Por Redação

Em três passagens pela presidência, Fernando Horta tem quase 30 anos de comando na Unidos da Tijuca. Mas, pelo jeito, essa longa história começa a chegar nas páginas finais. É que o dirigente abriu o coração e disse ao Sambarazzo que planeja a transição de poder da escola de samba.

– Sem uma boa gestão, a gente não teria chegado onde chegamos. Mas eu sinto que meu ciclo tá acabando, tô cansado, são muitos anos. Vamos dar oportunidade a outras pessoas. Quero ficar um pouco quieto, desgasta muito. Cada ano você tem que matar um leão ou dois, é complicado.

Foto: Irapuã Jeferson

Sobre o desfile em homenagem a Miguel Falabella, Horta tá bem otimista:

– É um Carnaval forte do jeito que a Tijuca vem colocando há muitos anos. Temos uma equipe muito boa.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

− 1 = 5