Por Redação

O Carnaval da Unidos da Tijuca de 2017 vai ficar pra sempre marcado como o capítulo mais triste da trajetória da escola. A parte de cima da segunda alegoria da agremiação despencou, ferindo oito componentes do carro. Nada como um ano após o outro. Com um desfile sem falhas, a escola, de modo geral, tava radiante.

Mas em especial o carnavalesco Hélcio Paim, que foi apontado como um possível responsável na época do acidente. Ele e a Tijuca foram inocentados por perícia, mas lidar com a pressão não foi fácil. Ao fim do carnaval de 2018, Hélcio não segurou as lágrimas e desabafou:

– Sem palavras, foi a volta por cima. A alegria do nosso componente, é a nossa alegria – disse o artista.

Foto: Irapuã Jeferson

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

6 + 4 =