Por Kaio Sagaz

Superação foi o que o mestre-sala Phelipe Lemos precisou ter para desfilar pela Ilha. Na semana que antecedeu às apresentações, o sambista torceu o pé em um dos ensaios de rua da escola. Phelipe conseguiu segurar as dores e acredita ter agradado os jurados.

– Tivemos um bom desempenho e vamos buscar as notas máximas. Desfilei com o pé esquerdo enfaixado, sentindo dor, mas a mobilidade foi a mesma. Os anos de Avenida nos trazem experiência e pude dar o meu melhor – contou.

Parceira de quesito, a porta-bandeira Dandara Ventapane entende que às vésperas de desfile tudo pode acontecer.

– Esse período é de muita empolgação, muitos ensaios, mas ainda bem que ele conseguiu superar esse problema. Deu tudo certo e espero que a gente consiga ter uma boa resposta com os jurados – concluiu.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

74 − = 68