Por Redação

É só terminar o Carnaval, e todas as escolas de samba querem saber: “Onde foi que eu errei?”. Com as justificativas dos jurados, divulgadas duas semanas e meia após a Quarta-feira de Cinzas, a planta é dada, e então as diretorias começam a se mexer pra modificar ou pelo menos apurar o desenvolvimento de cada quesito afetado no desfile que passou.

Para os donos das notas 40, os elogios e louros da perfeição até a próxima festa. Para os mal aventurados na temporada, a corneta soa em tom de crítica, muitas vezes feroz e injusta.

De olho nas avaliações dos jurados da Liesa, a Liga Independente das Escolas de Samba, que é quem rege o Grupo Especial, o Sambarazzo quis saber quem está melhor em cada um dos quesito nos últimos cinco anos, de 2013 a 2017. O primeiro item foi Samba-Enredo, que conta com a supremacia portelense, o segundo foi Comissão de Frente, que tem a força salgueirense, na sequência veio Alegorias e Adereços, onde a Beija-Flor é soberana. Depois a Bateria, quesito que a Unidos da Tijuca domina. Mestre-Sala e Porta-Bandeira mostra a eficiência da Mangueira. A Harmonia já nem é um quesito, é uma característica da Beija-Flor. Evolução vai pela mesma linha e é dominada pela escola de Nilópolis E nesta quinta-feira, 20, seguimos a segunda edição da série de apuração pra ver como fica Fantasias, essas criações dos carnavalescos que dão cores, formas e significados aos desfiles.

Marcus Paulo, Annik Salmon, Hélcio Pain e Mauro Quintaes formaram a comissão de carnaval da Tijuca por três temporadas. Para o próximo ano, Quintaes saiu, mas deixou de legado, junto dos companheiros, ótimas notas para os figurinos tijucanos – Foto: Felipe Araújo

Unidos da Tijuca, Salgueiro, Portela e Imperatriz dominam o quesito Fantasias. Entre a líder e a quarta são apenas dois décimos. Foi no detalhe que a história se resolveu.

Se em boa parte dos rankings a Tijuca perdeu duas ou três posições pelo desfile acidentado que teve em 2017, Fantasias não sofreu impacto, e a escola do Borel ficou na liderança. É verdade que foi ali no detalhe, um décimo à frente do Salgueiro e dois adiante de Portela e Imperatriz, mas o que vale é que não dá pra negar a qualidade plástica da escola nos últimos cinco anos. De Paulo Barros à comissão de carnaval, as notas são das melhores, com destaque para 2016 com 40 pontos.

1ª Unidos da Tijuca – Fotos: Gabriel Monteiro/Riotur (2) e Michele Iassanori (1 e 3)

 

 

Os 15 anos de Renato Lage deram ao Salgueiro a certeza de desfile bonito – quase sempre até deslumbrante. Não é de se surpreender, portanto, que a vermelho e branco é uma das ponteiras. Um 9,9, que acabou descartado pela Liesa, tirou a liderança deste ranking. Nenhum mal. A escola segue nas cabeças e agora, sob o comando artístico do carnavalesco Alex de Souza, espera manter o nível pra continuar na briga pelos campeonatos.

 

2° Salgueiro – Fotos: Irapuã Jeferson, Michele Iassanori e Tata Barreto/Riotur

 

 

Mesmo em 3°, a Portela tem muito o que comemorar, principalmente ao perceber o passado recente, no qual uma nota 10 que fosse em Fantasias já era pra agradecer aos céus. Desde 2014, a Águia iniciou uma recuperação impressionante – que passou pela mudança de administração – nas avaliações de seus figurinos e saltou pro topo. Nesse recorte de cinco anos, a azul e branco de Madureira é a única a conseguir notas 40 em três anos consecutivos (2015, com Alexandre Louzada, 2016 e 2017, com Paulo Barros). Se uma nota 40 se repetir em 2018, é certo que a escola toma a ponta do ranking.

3ª Portela – Fotos: Tata Barreto/Riotur (1) e Irapuã Jeferson (2 e 3)

 

 

Recuperação também foi uma tônica para a Imperatriz no quesito. Em 2012, a verde e branco estava na rabeira do Ranking, mas mostrou a mesma força portelense para reagir. A diferença é que a escola ainda tem deixado alguns escassos décimos pelo caminho. A chegada do carnavalesco Cahê Rodrigues em 2013 deu um up na plástica da primeira tricampeã do Sambódromo e faz a verde e branco brigar na ponta da tabela.

 

 

4ª Imperatriz – Fotos: Irapuã Jeferson (1 e 3) e Fat Press/Liesa (2)

 

 

Lá embaixo na classificação até pouquíssimo tempo, a Mangueira tem que agradecer ao carnavalesco Leandro Vieira pela arrancada neste quesito. A verde e rosa ficou uma década sem conseguir três notas 10 para os seus figurinos. A última vez tinha sido em 2006, com Max Lopes. Vieira não só quebrou a escrita negativa na estreia dele em 2016 como repetiu a dose em 2017. O bom índice recente, bota a Estação Primeira fechando o Top5 em Fantasias, tirando a Beija-Flor.

 

5ª Mangueira – Foto: Gabriel Monteiro, Ronaldo Nina e Raphael David/Riotur

Beija-Flor, Grande Rio, União da Ilha, Vila Isabel, Mocidade e São Clemente, que completam o G-11 das escolas que se mantêm no Especial há pelo menos cinco anos, fecham o Ranking.

 

Fantasias