Por Redação

É só terminar o Carnaval, e todas as escolas de samba querem saber: “Onde foi que eu errei?”. Com as justificativas dos jurados, divulgadas duas semanas e meia após a Quarta-feira de Cinzas, a planta é dada, e então as diretorias começam a se mexer pra modificar ou pelo menos apurar o desenvolvimento de cada quesito afetado no desfile que passou.

Para os donos das notas 40, os elogios e louros da perfeição até a próxima festa. Para os mal aventurados na temporada, a corneta soa em tom de crítica, muitas vezes feroz e injusta.

De olho nas avaliações dos jurados da Liesa, a Liga Independente das Escolas de Samba, que é quem rege o Grupo Especial, o Sambarazzo quis saber quem está melhor em cada um dos quesito nos últimos cinco anos, de 2013 a 2017. E nesta segunda-feira, 10, começamos a segunda edição da série de apuração com a alma das agremiações, o Samba-Enredo, que ano após ano embasa o espetáculo visual e emoldura a história apresentada na Passarela.

Foto: Irapuã Jeferson

Sem dar chance às adversárias de 2013 pra cá, a Portela deixou só um décimo pra trás na caneta dos jurados. Das vinte notas dadas, 19 foram 10. Neste ano, a azul e branco voltou a tomar um 9,9 no quesito, o que não rolava há seis anos. Perdeu um décimo – que na contagem oficial foi até descartado -, mas não a liderança. No placar geral, 0,8 de frente sobre a segunda colocada. É ou não é a Majestade do Samba?

O samba da Portela de 2017 é uma composição de Samir Trindade, Elson Ramires, Neizinho do Cavaco, Paulo Lopita 77, Beto Rocha, Girão e J. Sales.

Sob a voz de Gilsinho, o samba da Portela, mais uma vez, foi um dos destaques da azul e branco na Sapucaí – Foto: Michele Iassanori

Se aproveitando de um deslize do Salgueiro no quesito em 2017, a Mangueira tomou a vice-liderança em Samba-Enredo. Foram quatro notas 10 nesta temporada com uma das obras mais festejadas do ano. A verde e rosa é a escola que mantém a maior série de avaliações máximas seguidas. Já são 13. Terceira colocada no ranking, a Imperatriz vem numa boa arrancada no item nos últimos três anos. “Axé Nkenda” (enredo de 2015), Zezé Di Camargo e Luciano (enredo de 2016) e agora o Xingu fizeram bem ao contexto sonoro da verde e branco; na escola do Palácio do Samba as mulheres de Mangueira, Maria Bethânia e a pegada religiosa deram bons frutos.

Em relação ao ano passado, Imperatriz e Mangueira deixaram o Salgueiro para trás. A escola de Ramos, de quebra, anda passou a Vila Isabel, saindo de quinto para terceiro.

O samba da Mangueira de 2017 é uma composição de Lequinho, Júnior Fionda, Flavinho Horta, Gabriel Martins e Igor Leal

O samba da Imperatriz de 2017 é uma composição de Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna

Ciganerey em mais um desfile inesquecível da verde e rosa, guiado por um dos melhores sambas da safra – Foto: Gabriel Monteiro/Riotur
Estreante no Especial, Arthur Franco conduziu o samba-enredo da verde e branco neste ano – Foto: Irapuã Jeferson

Segundo os jurados, o Salgueiro teve um desfile quase perfeito. A curva descendente nessa regularidade foi exatamente no samba, que vinha sendo um dos pontos fortes da Academia, como em 2014, 2015 e 2016. Cinco décimos a menos nesta temporada, e a vermelho e branco caiu de vice-líder para o quarto posto. “Fama” (enredo de 2013) ainda pesa negativamente na contagem dos pontos.

Com três desfiles frustrantes nos últimos quatro anos, a Vila Isabel tem normalmente no samba-enredo o trunfo para conseguir notas 10.  Mesmo com posições decepcionantes em 2014 (10°), 2015 (11°) e 2017 (10°), a escola sempre arruma uma avaliação máxima no quesito. Só Vila e Portela tiveram pelo menos uma nota dez em todos os anos de 2013 pra cá em Samba-Enredo.

O samba do Salgueiro de 2017 é uma composição de Marcelo Motta, Fred Camacho, Guinga do Salgueiro, Getúlio Coelho, Ricardo Neves e Francisco Aquino

O samba da Vila Isabel de 2017 é uma composição de Artur das Ferragens, Gustavinho Oliveira, Danilo Garcia, Braguinha e Rafael Zimmerman

Salgueiro tem um bom retrospecto de sambas nos últimos anos – Foto: Reprodução/Internet
Igor Sorriso mais uma vez defendeu as cores e o samba-enredo da Vila Isabel em 2017 – Foto: Irapuã Jeferson

Beija-Flor, Tijuca, Mocidade, Grande Rio, União da Ilha e São Clemente, que completam o G-11 das escolas que se mantêm no Especial há pelo menos cinco anos, fecham o ranking.

SAMBA-ENREDO

O ranking do Sambarazzo compreende todas as notas aferidas pelos jurados nos últimos cinco anos, não considerando os descartes regulamentares da Liesa – Fonte: Site oficial da Liesa

 

Confira a Série Ranking de Samba-Enredo em 2016:

Série Ranking! As melhores e piores em Samba-Enredo nos últimos 5 anos