Papo de segunda! Porchat dispensa camarote e prefere ficar com o povão na Sapucaí: ‘Gosto de ver o desfile’

Por Redação

Com a proximidade do Carnaval, o paticumbum não é somente a pauta principal nas rodas de conversa de toda a gente bamba, como também de inúmeros debates em programas de televisão. No “Papo de Segunda”, do canal por assinatura GNT, por exemplo, os apresentadores Fábio Porchat, Emicida e João Vicente de Castro aproveitaram o debate da última semana para dividir com o público suas preferências em relação à festa das escolas de samba.

No ‘Papo de Segunda’, do GNT, Emicida, João Vicente de Castro e Fábio Porchat colocaram o Carnaval em pauta. Eles têm a companhia do filósofo Chico Bosco na atração | Foto: Juliana Coutinho/Divulgação

Carioca e mangueirense, Porchat contou aos colegas de programa que prefere acompanhar os desfiles das arquibancadas e frisas em vez de desfrutar da mordomia dos camarotes, onde costuma haver distrações que acabam desviando a atenção do espetáculo da Avenida.

— As minhas músicas de carnaval são os sambas-enredo das escolas. Hoje em dia mesmo, quando me chamam pra ir num camarote, eu falo que não quero ir ao camarote, eu gosto de ver o desfile, de cantar a música na frisa, na arquibancada. Já fui em milhões de lugares ali (na Sapucaí), porque minha avó me levava pro carnaval, pra assistir aos desfiles e eu gostava — disse o humorista, rendendo elogios também ao Carnaval de rua e as marchinhas do povo carioca.

Fábio Porchat até costuma tietar os amigos famosos entre uma visita e outra aos camarotes mais badalados da Sapucaí (na foto, ele aparece com Sabrina Sato, rainha de bateria da Vila Isabel no Rio e da Gaviões da Fiel em SP), mas garante que prefere ficar junto do povão pra aproveitar o melhor da festa | Foto: Felipe Panfili/AgNews

João Vicente de Castro também mostrou admiração pela passagem das agremiações pelo Sambódromo do Rio. No histórico dele no local, está a curtição durante o namoro de três anos com a apresentadora Sabrina Sato, enquanto ela já era rainha de bateria da Unidos de Vila Isabel. João foi companheiro fiel da japa nos bastidores dos desfiles, mesmo após o fim da relação, em 2015.

— Já desfilei na Avenida algumas vezes e é realmente uma emoção muito louca ver os carros (alegóricos) — completou o artista, que foi um dos fundadores do canal “Porta dos Fundos”, time do qual Porchat também faz parte.

João Vicente de Castro também já foi fotografado com Sabrina na Sapucaí: eles namoraram entre 2012 e 2015, quando ela já reinava à frente dos ritmistas da Vila. O ator sempre foi fiel escudeiro dela nos bastidores do Sambódromo | Foto: Felipe Panfili/AgNews

Emicida enalteceu Carnaval de SP: ‘O chão ficou mole’

O rapper Emicida ainda não viveu as emoções relatadas por Porchat e João Vicente no Rio, mas garantiu que a mesma sensação de fascínio surgiu quando conheceu o trabalho das escolas de samba que desfilam em São Paulo, no Sambódromo do Anhembi. A cidade, aliás, é a terra natal dele.

— Quando cheguei ali e vi pela primeira vez aquela multidão e os caras começaram a tocar, deu a impressão que o chão tinha ficado mole. Aquela multidão toda dançando sincronizada. A música popular no Brasil tem uma importância maior do que a música popular significa no Hemisfério Norte. Da Linha do Equador pra baixo, a música é um nível de história não oficial do povo — indicou o músico, para quem as composições de Cartola (poeta mangueirense, que morreu em 1980, aos 72 anos) podem revelar mais sobre história do que os registros oficiais.

Emicida já marcou presença na escola paulista Acadêmicos do Tucuruvi há sete anos e hoje se diz apaixonado pelo Carnaval de SP. Na ocasião, ele chegou a compor uma estrofe sobre a agremiação: ‘A honra sem tamanho / Em estar na quadra de novo / Tucuruvi fazendo história / E a vitória é do povo”, escreveu | Foto: Renato Cipriano/Divulgação

Emicida respondeu Porchat em brincadeira com rivalidade Rio x SP

Antes de relatar a experiência em território paulista, Emicida rebateu Porchat após o comediante ironizar a rivalidade entre os carnavais de SP e do RJ. Quando o cantor e compositor disse que só havia conhecido a festa da “Terra da Garoa”, ganhou como resposta uma piadinha do carioca.

— E até te peço desculpas — brincou Porchat, que nasceu no Rio e foi criado em São Paulo até os 19 anos.

A resposta de Emicida foi rápida e mostrou que ele conhece bem as origens do companheiro de atração:

— Tenha um pouco de respeito com o Carnaval de SP. Você tá traindo a sua terra — devolveu o rapper, também em tom de zoeira.

Fábio Porchat até começou a zoar sobre as diferenças entre os carnavais carioca e paulista, mas foi lembrado por Emicida  — na brincadeira — de que apesar de ter nascido no Rio, viveu grande parte da vida em São Paulo | Foto: Reprodução/RecordTV

Descontraído e mostrando que tem os sambas da Mangueira na ponta da língua, Porchat ainda incentivou Emicida a conhecer o Carnaval carioca antes de cantarolar o refrão da obra com a qual a verde e rosa foi campeã em 2002.

— É muito impressionante quem assiste ao desfile em casa falar ‘eu achei legal’. Você tem que ir lá! No Rio de Janeiro, quando você assiste aquele negócio, é de arrepiar aquela bateria cantando — lembrou o apresentador, emendando o conhecido “Vou invadir o Nordeste, seu cabra da peste (…)”.