Por Redação

Definitivamente a cidade do Rio de Janeiro já tem um local pra servir de ponto de encontro para os sambistas e personalidades das escolas de samba cariocas. Funcionando desde agosto na Lapa, o Baródromo se transformou no lugar predileto para admiradores do espetáculo da Sapucaí, torcedores de todas as bandeiras e para as estrelas que atravessam a Passarela do Samba durante os desfiles.

A casa, que de terça a sábado tem programação musical com clássicos de samba de roda e de sambas-enredo são destaques no repertório, recebe – praticamente todo dia – carnavalescos, rainhas e mestres de bateria, musas, mestres-salas, porta-bandeiras e dirigentes das agremiações. Decorada com fantasias, esculturas e adereços que ilustraram os desfiles do Sambódromo, um quintal a céu aberto e, ao fundo, um painel de pontilhismo que retrata a Praça da Apoteose, dão aos frequentadores o clima de folia que Felipe Trotta e Wagner Sobrino pretendiam.

– Tudo foi pensado para tornar o lugar atraente e aconchegante. A programação também é diversificada, contemplando quem curte todos os gêneros de samba. Temos feijoadas, mas também projetos especiais, como o Cabaret, apresentado pelo Milton Cunha, e o ‘Canta, canta, minha gente’, comandado pelo Raoni e pela Dandara, netos do Martinho da Vila, em comemoração aos 80 anos do avô, onde a grande atração é o repertório de sucessos do Martinho. E estamos felizes que o povo do samba esteja nos prestigiando cada vez mais – comemora Trotta.

Da lista de carnavalescos que já estiveram por lá, Marcus Paulo, Helcio Paim e Anik Salmon (Unidos da Tijuca), Paulo Menezes e Paulo Barros (Vila Isabel), Edson Pereira (Viradouro), Leandro Vieira (Mangueira) Cahê Rodrigues (Imperatriz Leopoldinense), Severo Luzardo (União da Ilha), Jorge Silveira (São Clemente) e João Vitor Araújo (Unidos de Padre Miguel) são alguns dos nomes. Entre as beldades que encantam a Sapucaí, o Baródromo já recebeu as rainhas de bateria Raphaela Gomes (São Clemente), Viviane Araújo (Salgueiro) Kamila Reis (Arranco e musa da Porto da Pedra) e Bianca Monteiro (Portela). As porta-bandeiras Squel Jorgea (Mangueira), Lucinha Nobre (Portela) e Selminha Sorriso (Beija-flor).

A gastronomia é outro ponto que vem agradando. Os nomes dos pratos, inspirados em enredos que marcaram a história do Carnaval, e a linha de petiscos criados a partir dos das comidas preferidas de bambas, como Selminha, Milton Cunha, Monarco, Ciça, Neguinho da Beija-flor e da atriz Juliana Alves, rainha de bateria da Unidos da Tijuca são outros atrativos que estão fazendo do Baródromo e melhor espaço para o samba carioca.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

62 + = 71