Último adeus! Corpo de Dona Ivone Lara será velado na quadra do Império Serrano

Por Redação

O corpo de Dona Ivone Lara, uma das principais sambistas do país e do Império Serrano, será velado ainda nesta terça-feira, 17, na quadra da verde e branco do Morro da Serrinha, na Zona Norte do Rio. O enterro deve ocorrer no Cemitério de Inhaúma, mas não tem horário confirmado. A cantora morreu na noite desta segunda-feira, 16, por conta de um quadro de insuficiência cardiorrespiratória. Ela estava internada desde a última sexta-feira, 13, data em que completou 97 anos, no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da Coordenação de Emergência Regional (CER), no Leblon, na Zona Sul da cidade.

Dona Ivone Lara morreu aos 97 anos – Foto: Arquivo

Nas redes sociais, diversos sambistas postam homenagens para a dama do samba, como era carinhosamente chamada. Arlindinho, filho de Arlindo Cruz, enalteceu a “mulher negra que venceu todas as batalhas”. A baiana Daniela Mercury também prestou sua último adeus para Dona Ivone:

“A Rainha do Samba se foi e vai deixar muita saudade. Mas o seu exemplo e seus sambas extraordinários continuarão a fortalecer as mulheres, os negros, o Brasil e o povo brasileiro. Salve Dona Ivone Lara!”, escreveu Daniela Mercury.

Dona Ivone Lara deixa três netos, nora e o filho caçula. Seu primogênito, Odir, morreu na década de 70. Em 1975, o marido da sambista não resistiu após um acidente de carro.

Dona, dama, diva

Nascida em Botafogo no dia 13 de abril de 1921, Ivonne Lara da Costa demonstrava um talento excepcional desde a infância, a facilidade na composição. Filha de mãe cantora, pai violonista e com um tio cavaquinhista – era na casa dele onde assistia às rodas de samba e choro. Aos 12 anos, ela compôs sua primeira canção, o samba de partido-alto “Tié, Tiê”.

Em 2012, a cantora foi enredo do Império Serrano – Foto: Raphael David|Riotur

Em 1965, a mais nova integrante da Ala dos Compositores do Império Serrano compôs, com Silas de Oliveira e Bacalhau, o clássico samba-enredo “Os Cinco Bailes Tradicionais da História do Rio”. Aposentada em 1977 da carreira como enfermeira, passou a dedicar-se exclusivamente à carreira artística. Entre os intérpretes que gravaram suas composições destacam-se Clara Nunes, Roberto Ribeiro, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Paula Toller, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Mariene de Castro, Roberta Sá, Marisa Monte e Dorina.

Em 2002, Dona Ivone Lara foi a grande homenageada do prêmio Shell e, em 2012, escolhida como tema do enredo do Império Serrano. Ao longo da carreira, Dona Ivone Lara compôs mais de 300 canções e gravou cerca de 20 discos.