dói e fico irritada. Depois, fico toda dolorida e até desisto, embora tenha vontade. Se disser que tenho preparação (pro Carnaval), vou estar mentindo. Eu só rezo pra dar tudo certo e pro corpo continuar perfeito. Acho que é a cerveja – brinca a dançarina, para inveja de boa parte da mulherada.

Os contornos esculturais de Elaine não contam com a ajudinha da malhação para serem esculpidos | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Viajada! Elaine já mostrou samba no pé mudo afora

Natural de São Gonçalo, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro onde mora até hoje, Elaine viajou o mundo divulgando o ritmo musical que embala o chamado “maior espetáculo da Terra”. As passagens por países como Canadá, Polônia e Itália levaram Elaine a colecionar experiências muito mais reais do que as chamadas “histórias de pescador”.

E, se mar calmo nunca fez bom marinheiro, o da beldade já foi agitado até demais. Elaine revela, por exemplo, que a beleza das brasileiras nem sempre é vista com bons olhos por alguns estrangeiros. Numa entrevista recente, relatou ter sofrido racismo em território internacional, além de ter sido presa ao reagir a um episódio de assédio, algo comum na rotina das meninas que buscam prestígio além das fronteiras do Brasil.

“A gente nunca fica livre do assédio”, diz Elaine | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

“Sou muito seletiva e enjoada”, afirma musa

Diferentemente do ditado bem-humorado, nem tudo que cai na rede de Elaine costuma entrar pra lista de preferências da musa, que garante saber exatamente aquilo que a faz mergulhar de cabeça num relacionamento.

– Comigo não tem “caiu na rede é peixe”, porque às vezes vem baiacu. Sou muito seletiva e enjoada. Tem que ter alguma coisa a mais, senão, não rola. A pessoa tem que ter algo que me atraia. Vou conhecer 10 mil pessoas e, se não tiver algo que capture a minha atenção, não rola. Sou muito exigente – conta Elaine, que contou com o apoio do namorado, Wander, nas duas vezes em que posou para o site. A primeira foi no ano passado, como coelhinha de Páscoa.

 

BATE-PAPO

Nome: Elaine Ribeiro

Idade: 34 anos (na flor da idade)

Signo: Touro

Local de nascimento: São Gonçalo, região metropolitana do Rio

Bairro onde mora: Mutondo, em São Gonçalo

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Meu “namorido”, Wander

Filhos? Não

Profissão: Recepcionista bilíngue e mulata-show

Cor preferida: Vermelha

Livro: Não sou muito do tipo que lê livros. Das vezes que tentei, o livro foi quem me leu. Depois disso desisti.

Filme: “O Código da Vinci”, inspirado no livro do Dan Brown

Um homem: Meu pai, Gustavo

Uma mulher: Minha mãe, Maria

Religião: Não tenho, mas me considero um pouco espírita

Novela: “Avenida Brasil”, de João Emannuel Carneiro (TV Globo)

Um Samba: Mangueira (1998), “Chico Buarque da Mangueira”

Grife: Gosto de todas, mas meus amigos me chamam de “Miss Guess”.  Gosto muito e metade do que tenho é da Guess

Não uso nunca: Bege

Perfume: La vie est belle (Lancôme Paris) e J’adore (Dior)

Não saio de casa sem: Esquecer de várias coisas e voltar umas duas vezes pra pegar. E também sem proteção a Deus. A gente sai de casa sem saber o que está por vir

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho um Fox, mas não ficaria triste se tivesse um Jeep Renegade

Cantor: Djavan

Cantora: Sem dúvidas, minha musa Beyoncé

Ator: Antônio Fagundes

Atriz: Cláudia Raia

Música: “Nem um dia” (Um dia frio…), do Djavan

O que eu quero: Um país com menos violência, o mesmo que todos, ultimamente

Gosto de ir: Ao cinema

Não gosto de ir: Às compras

Time: Flamengo

Programa de TV: O do Jô Soares

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Pretendo, um dia, vir a ser da Velha Guarda (risos)


Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borell
Assistente de iluminação: Fabiane Abreu
Apoio: Bar do Jorginho Itaipu
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Texto: João Paulo Saconi