Desta vez, o espaço que mais valoriza a beleza no Sambarazzo está a serviço de quem empunha o símbolo máximo das escolas de samba: o pavilhão. A nova estrela do ensaio sensual do site é a porta-bandeira Alessandra Chagas, da União do Parque Curicica, escola da série A do Carnaval carioca. Aqui, ela revela um pouco do que fica escondido sob a geralmente enorme – e comportada – fantasia usada na Avenida. E, tímida que só ela, conta que o marido, o cavaquinista Marcos Cézar, ficou cheio de ciúmes ao saber das fotos mais ousadas da carreira da dançarina, que iniciou a vida profissional como nadadora.

– Fiquei tímida para fazer o ensaio, mas adorei o convite, fiquei muito feliz. Um convite desses faz bem para nosso ego. Meu marido ficou um pouco enciumado, só que tirou de letra – revela a morena, de 31 anos.

Criada e nascida em Niterói, Região Metropolitana do Rio, não à toa Alessandra é uma das mais belas porta-bandeiras do Carnaval. Sempre antenada no que há de melhor para dar aquela incrementada no visual da mulherada, Alessandra é dona de um salão de belezas na cidade. A experiência na administração do negócio vai tão bem que, questionada sobre o que faria numa escola de samba caso não fosse porta-bandeira, ela afirmou, sem muito pensar, que seria presidente de uma agremiação.

Estreia no Carnaval foi como passista

Os primeiros passos de Alessandra no Carnaval foram aos 7 anos, quando, filha de componentes da Viradouro, começou a frequentar os ensaios da escola.

A estreia em desfiles foi como passista mirim, no entanto o posto que a seduziu foi o das porta-bandeiras. O leve rodopio das dançarinas enfeitiçou Alessandra, que pediu ao pai, João Luis, que a matriculasse nas aulas de mestre Dionísio, referência no bailar de casais de mestre-sala e porta-bandeira. Aos 11, a morena já estava mandando ver na função, exercida por ela em escolas como São Clemente, Porto da Pedra, Viradouro e Rocinha Em 2016, será a estreia dela na Curicica, tendo como parceiro de dança Matheus Olivério.

– A dança é o que me deixa realizada, é minha maior alegria. Larguei a carreira de atleta de natação para ser porta-bandeira. Larguei por causa do samba, não estava dando para ir nos ensaios. Tive que escolher, e escolhi o Carnaval – conta.

Mesmo longe das piscinas, a porta-bandeira mantém uma rotina de malhação intensa para ficar em forma. Com a proximidade do Carnaval, ela intensifica os exercícios, que costumam variar entre caminhadas e corridas na areia, sempre acompanhadas de uma dieta equilibrada.

Veja o que Alessandra Chagas esconde debaixo dos panos…

 

BATE-PAPO
Nome: Alessandra Batista das Chagas
Idade: 31 anos
Signo: Leão
Local de nascimento: Niterói
Cidade onde mora: Niterói
Casa ou apartamento? Apartamento
Mora com quem? Com meu marido
Namorando ou ficando? Sou casada
Filhos? Não tenho
Profissão: Empresária, e sou formada em Direito
Cor preferida: Branco porque me deixa feliz, traz paz
Animal de estimação: Não tenho
Livro: A Bíblia
Filme: “À prova de fogo”
Um homem: Meu pai, João Luis
Uma mulher: Minha mãe, Glória Sandra
Religião: Não tenho, mas tenho muita fé em Deus
Novela: “Os Dez Mandamentos”, da Rede Record
Um Samba: “É hoje” (União da Ilha/1982) e “Aquarela Brasileira” (Império Serrano/1964)
Grife: Não tenho uma preferida, mas tenho minha grife a “Estilo Alê Moda”
Não uso nunca: Cueca
Perfume: J’adore, da Dior
Não saio de casa sem: Conversar com Deus
Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho um Prisma. Gostaria de ter uma Captiva.
Cantor: Fábio Júnior
Cantora: Marisa Monte
Ator: Tony Ramos
Atriz: Glória Pires
Música: “Reza”, da Rita Lee
O que eu quero: Igualdade social. Uma vida digna para todos.
O que eu não quero: Ver pessoas passando fome ou sofrendo por causa da desigualdade social
Gosto de ir: A restaurantes
Não gosto de ir: Ao cemitério
Time: Fluminense
Programa de TV: Jornal Nacional
Se não fosse porta-bandeira, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Seria presidente de uma escola de samba

Fotografia: Michele Iassanori
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz