R$ 1 milhão pra cada! Prefeitura mantém verba pra desfile do Grupo Especial

Por Redação

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) e representantes das 14 escolas do Grupo Especial se reuniram com a Prefeitura do Rio de Janeiro nesta terça-feira, 9, para definir os detalhes da verba que será destinada a cada uma das agremiações para o desfile de 2019. De acordo com Jorge Castanheira, presidente da Liesa, a subvenção será a mesma do último Carnaval: R$ 1 milhão.

A expectativa agora é de que quando ocorrerão os repasses e em quantas parcelas será paga a quantia. O prazo, segundo Castanheira, será definido até o fim da semana.

Representantes das 14 escolas do Grupo Especial participaram de reunião na sede administrativa da Prefeitura do Rio | Foto: Irapuã Jeferson

— A reunião foi boa. Estamos vendo agora o planejamento do recebimento desses recursos. Claro que, quanto mais rápido, melhor. Mas a gente entende a dificuldade orçamentária de todos os municípios. É uma crise financeira que atinge o país inteiro. Dentro do bom senso e do equilíbrio, vamos encontrar uma solução pra viabilizar esse Carnaval — explicou Castanheira.

Para a última temporada, a prefeitura depositou a subvenção em três vezes: uma parcela de R$ 450 mil foi paga em novembro; outra de R$ 450 mil em dezembro; e a última, de R$ 100 mil, entrou nos cofres das escolas após a prestação de contas das mesmas – ainda há pendências de algumas agremiações nesse sentido.

Jorge Castanheira voltou a afirmar que a volta dos ensaios técnicos faz parte do planejamento da Liga, mas que depende de verba privada | Foto: Irapuã Jeferson

Além dos representantes de todas as escolas do Grupo Especial, participaram da reunião na sede administrativa da Prefeitura do Rio, no Centro, o presidente da Riotur, Marcelo Alves, o secretário municipal de Fazenda, César Barbieiro, e o secretário municipal da Casa Civil, Paulo Messina. O encontro durou pouco mais de duas horas.

Samba vai de Uber

Além da verba pública, as escolas do Grupo Especial irão receber mais R$ 500 mil do aplicativo Uber.

O presidente da Liga, Jorge Castanheira, voltou a dizer que a entidade está trabalhando pela volta dos ensaios técnicos, mas que depende do patrocínio do setor privado. A Liesa trabalha com a possibilidade da Uber também patrocinar os treinos na Avenida.

— Nossa expectativa é encontrar uma solução logo. É o nosso projeto voltar com os ensaios técnicos, mas não sei se vai confirmar. Até o fim dessa semana, vamos marcar uma nova reunião pra decidir isso – declarou Jorge Castanheira.

Os ensaios técnicos foram cancelados para 2018 em virtude da falta de recursos financeiros. A Liesa argumentou que arcava sozinha com cerca de R$ 4 milhões para realização do evento.  Há 15 anos, os treinos faziam parte das atividades de lazer dos cariocas, sempre com entrada franca, o que garantia a lotação máxima do Sambódromo.

*Foto de capa: Irapuã Jeferson