Recomeço! Porta-bandeira da Tijuca achou que ficaria de fora do Carnaval

Por Redação

Com a saída de Jack Pessanha para o Salgueiro, a Unidos da Tijuca foi atrás de Raphaela Caboclo para ocupar o cargo de primeira porta-bandeira da agremiação. Ela, que foi dispensada do Império Serrano após quatro temporadas, não esconde a emoção de poder defender o pavilhão tijucano.

Raphaela encara a oportunidade como um recomeço na carreira, já que tinha pensado que ficaria de fora da festa em 2019. E a dançarina vai além. Caboclo chegou a acreditar que nunca mais teria uma chance no Carnaval.

Raphaela Caboclo volta a dançar com Alex Marcelino, que irá para o segundo ano consecutivo na Tijuca – Foto: Mauro Samagaio/Divulgação

– Se eu não disser que eu não pensei (em desistir do Carnaval), eu estaria mentindo. Pensei, sim, mas mudei de ideia rapidamente. Eu já tinha aceitado que pra 2019 não desfilaria, tinha outros planos. Só que, em casa, meus pais me ensinaram que na vida nada é em vão. Tudo tem um propósito. Então surgiu  a oportunidade na Tijuca, nunca iria imaginar. Fiquei muito, muito feliz. Dançar é minha vida. Amo fazer isso – vibra.

Na escola do Morro do Borel, Raphaela retoma a parceria com o mestre-sala Alex Marcelino. Os dois formaram o primeiro casal da verde e branco da Serrinha entre 2011 e 2013.

Caboclo pensou que ficaria de fora do Carnaval, antes do convite da Tijuca – Foto: Mauro Samagaio/Divulgação

– É a retomada de uma parceria bem-sucedida. Alex foi meu parceiro em momentos cruciais. Temos uma história muito bacana e forte. Isso me transmite uma segurança enorme – completa a dançarina.

Trabalho com Laíla

Raphaela ainda revelou que Laíla, novo coordenador geral de carnaval da escola, foi crucial para a contratação. A porta-bandeira nunca trabalhou com o diretor, que saiu da Beija-Flor após mais de 40 anos, entre idas e vindas, mas que quer fazer de tudo para a honrar a confiança depositada nela.

– É uma responsabilidade muito grande trabalhar com ele. O Laíla é símbolo de conhecimento no Carnaval. Nem nos meus melhores sonhos eu poderia imaginar isso. A comunidade também está me recebendo muito bem. Isso só me motiva ainda mais – conclui Raphaela Caboclo.

Raphaela foi dispensada do Império Serrano, onde ficou por quatro temporadas – Foto: Flickr Riotur

No ano que vem, a Tijuca será a última a desfilar no Domingo de Carnaval, com enredo sobre a história e simbologia do pão. No último sábado, 13, a agremiação escolheu o samba da parceria de Márcio André, Daniel Katar, Diego Moura, Channel, Maia, Renan Filho, Edson Carvalho e Junior Trindade como hino oficial de 2019.

Veja abaixo o clipe oficial do samba-enredo da Unidos da Tijuca!

*Foto de capa: Mauro Samagaio/Divulgação