Por Redação

Rolou nesta terça-feira, 8, a segunda edição do “Tacada de Mestre”, torneio de sinuca do Sambarazzo que bota toda boemia e cultura do botequim pra jogo dos mestres de bateria e mestres-salas do Grupo Especial e da Série A do Carnaval carioca.

Com apoio do Feijão Máximo, do Babado da Folia, da King Instrumentos, da Enseadas, da Ritmo Brasil, da Tao empreendimentos, da Braço Forte, da Farinha Campista, da Mr. Vil e de O Rei da Feijoada, uma grande estrutura foi montada no barracão 1 da Cidade do Samba, no Centro do Rio – gentilmente cedido pela Liesa -, para sediar o campeonato, que teve de tudo, e foi transmitido ao vivo pelo Facebook do Sambarazzo.

Os mestres-salas Marcinho Siqueira (Mocidade), Sidclei Santos (Salgueiro), Daniel Werneck (Grande Rio), Thiaguinho Mendonça (Imperatriz), Phelipe Lemos (Ilha), Fabrício Pires (São Clemente) e Raphael Rodrigues (Vila Isabel), Matheus André (Unidos da Tijuca), Marlon Flores (Tuiuti), Julinho (Viradouro), Vinicius Antunes (Unidos de Padre Miguel), Rodrigo França (Porto da Pedra), David Sabiá (Rocinha), Jeferson Souza (Império da Tijuca), Paulo Costa (Renascer), Peixinho (Inocentes), Weslley Cherry (Sossego), Paulo Roberto (Alegria) e Diego Falcão (Unidos de Bangu) participaram do “Tacada de Mestre”.

– Esse torneio é o maior barato! Contribui para o Carnaval, é uma interação que não temos normalmente – pontuou o mestre-sala da São Clemente, Fabrício Pires.

De mestres de bateria, brincaram na competição promovida pelo site Nilo Sérgio (Portela), Dudu (Mocidade), Rodrigo Explosão e Vítor Art (Mangueira), Rodney (Beija-Flor), Lolo (Imperatriz), Ciça (Ilha), Chuvisco (Vila Isabel), Polinho (Tuiuti), Gilmar (Império Serrano), Maurão (Unidos do Viradouro), Dinho (Unidos de Padre Miguel), Júnior (Rocinha), Jordan (Império da Tijuca), Washington Paz (Inocentes), Átila (Sossego) e Léo Capoeira (Unidos de Bangu).

– Ficamos num casulo durante o Carnaval, ficamos longe uns dos outros, então é muito legal uma inciativa como essa. Todo mundo brinca, todo mundo confraterniza…é muito bom ver a rapaziada – disse mestre Ciça, da União da Ilha.

Com direito a muita zoação entre os participantes, o campeonato durou mais de cinco horas e teve 39 jogos. A 1ª fase contou com 36 jogadores, a 2ª teve 20, a terceira 10, e na quarta fase foram 6. Aí, veio a semifinal e a grande final, disputada por mestre Lolo (Imperatriz) e mestre-sala Raphael Rodrigues (Vila Isabel), que ficou com o bicampeonato – ele venceu o primeiro torneio, realizado em abril.

– É louvável reunir os amigos e colegas num ambiente como esse. Muito bacana mesmo – elogiou Rodney, mestre de bateria da Beija-Flor de Nilópolis.

Para o mestre-sala da União da Ilha, Phelipe Lemos, a competição é uma oportunidade de surgirem novas amizades entre os sambistas:

– É um momento de descontração da galera, onde todos podem se conhecer melhor, isso é maravilhoso. É bom pra todo mundo estreitar laços.

Na primeira fase se classificaram: Weslley Cherry, Daniel Werneck, Thiaguinho Mendonça, Raphael Rodrigues, Julinho, Rodrigo França, David Sabiá, Jeferson Souza, Paulo Costa, Paulo Roberto, Diego Falcão, Dudu, Rodney, Lolo, Ciça, Chuvisco, Polinho, Dinho, Júnior e Jordan.

Na segunda etapa passaram: Weslley Cherry, Jordan, Diego Falcão, Lolo, Paulo Costa, Ciça, Polinho, Thiaguinho Mendonça, Raphael Rodrigues e Paulo Roberto.

– Achei sensacional! A galera do samba se gosta, mas é difícil todos se encontrarem informalmente. Nos vemos entre quadra e Sapucaí só. Esse evento deveria ser multiplicado – pediu Thiaguinho Mendonça, mestre-sala da Imperatriz Leopoldinense.

Com o TOP10 definido, o “Tacada de Mestre” partiu pra reta final. Para a fase com seis atletas, Weslley Cherry, Paulo Roberto, Lolo, Raphael Rodrigues, Polinho e Paulo Costa se qualificaram.

– O público tem que ver que o Carnaval não tem rivalidade além da Sapucaí. Isso é magnífico – sentenciou Sidclei, mestre-sala do Salgueiro.

Após mais uma série de jogos, foram pras semifinais o quarteto Weslley Cherry, Lolo, Raphael Rodrigues e Paulo Costa.

Na decisão, não deu outra: Raphael Rodrigues, da Vila Isabel faturou o bicampeonato do “Tacada de Mestre”, desta vez em cima do mestre de bateria Lolo – na primeira edição ele bateu o experiente e dono da maior torcida durante a transmissão, mestre Ciça (o “Caveira”, da União da Ilha).

– Competição já rola o ano todo, essa época é pra descontrair. Nos ensaios, não podemos beber e relaxar, vale a pena, pelo divertimento – destacou Julinho, mestre-sala da Viradouro.

A transmissão foi comandada pelo narrador Marcelo Barros com comentários de Luiz Felippe Reis e reportagens de Ricardinho Pires e Irapuã Jeferson. A produção de vídeos foi da Time Cine.

– Já repercutiu muito a primeira vez que ganhei, achei sensacional – finalizou o bicampeão Raphael Rodrigues, que além do troféu de vencedor levou pra casa um óculos de realidade virtual com controle remoto, mimo ofertado pela 2ML Brindes, também parceira do Sambarazzo.

Confira as fotos! Irapuã Jeferson e Ricardinho Pires

Mestre-sala da Ilha, Phelipe Lemos foi eliminado logo no jogo de abertura do “Tacada de Mestre”

Mestre-sala da Sossego, Weslley Cherry ficou com o bronze, ou 3° lugar, do “Tacada de Mestre”. Ele eliminou Phelipe Lemos (mestre-sala da Ilha), Chuvisco (mestre de bateria da Vila Isabel), Jordan (mestre de bateria do Império da Tijuca) e Paulo Roberto (mestre-sala da Alegria da Zona Sul); perdeu na semifinal pro Raphael Rodrigues (mestre-sala da Vila e bicampeão do “Tacada”) e ganhou o terceiro lugar de Paulo Costa (mestre-sala da Renascer)

Mestre de bateria da Unidos de Bangu, mestre Léo cometeu suicídio, quando dominava o jogo, e perdeu para Daniel Werneck (mestre-sala da Grande Rio), logo na primeira fase
Viradouro x São Clemente! Os mestres-salas Julinho e Fabrício se enfrentaram na 1ª fase; melhor para o dançarino da escola de Niterói

Mais um duelo de mestres-salas! Diego Falcão, da Unidos de Bangu, venceu Marcinho, da Mocidade

Nilo Sérgio, mestre de bateria da Portela, participou do torneio pela primeira vez

Representando a Unidos da Tijuca, o mestre-sala Matheus André caiu diante de Paulo Roberto, mestre-sala da Alegria

Bom jogador no primeiro “Tacada de Mestre”, o mestre de bateria da Mangueira, Vitor Art, não resistiu ao comandante dos ritmistas da Unidos de Padre Miguel, Dinho Lima

 

 

Num dos memoráveis jogos da primeira fase, mestre Dudu, da Mocidade, caiu no duelo contra o mestre-sala Jeferson Souza, do Império da Tijuca

 

Num duelo de amigos mestres de bateria, Lolo, da Imperatriz, bateu Maurão, da Viradouro

Mais uma partida entre mestres-salas, e Marlon Flores, da Tuiuti, perdeu para Rodrigo França, da Porto da Pedra

O favorito mestre Ciça começou bem o campeonato, batendo o mestre-sala da Unidos de Padre Miguel, Vinicius

 

 

Mestre-sala do Salgueiro, Sidclei não resistiu ao bom jogo de David Sabiá, da Rocinha, logo na primeira eliminatória
Mestres de bateria se encontram! Polinho, da Tuiuti, superou Washington, da Inocentes
Mestre de bateria da Sossego, Átila sucumbiu ao ‘sinuqueiro’ Thiaguinho Mendonça, mestre-sala da Imperatriz
Mestre de bateria do Império Serrano, Gilmar até foi bem, mas foi eliminado por Júnior, que comanda os ritmistas da Rocinha, na última partida da 1ª fase
Juntou a galera! Contando com a torcida da maioria ampla dos mestres de bateria e mestres-salas no jogo contra o bicampeão do “Tacada” Raphael Rodrigues, Peixinho, mestre-sala da Inocentes, quase tirou o mestre-sala da Vila do campeonato

FOTOS DA FINAL:

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

+ 64 = 71