Por Luiz Felippe Reis

Talento indiscutível entre os cantores do Carnaval carioca, Zé Paulo Sierra poderia estar bem longe dos microfones. É que há cinco anos o intérprete teve que usar a garra demonstrada na Avenida para enfrentar um drama: ele descobriu uma leucoplasia na prega vocal direita. A doença se apresenta como uma mancha branca e é cancerizável, ou seja, aumenta a chance do surgimento de um câncer.

O primeiro diagnóstico, em outubro de 2012, quando Zé era cantor da Mangueira, apontou a possibilidade de ser um tumor. Dias depois, ele passou por uma cirurgia e removeu a lesão pré-cancerígena, ficando dois meses afastado. O contratado da Viradouro lembra do momento, o mais assustador da vida dele.

– Você pira, porque não se sabe o que é. E eu fiquei bem assustado, preocupado, tinha compromissos. O primeiro diagnóstico foi de que poderia ser um câncer. Tinha que fazer uma cirurgia de urgência pra verificar o que era de fato – lembrou Zé Paulo, que na época dividia o comando do carro de som da Mangueira com Luizito, Ciganerey e Agnaldo Amaral.

Susto! Zé Paulo passou por drama antes do Carnaval de 2013: uma lesão pré-cancerígena surgiu numa das cordas vocais e quase tirou o cantor de combate – Foto: Felipe Araújo

O susto virou uma grande lição para o intérprete. Ele continua seguindo orientações de profissionais qualificados e costuma manter uma rotina de trabalho para não sobrecarregar as cordas vocais. A gratidão aos especialistas que ajudaram na recuperação é como um grito de guerra para o cantor:

– Descobri pessoas maravilhosas que me ajudaram muito. O Dr. Luciano Neves (Otorrinolaringologista), Maria Alvim (Professora de canto) e a Dr. Renata (Fonoaudióloga). Esse trio foi fundamental na minha recuperação, a minha família também. Tive ajuda de amigos até financeiramente, porque meu plano não cobria tudo. Mas graças a Deus deu tudo certo, rapidamente voltei a cantar. Me operei em novembro e voltei em janeiro. O aprendizado é o cuidado. É o meu instrumento de trabalho, né? Tô sempre me cuidando. Foi um perrengue, mas foi um mal que veio para o bem, porque eu passei a me cuidar, voltei melhor.

‘O aprendizado é o cuidado’, ensina Zé Paulo – Foto: Felipe Araújo

Na época, Zé Paulo ficou fora de combate em vários ensaios da Mangueira e só voltou em janeiro de 2013, no ensaio técnico da verde e rosa na Sapucaí. Ele agradece ao presidente da escola na ocasião, o sambista Ivo Meirelles.

– Agradeço especialmente também ao Ivo Meirelles (presidente da Mangueira em 2012 e 2013), que compreendeu prontamente, me deu uma licença remunerada de dois meses. Fiquei afastado em novembro e dezembro. Então, o Ivo foi uma pessoa importante nesse processo também – agradeceu.

Quando descobriu a doença, Zé Paulo era da Mangueira – Foto: Reprodução/Internet

Totalmente recuperado, ele desfilou pela Mangueira em 2013 e, logo depois, partiu para a Viradouro e disputou na vermelho e branco os carnavais de 2014, 2015, 2016 e 2017. Em 2018, ele se prepara para o quinto ano consecutivo na representante de Niterói.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 16 = 17