Tristeza da Alegria da Zona Sul! Escola da Série A não sabe se desfile terá alegoria: ‘Somos o filho feio’

Por Redação

Faltando menos de 100 dias para os desfiles oficiais das escolas de samba, duas agremiações da Série A não fazem ideia de como irão construir as alegorias do próximo ano. Alegria da Zona Sul e Acadêmicos do Santa Cruz estão sem os barracões e apelam para as autoridades municipais na tentativa de colocar o carnaval na rua.

A situação mais grave é da vermelho e branco de Copacabana. Em conversa com o Sambarazzo, o presidente Marcus Almeida explicou que atualmente os carros alegóricos estão num terreno na Avenida Brasil, no bairro do Caju, ao lado do antigo Sabão Português. Entretanto, o lugar não oferece estrutura alguma, já que não possui nem teto.

Presidente da Alegria, Marcus Almeida, disse viver o pior momento no Carnaval – Foto: Arquivo

– Não existe lugar pra gente. Somos os filhos feios. Só tem a Lierj (liga que organiza os desfiles da Série A do Rio de Janeiro) correndo atrás de ajuda pra gente. Não sei como vamos fazer. Estou no Carnaval desde 1978 e é o pior momento que a escola vive. O poder público virou as costas pras escolas de samba – lamentou Marcus.

Apesar disso, o dirigente já começou a reproduzir as fantasias que irão passar pelo Sambódromo em 2019. Ele só não sabe se a Alegria desfilará com alegorias.

– Meu problema são os carros. Se vou com carro ou sem carro, não sei. Não temos onde fazer – afirmou.

Alegria da Zona Sul está em terreno sem teto, na Avenida Brasil – Foto: Arquivo

“Estamos tentando resolver”

A situação da Santa Cruz é parecida com a da Alegria. O barracão da escola está lacrado por causa de uma ordem judicial. É que o terreno, localizado na Zona Portuária do Rio, pertence a uma empresa privada.

Presidente da Santa Cruz está confiante em resolver impasse com barracão – Foto: Arquivo

Presidente da escola, Zezo diz que está conversando com representantes do imóvel e espera encontrar uma breve solução:

– Meu barracão hoje está lacrado. Nem eu posso entrar lá. Mas, como eles não estão usando pra nada aquele espaço, vamos ver se eles se sensibilizam e nos deixam fazer o desfile lá. A condição é a gente fazer, sair e não voltar mais. Estamos negociando isso.

O dirigente também contou que as fantasias criadas pelo carnavalesco Cahê Rodrigues já estão sendo produzidas em outro local. Ano que vem, a escola da Zona Oeste fará uma homenagem para a atriz Ruth de Souza.

– A alegoria que é o problema, mas vamos resolver da melhor forma possível. Temos esperança – finalizou Zezo.

*Foto de capa: Arquivo

Barracão! Liga da Série A quer abrigar escolas desalojadas na Av. Brasil

Sem teto! Escolas da Série A terão que deixar barracão na Zona Portuária do Rio

Órgão da prefeitura quer demolir barracões da Série A