Por Redação

Marcado pelo estilo inovador, Paulo Barros escolheu uma forma inédita de apresentar a sinopse do enredo aos compositores. Nesta segunda-feira, 11, o artista fez uma leitura dramatizada do tema “Viraviradouro!” e explicou de forma lúdica o que pretende levar para a Sapucaí com a vermelho e branco de Niterói no Carnaval 2019.

Acompanhado do ator Marcelo Souza (intérprete da personagem Suzzy Brasil), Barros foi ator por um dia e encenou o texto que deve guiar os poetas durante o processo de composição dos sambas-enredo. O evento foi transmitido ao vivo pelas redes sociais do Sambarazzo e da própria agremiação.

Marcelinho Calil, presidente da Viradouro, e o ator Marcelo Souza ao lado de Paulo Barros durante o evento que marcou a entrega da sinopse do enredo da vermelho e branco aos compositores | Foto: MuitaMídia Comunicação

Paulo Barros: ator por um dia

Num cenário composto por uma cadeira de balanço e uma estante repleta de objetos que só encontramos na casa dos nossos avós, Paulo Barros assumiu o papel de um neto que adora ouvir as histórias da avó, ali representada por Marcelo Souza. O enredo foi inserido na encenação a partir de um livro de histórias intitulado “Viraviradouro”, que ganhou voz através da narração do ator profissional.

Para o carnavalesco, a aventura em cima do palco foi uma oportunidade de transmitir aos compositores o que a Viradouro pretende fazer na briga pelo troféu de campeã. O carnavalesco, inclusive, brincou com o próprio desempenho interpretando um texto teatral.

—  Como ator, estou tentando ser carnavalesco (risos). Não tenho pretensão nenhuma, mas senti que era necessário apresentar a sinopse desta maneira. Porque a sinopse é exatamente este texto dramatizado entre o neto e a avó. A gente quer trazer alegria, satisfação e ver o público sorrir e se divertir quando a Viradouro passar. E vamos entrar para disputar o título, porque estamos resgatando uma força incrível que já temos — explicou Paulo Barros.

Ao lado do ator Marcelo Souza e de Susie Monassa, vice-presidente da Viradouro, Paulo Barros posa após apresentar o enredo “ViraViradouro” aos compositores da escola | Fotos: MuitaMídia Comunicação

Uma década depois…

De volta à escola de Niterói 10 anos a primeira passagem, que durou dois carnavais, o artista revelou que sente como se não tivesse deixado de estar presente no universo da vermelho e branco.

—  É engraçado como a gente fica afastado da escola e, quando retorna, parece que nunca saiu. As pessoas me tratam com muito carinho e eu as trato da mesma maneira. A Viradouro é apaixonante — elogiou Barros.

Compositores terão dois meses para criar sambas-enredo

Presentes em grande número para acompanhar a leitura da sinopse e levar o texto pra casa, os compositores da Viradouro estarão de volta à agremiação com os sambas-enredo prontos para a disputa daqui dois meses, no dia 11 de agosto. Antes disso, poderão tirar dúvidas sobre o tema com o próprio Paulo Barros em três datas diferentes: nos dias 28 de junho, 12 de julho e 2 de agosto (sempre entre 19h e 21h30). A data da final de samba-enredo, quando será escolhido o hino oficial para 2019, também foi divulgada: será no dia 29 de setembro, um sábado.

Samba-enredo como protagonista

Para Marcelinho Calil, presidente da Viradouro, os sambas-enredo têm sido um fator determinante nos resultados do Carnaval. Por isso, segundo o dirigente, a escola decidiu investir numa exposição mais elaborada da sinopse voltada para os músicos da casa.

— O samba-enredo voltou a ser o protagonista do Carnaval. Dificilmente um grande desfile será vitorioso sem um bom samba. Esse foi o recado que a Sapucaí nos deu no último desfile. Estamos depositando muita confiança em nossos compositores e vamos dar as ferramentas pra que possam fazer a melhor obra possível — destacou o gestor, em discurso que precedeu o evento.

O esforço feito pela administração da Viradouro para permanecer no Grupo Especial após duas temporadas na Série A (entre 2010 e 2014 e, depois, 2016 e 2017) foi destacado por Marcelo Calil, presidente de honra da escola.

— Tem sido 24h de trabalho, não paramos um minuto. Todos têm noção das contratações que fizemos: trouxemos um carnavalesco de peso, uma nova comissão de frente com o (coreógrafo) Alex Neoral, voltamos com um mestre amado, que é o Ciça, e mantivemos os diretores que precisávamos. Estamos investindo muito na escola, porque ascender ao Especial era um sonho de todo mundo da antiga — afirmou Calil.

Confira na íntegra a transmissão da leitura da sinopse da Viradouro para o Carnaval 2019!

Leia a sinopse completa!

VIRAVIRADOURO!

Cresci ouvindo as histórias que Vovó me contava desde muito pequeno. Lembro-me bem de uma das últimas noites em que sentei ao seu lado para ouvi-la sem hora para terminar. O tempo parecia não existir, mas a verdade é que ele havia me alcançado e, sem que eu percebesse, toda a fantasia dos tempos de criança se desfez. Até que… naquela noite inesquecível, ela me chamou mais uma vez e, com um olhar misterioso, disse: “Venha… quero lhe mostrar um segredo!”.

De uma pesada gaveta da estante, sacou um antigo volume de capa de couro escura, com o título: VIRAVIRADOURO! O LIVRO SECRETO DOS ENCANTOS. E ordenou: “Preste bem atenção… porque essa é a palavra mágica que transformará nosso conto em encanto. E tudo o que acontecer daqui por diante deve ficar entre nós…”, e soltou uma gargalhada impressionante… Vovó, uma bruxa??? O que se passou a partir daquele momento é o que vamos descobrir agora.

Sentei curioso, ao seu lado, com saudades de ouvi-la contar mais uma das deliciosas aventuras que animaram a minha infância. Vovó começou: “Conhecemos histórias muito antigas, que chegam até nós através de livros e de contadores. Elas guardam mistérios sem fim!”, disse, enquanto abria as páginas do PRIMEIRO CAPÍTULO. E pôs-se a ler, apontando o título: “ENCANTADORES podem realizar desejos impossíveis ou lançar terríveis maldições. O pouco que se sabe sobre eles está oculto em livros muito antigos; habitam um universo enigmático e mágico. Você nunca deve zombar ou duvidar da força que possuem”. E lançou um feitiço:

“Se um Deus quiser, faz a terra tremer… ao gênio da lâmpada, você contará seus desejos; o encanto da fada faz a sorte mudar; cuidado com o diabo e sua maldição; mas é com a bruxa que começa a viração: Viraviradouro vai virar!”.

Essa palavra mágica abre os caminhos por onde entram os ENCANTADORES. Deuses, gênios, fadas madrinhas, demônios e bruxas surgem de todos os cantos e dos contos, para mostrar seus incríveis poderes capazes de provocar grandes transformações. Eles saem do livro e viram aventura na vida, na Avenida.

Vovó sorri, ao perceber minha alegria, e diz: “É com eles que começa toda a magia. Vamos ver o que traz o SEGUNDO CAPÍTULO”. E, virando as páginas mais uma vez, exclama: “Ah, os ENCANTADOS CONTOS DE FADAS! Quanta magia nos encanta desde que somos bem pequenos… Veja que linda moça dançando com seu amado, na noite do Baile Real. Parece uma princesa! Mas logo se quebrará o encanto e ela voltará a ser a pobre órfã entregue aos maus-tratos de sua madrasta. A próxima é a curiosa menina que se aventura no País das Maravilhas: experimentando de tudo, ela se transforma ao longo do caminho e até enfrenta uma rainha má. Quantas mudanças, não?”.

Pegando a folha envelhecida com a ponta dos dedos, Vovó passa mais uma página: “Esse aqui é o bichano esperto, que calça um par de botas para percorrer muitas léguas velozmente. O gatinho engana a todos e, com sua inteligência, conquista riquezas e muda o destino de seu dono”. O rosto de Vovó se ilumina, ao perceber quem está na página seguinte: “Olhe aqui, que belo soldadinho esculpido em chumbo! Lembra? Os brinquedos ganham vida durante a noite, e ele e sua bailarina de papel, enamorados, sofrem com a inveja de um cruel feiticeiro e acabam desaparecendo nas chamas de uma lareira. Tão triste como o castigo da bruxa, que transforma um príncipe arrogante em horrível besta e todos os criados de seu castelo em objetos falantes e encantados, até que ele aprenda a amar e ser amado. Mas o final dessa história é feliz… Eles se apaixonam e o feitiço se desfaz…”.

E continua: “Veja aqui, o TERCEIRO CAPÍTULO é sobre AMALDIÇOADOS e guarda uma perigosa magia. Muitos são os seres mitológicos condenados a viver o destino escolhido pela ira ou por capricho divino. Mais antigos do que a própria história, nobres ou pobres mortais, monstros ou heróis ousaram desafiar os deuses ou desejar mais do que deveriam, assim como o ambicioso rei que conquistou o poder de transformar tudo o que tocasse em ouro e seu maior desejo virou sua maldição. Pobre coitado! Não podia se alimentar, nem abraçar seus entes queridos. Ah, sim… E essa é a habilidosa tecelã transformada em uma aranha, por ousar competir com a deusa das artes do Olimpo. Presa a sua teia, ela passou a fiar seus lindos e perfeitos bordados, cada vez mais e mais…”.

O que mais está escrito no VIRAVIRADOURO? “Quem pode nos dizer é Merlin, mestre na arte da magia. O poderoso mago conhece como ninguém os mistérios da vida e da morte, dos homens e dos deuses. Dizem que Merlin ajudou a escrever esse livro”, confessa Vovó, sussurrando em meus ouvidos. Será? A magia está no ar…

“Muito cuidado agora! Feche os olhos, não olhe diretamente para ela! Fuja do terrível encanto, para não virar pedra. Essa bela sacerdotisa foi transformada, pela deusa do seu templo, em um dos mais temidos monstros da mitologia grega, após ter sido seduzida pelo deus do mar.”

Então, Vovó me pergunta, desafiando minha curiosidade: “Você conhece o navio fantasma holandês, que causa medo aos navegantes há séculos? Essa é mais uma das terríveis maldições que atormentam os sete mares. Assustadores piratas são condenados a vagar pela eternidade, em busca de liberdade, por terem desafiado a vontade dos deuses”. Lembro-me de ter visto essa assombração num filme, aliás, como muitas outras histórias. Os fantasmas pareciam tão reais na tela do cinema! Vovó sorri novamente: “Todos metem muito medo”, diz enquanto espera a legião de seres do mal, que evoca ao virar mais uma página do livro.

A noite avança e já é madrugada quando chegamos ao QUARTO CAPÍTULO: CRIATURAS DA NOITE. Está escrito: “São os filhos da escuridão que vagam pela terra ou se escondem debaixo dela, criaturas que espreitam as sombras ou caminham famintas sob a luz da Lua; por ambição, vingança ou pacto com o demônio, perderam a paz e seguem penando para todo o sempre”.

Vovó continua a leitura: “O sarcófago range e a amaldiçoada múmia do antigo Egito acorda de seu sono eterno; a Lua cheia desperta a ira do lobisomem, que andava quieto, metido no corpo de um pobre coitado; e os vampiros vagam à procura do sangue de suas vítimas inocentes, que em pouco tempo se transformam para aumentar essa legião de mortos-vivos famintos!”. Diante de toda maldade do mundo, quis saber se existiam encantos para derrotar o medo. “Existem homens corajosos que lutam contra todo tipo de crueldade. Esse lendário caçador de monstros é um deles. Já ouviu alguma de suas extraordinárias aventuras? E existem tantos outros que não acreditam que o mal possa dominar o mundo. Alguns são tão fortes que entregam a alma ao diabo, porém usam seus poderes contra ele ao longo de muitos séculos e gerações! Sim, as assombrações também se renovam. Veja, esse é um dos meus favoritos! Quando o conheci, ele andava a cavalo”, disse, rindo, enquanto me mostrava a caveira incandescente. “Hoje só anda de motocicleta, hehe…”.

E a noite avança veloz, carregando nosso maior pesadelo… Será o fim? Não vamos voltar a sonhar? Vovó me abraça e sussurra: “Não podemos quebrar o encanto e deixar o mal dominar. Ele pode nos destruir e, então, tudo se acabará! A cada dia, perdemos nossa capacidade de acreditar na fantasia… Esquecemos como é bom ser criança e brincar com a imaginação!”.

Ao abrir o ÚLTIMO CAPÍTULO do livro de magia, Vovó me diz: “Observe o pássaro mitológico, símbolo da renovação, que sempre ressurge das cinzas, de onde nada mais parece existir. Consegue perceber que, assim como ele, a vida renasce em todos os seres da floresta encantada? Se você acreditar, poderá vê-los de novo!”. E lá estão eles e elas! Inquietos gnomos, agitadas fadas, elfos incansáveis que dominam a água, o ar, a terra e o fogo; surgem para reinventar a vida, renovar nossas forças e nossos sonhos.

Ah, então, Viraviradouro é a magia de quem só quer alegria para a vida virar! Divertir quem gosta de histórias, brincar com a memória e nos transformar. Queimar a semente do mal e renascer das cinzas, se não for por toda a vida, que seja na Avenida, numa noite de Carnaval! E Vovó me revela: “Essa é a última página do Livro de Encantos de mais uma história sem fim. Invente a sua, acredite e seja feliz! Viraviradouro vai virar!”.

Isabel Azevedo
Simone Martins
Ana Paula Trindade
Paulo Barros

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

− 2 = 8