Tags Artigos com tags "Ensaio sensual"

Ensaio sensual

a

Rainha de bateria da Porto da Pedra, Kamila Reis leva ao pé da letra a função de vestir a camisa da escola do coração. No entanto, no ensaio sensual que estrela para o Sambarazzo a gata da cor do pecado não precisou de nenhuma peça de roupa para encarnar o tigre, símbolo da vermelho e branco de São Gonçalo, na região Metropolitana do Rio, onde nasceu.

Foram as tintas do artista plástico Jorge Abreu que cobriram o corpo nota 10 da realeza e a transformaram numa verdadeira tigresa para a sessão de fotos registrada pelas lentes apuradas de Michele Iassanori – os cliques foram num sítio em Rio Bonito, nos arredores do município natal da modelo, que tem 29 anos e hoje vive em Dubai, nos Emirados Árabes.

Coberta apenas por um pequeno tapa-sexo e por preciosas pinceladas, Kamila nunca havia feito fotos tão ousadas quanto as que você vai ver a seguir. A rainha confessa que precisou espantar a timidez para se exibir como uma legítima felina.

— As pessoas nem imaginam que eu seja tímida, já que trato todo mundo com muita simpatia no Carnaval. Minha timidez existe e já foi pior, melhorou ao longo do tempo. Os cursos e os trabalhos como modelo me ajudaram nesse sentido — revela a dançarina e empresária de moda fitness.

Kamila Reis espantou a timidez para fazer fotos pintadas de tigre: ‘Pensei: Gente, vai aparecer alguém aqui. Mas, depois, fui me soltando’, conta a rainha de bateria da Porto da Pedra | Foto: Michele Iassanori

Kamila toparia desfilar pintada na Sapucaí

Apesar da paixão pelas penas de faisão e pelo brilho dos cristais que costumam compor as fantasias que veste para cruzar o Sambódromo, a estrela dos ritmistas da Porto gostou tanto da experiência com a pintura artística que toparia repetir o feito diante das mais de 70 mil pessoas que lotam as arquibancadas da Sapucaí.

— Se ficasse bonito e nada vulgar, eu toparia. Adorei a ideia e a pintura é tão perfeita que até faz parecer que eu tô vestida, e não estou. Quando me sugeriram posar pintada, pensei logo no tigre — afirma Kamila, que há quatro anos sentiu medo ao conhecer de pertinho um animal da espécie enquanto viajava pela Indonésia.

O resultado do ensaio de Kamila agradou não só a ela mas também ao marido, Leonardo, que selecionou uma das fotos como papel de parede do celular e mandou fazer um quadro para a casa deles em Dubai | Foto: Michele Iassanori

Boa forma é mantida com esporte, dança e alimentação regrada

São os treinos de tênis e as idas à academia e aos ensaios de dança que garantem a aparência escultural ao corpo da sambista. Em Dubai, ela vai da dança do ventre à batucada mais brasileira de todas — o samba — e ainda encara o desafio de arriscar passos ao som de músicas pop. E, enquanto encara a rotina de exercícios e de shows profissionais, procura dar aquela atenção especial à alimentação.

— Tento comer bem o ano inteiro, mesmo sendo taurina. Posso até acabar comendo vários pedaços de pizza, mas volto rapidinho pra dieta. Um mês antes do Carnaval, não bebo álcool e levo a dieta ainda mais a sério  — conta Kamila, que participou da escolha de samba da Porto da Pedra no último sábado, 8, e deve retornar outras vezes antes de janeiro, quando permanecerá em solo brasileiro até a chegada da festa mais popular do mundo.

CLIQUE NA FOTO ABAIXO PARA VER MAIS!

BATE-PAPO

Nome: Kamila Reis.

Idade: 29.

Signo: Touro.

Local de nascimento: São Gonçalo.

Bairro onde mora: Al Badaa, Dubai.

Casa ou apartamento? Casa.

Mora com quem? Marido e cachorros.

Filhos? Não, ainda.

Profissão: Dançarina e empresária de moda fitness.

Cor preferida: No momento, estou amando vermelho.

Animal de estimação: Tenho três cachorros: Vênus, Casper e Coco.

Livro: “Cidade do Sol” (de Khaled Hosseini).

Filme: “Pelé, a lenda”.

Um homem: Barack Obama (ex-presidente dos Estados Unidos).

Uma mulher: Tenho grande admiração por duas, que são Michele Obama e Oprah Winfrey.

Religião: Evangélica, protestante.

Novela: “Avenida Brasil” (de João Emmanuel Carneiro para a TV Globo).

Um Samba: “Um Carnaval dos Carnavais – A Folia no Mundo” (da Porto da Pedra para o Carnaval de 1996).

Grife: Animale, entre as nacionais, e Givenchy, Tom Ford, Balmain e Versace, entre as internacionais.

Não uso nunca: Carão, tento ser sempre mais agradável possível com todas as pessoas.

Perfume: Chanel Chance, Chanel Mademoiselle e Dior Addict.

Não saio de casa sem: Óculos de sol e perfume.

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho Mercedes e Dodge Ram. Gostaria de ter um Maserati conversível.

Cantor: Emílio Santiago

Cantora: Aretha Franklin e Beyoncé. Entre as brasileiras, Maria Bethânia.

Música: “Construção”, do Chico Buarque.

O que eu quero: Ter capacidade de dar conta da minha felicidade e minhas conquistas.

O que eu não quero: Intolerância e ódio.

Gosto de ir: A novos lugares. Amo viajar.

Não gosto de ir: Ao supermercado.

Time: Flamengo.

Programa de TV: “Saia Justa”, do GNT.

Se não fosse rainha de bateria, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Musa ou passista, pois preciso de liberdade pra sambar.

Por -

Por Redação

A beleza de Amanda Poblete só não chama ainda mais atenção na Marquês de Sapucaí porque ela é responsável por conduzir um dos símbolos mais tradicionais do Carnaval: o pavilhão. Sempre muito vestida e coberta pela indumentária característica do posto de porta-bandeira, a jovem de 21 anos adotou peças de roupa bem diferentes — e menos volumosas — para o primeiro ensaio sensual da carreira. Ela posou para as lentes do fotógrafo Felipe Araújo numa locação no bairro de Santa Teresa, na região central do Rio, e uma pequena mostra do resultado é publicado agora pelo Sambarazzo.

A decisão de dividir a boa forma com o público combinou com o momento de satisfação pessoal vivido por Amanda, que já brilhou desfilando pelas escolas Vila Isabel, São Clemente e Renascer de Jacarepaguá, e pra 2019 ocupa o posto de segunda porta-bandeira da Unidos do Viradouro.

— Toda mulher deveria posar. Traz uma satisfação muito grande, é ótimo pra autoestima. Antes, eu tinha vergonha e cheguei a enrolar para responder o convite. Esperei o momento em que eu me sentisse mais segura com meu corpo e comigo mesma. Estou muito realizada como pessoa, mulher e profissional — comemora a sambista, que gostou tanto do feito que pretende repetir o trabalho de modelo em breve.

‘Realizada’, revela Amanda Poblete, a segunda porta-bandeira da Unidos do Viradouro | Foto: Felipe Araújo

Pernas de fora e zero photoshop

Nos bastidores, a amizade entre Felipe Araújo e Amanda facilitou a sessão de fotos. Para a dançarina, a confiança fez toda a diferença na hora de ser registrada com as pernas de fora. Para o fotógrafo, foi ainda mais essencial para a captura das imagens, que segundo ele não precisou receber a famosa ajudinha dos programas de computador para ficar mais bonito.

— Nos damos muito bem dentro e fora da Sapucaí e sempre perturbei a Amanda pra gente fazer um trabalho juntos. Finalmente, a oportunidade chegou e conseguimos revelar a bela modelo que se esconde na porta-bandeira que conhecemos tão bem. Nem precisei de Photoshop — brincou o profissional.

Amanda Poblete provou que tem talento para as fotos sensuais e já planeja repetir o estilo do ensaio em outra ocasião | Fotos: Felipe Araújo

Leia mais!

Chocolate nada amargo! A doce Luana Bandeira

Vamos brincar de índia?! Rainha de bateria faz ensaio sensual em aldeia

Depois de um longo mês sem feriados, o descanso dos justos coroa a Páscoa dos sambistas. Como se não bastasse o recesso, a data ainda tem tudo para deixar o povo do samba com água na boca. Enganados, no entanto, os que pensaram em chocolate. No final de semana que antecede as feijoadas em homenagem a São Jorge, quem é bamba só pensa em uma coisa: Luana Bandeira. A rainha de bateria da Estácio de Sá é a estrela do novo ensaio sensual do Sambarazzo

Dá pra comer chocolate e manter a forma

Luana posou para as lentes de Michele Iassanori coberta de chocolate e embrulhada no papel-chumbo, de presente para você. O cabelo foi transformado num incrível brigadeiro, com acabamento granulado, deixando o corpo da rainha com o delicioso cheiro do cacau. O delicioso doce não é proibido para a moça, mas, para manter o corpão, a academia é destino certo depois da saborosa sobremesa.

– Adorei o ensaio. As fotos ficaram ótimas, a Michele é maravilhosa, tem um olhar especial. Adorei o tema, amo chocolate. Tenho que me policiar por conta do meu corpo, mas como sempre que posso. O custo é caro, preciso de toda uma equipe pra me ajudar a manter a forma. Treino três vezes na semana com personal. Agora entrei no crossfit também, faço duas vezes por semana. Ainda rola uma clínica de estética, pra limpeza de pele – revela a gata, de 28 anos. 

“O ‘Caldeirão’ é mais fácil”

Rainha de bateria por amor à escola, Luana vai para o seu décimo carnaval na Estácio de Sá, o sexto como rainha. Fora da quadra, a beldade trabalha como assistente de palco no programa “Caldeirão do Huck”, da TV Globo. A pressão de estar diante das câmeras, entretanto, é bem diferente daquela sentida na pista de desfiles. A preparação para a folia exige mais do que os cuidados com o corpo que encanta os telespectadores de Luciano Huck. A líder da bateria “Medalha de Ouro” conta seu segredo.

– Eu acho que tiro as duas de letra, mas o ‘Caldeirão’ é mais fácil. Tenho que estar pronta pra ajudar nos quadros, mas é uma cobrança diferente. Na Avenida, a responsabilidade é maior, é uma emoção muito grande. A gente vai se acostumando, o importante é se dedicar. Rainha também faz diferença. Tem que apresentar a bateria, tem que saber os desenhos, estar sincronizada pra fazer igualzinho e ficar bacana. Me inspiro na Viviane Araújo e na Juliana Alves, elas dão show nesse quesito – conta Luana.

Não é desculpa!

Segundo Luana, conciliar a rotina de ensaios e gravações não é tarefa complicada.

– Gravamos duas vezes na semana, às vezes uma só. Quando estou em outro estado, preciso faltar a um ensaio ou outro. Gosto de estar presente – diz a rainha, que desfila na Estácio de Sá desde os 18 anos.

Cantadas com chocolate já estão batidas

Os mais empolgados com o ensaio têm de pensar duas vezes antes de falar com a gata – as cantadas com chocolate já estão batidas. Luana é uma moça séria e pede mais originalidade. O bom humor é bem-vindo, mas o respeito deve estar sempre em primeiro lugar.

– Já ouvi um milhão de gracinhas desse tipo. Tem cara que exagera, falta com o respeito, e a gente fica chateada, não gosto mesmo. Quando é bacana, levo na boa, rola até uma risadinha. Mas ninguém me conquista com piadinha, não. Precisa de bem mais que isso – avisa.

BATE-PAPO

Nome: Luana Bandeira

Idade: 28

Signo: Sagitário

Local de nascimento: Rio de Janeiro

Bairro onde mora: Santa Teresa

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Meus três irmãos

Filhos? Não

Profissão: Assistente de palco

Cor preferida: Vermelho

Animal de estimação: Cachorro

Livro: A Bíblia

Filme: “A Múmia”, de Stephen Sommers

Um homem: Meu pai

Uma mulher: Minha mãe

Religião: Espírita

Novela: “Avenida Brasil”, de João Emanuel Carneiro

Um Samba: “A Dança da Lua”, Estácio de Sá (1993)

Grife: Não ligo pra marca

Não uso nunca: Anabolizantes

Perfume: O que me agradar

Não saio de casa sem: Celular

Carro que tem e o que gostaria de ter: Gostaria de ter um Nissan Kicks

Cantor: Belo

Cantora: Beyoncé

Música: “Trem Bala”, da Ana Vilela

O que eu quero: Paz

O que eu não quero: Violência

Gosto de ir: Teatro

Não gosto de ir: Médico

Time: Flamengo

Programa de TV: “Caldeirão do Huck”, da TV Globo

Se não fosse rainha de bateria, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Porta-bandeira

Texto: Caio Peçanha
Fotografia:
 Michele Iassanori
Produção, figurino e maquiagem: Jorge Abreu
Making of vídeo: Alexandre Maranhão/Cabecidade

A tribo do samba já não vê a hora do Carnaval chegar. Faltando menos de uma semana para os desfiles na Marquês de Sapucaí, os mais apaixonados estão contando horas e minutos para ouvir a sirene tocar e o batuque começar. A espera, porém, acaba de ganhar um passatempo capaz de distrair até o mais ansioso dos foliõe. É o novo ensaio sensual do Sambarazzo, que promete deixar todo mundo pedindo mais. Muito mais.

Inspirados pelos enredos indígenas da Beija-Flor de Nilópolis e da Imperatriz Leopoldinense, convidamos a bela Monique Rizzeto para ser fotografada em meio a uma aldeia localizada em Maricá, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Com a autorização do cacique Tupã, a gata fez bonito – como de costume, já que essa é a segunda vez que ela posa para o site – e mostrou, pra valer, com quantos paus se faz uma canoa.

Vai ter mocinho de sobra querendo pegar essa índia! Monique Rizzeto, a estrela do novo ensaio sensual do Sambarazzo, foi fotografada por Michele Iassanori, com making of registrado por Alexandre Maranhão

Desinibida! Experiência na aldeia não intimidou Monique

A gata, que é rainha dos ritmistas da Tradição (Grupo B), musa do Império Serrano (Série A) e da Paraíso do Tuiuti (Grupo Especial) topou o desafio de primeira.

– Me senti super à vontade. O lugar é incrível! A recepção foi feita pelo próprio cacique. Ele nos mostrou o local e contou a história da tribo guarani. Fiquei super inspirada pra posar. Por estar em um ambiente real, encarnei a própria personagem. Quando recebi o convite, até fiz algumas mudanças no visual para que o resultado ficasse mais realista. Sempre quis fazer um ensaio representando uma índia, mas nunca imaginei realizar isso dentro de uma aldeia – revela a moça, que tem 28 anos e começou no Carnaval como passista da Unidos de Vila Isabel.

“Me senti uma verdade índia”, conta rainha

Ainda que nunca tenha interpretado uma índia nos desfiles dos quais participou em quase uma década de Avenida (ela estreou aos 20), Monique garante que os trajes típicos da floresta eram os seus favoritos quando criança e avisa que espera uma oportunidade de levá-los para a Avenida. A majestade dos ritmistas da Tradição também compartilha detalhes de como foi a experiência durante o ensaio.

– Me senti uma verdadeira índia com os pés no chão, o ar puro da mata e o som dos pássaros. A beleza da aldeia me inspirou a sensualizar com naturalidade. Nunca representei uma índia na Sapucaí, mas essa era a minha fantasia preferida quando criança – diz.

Monique posou na aldeia Mata Verde Bonita, com autorização do cacique Tupã. O figurino é assinado pela estilista Rita Borel e a maquiagem por Isabelle Michel | Foto: Michele Iassanori

Boa forma, que já foi encoberta por uma burca, é mantido com (muita) malhação

Para dar conta das três noites de desfiles nas três agremiações, Monique tem dado duro na academia e nas quadras. Além de pegar cada vez mais pesado na malhação, comparece pelo menos quatro vezes por semana aos ensaios e ainda toma conta da própria alimentação.

A rotina de cuidados, sem dúvidas, tem sido eficiente para manter o corpaço. As curvas até precisaram ser escondidas por uma burca no ano passado, durante o tempo que beldade passou no Catar, país do Oriente Médio onde predominam os praticantes sunitas da religião islâmica.

– Eu intensifico a malhação neste período. Não faço dieta, procuro apenas me alimentar bem, de três em três horas. Evito apenas bebida alcoólica, refrigerantes e pães. Bebo água de coco pra hidratar e faço alguns tratamentos estéticos. Para esse ano, optei por deixar meu corpo com curvas mais delicadas e femininas – explica.

Muita índia pra pouco cacique! Todo mundo vai ficar babando com o ensaio de Monique. Mas… calma! Tem índia pra todo mundo: ela se apresenta nos desfiles do Grupo Especial, da Série A e da Série B | Foto: Michele Iassanori

Mangueirense, cacique acompanha desfiles pela televisão

Responsável por autorizar a realização do ensaio na aldeia Mata Verde Bonita, onde vivem os índios da tribo Guarany, o cacique Tupã fez questão de acompanhar o ensaio e ainda concedeu uma entrevista à nossa equipe. Ele tem assistido, pela TV, diretamente da aldeia, o chamado “maior espetáculo da Terra” e já conhece um certo verde e rosa que faz o coração bater mais forte.

– Venho acompanhando há bastante tempo pela TV. Sou mangueirense! Acredito que (o Carnaval) valoriza a cultura brasileira. Graças a Tupã, os índios que são parentes nossos vão ser falados e terão a história e a trajetória mostradas na Avenida (pela Beija-Flor e pela Imperatriz). Sempre falo pros mais velhos: ‘Não fechem as portas, deixem abertas para que pessoas com olhar, sentimento e entendimento diferenciados possam ajudar’ – finaliza o índio, que aos 40 anos de idade encara a tarefa de chefiar a tribo e a aldeia.

O cacique Tupã é mangueirense e acompanha o Carnaval pela TV | Foto: Michele Iassanori

BATE-PAPO

Nome: Monique Rizzeto

Idade: 28

Signo: Peixes

Local de nascimento: Jacarepaguá, no Rio de Janeiro

Bairro onde mora: Barra da Tijuca

Casa ou apartamento? Apartamento

Mora com quem? Sozinha

Filhos? Não

Profissão: Empresária no setor de moda

Cor preferida: Branco

Animal de estimação: Ainda não tenho, mas quero muito um bulldog inglês

Livro: “Como eu era antes de você”, de Jojo Moyes

Filme: “Água para elefantes”, com Robert Pattinson

Um homem: Meu pai

Uma mulher: Minha mãe

Religião: Espírita

Novela: Não costumo assistir

Um Samba: “Lendas das sereia, mistérios do mar”, do Império Serrano em 1976

Grife: Visto o que me agrada, não sou fiel a grife

Não uso nunca: Pijama

Perfume: Tenho vários e uso cada um de acordo com meu estado de espírito

Não saio de casa sem: Minhas proteções espirituais

Carro que tem e o que gostaria de ter: Super satisfeita com meu Sandero Stepway

Cantor: Djavan

Cantora: Sade

Música: “Eu gosto de uma morena”, do Rogerinho Ratatuia

O que eu quero: Ter saúde e ser feliz

O que eu não quero: Ver o nosso país com falta de oportunidade de trabalho para os jovens

Gosto de ir: Viajar

Não gosto de ir: Ao supermercado

Time: Vasco

Programa de TV: “Amor & Sexo”, da TV Globo

Se não fosse rainha e musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Coreógrafa da comissão de frente

Monique Rizzeto protagoniza o novo ensaio sensual do Sambarazzo às vésperas do Carnaval | Foto: Michele Iassanori

Fotografia: Michele Iassanori
Assistente: Alessandro Terra
Figurino: Rita Borel
Maquiagem: Isa Michel MakeUp
Making of vídeo: Alexandre Maranhão/Cabecidade
Texto: João Paulo Saconi

Musa da Unidos da Tijuca, Larissa Neto tem motivos de sobra para curtir a homenagem que a escola planeja para a cantora Beyoncé dentro do enredo sobre a musicalidade norte-americana. Fã de carteirinha da diva pop, a sambista estrela o novo ensaio sensual do Sambarazzo vestindo um figurino inspirado no visual que a artista usou para estrelar uma de suas peças publicitárias mais famosas. A ideia partiu da própria Larissa, que tem 30 anos – e nunca usa sutiã -, e ganha a vida fazendo shows de samba.

– A Beyoncé é minha maior diva. Gosto dela desde a época das Destiny’s Child (grupo musical). Meus figurinos, o cabelo e a performance são sempre inspirados nela. Tudo bem que ela é única e não tem como eu ser parecida, mas sempre foi uma inspiração. Todo ano pego uma foto com algum look dela e falo que quero alguma coisa igual – conta a sambista, que abusou da sensualidade diante das lentes da fotógrafa Michele Iassanori, com making of registrado pelo cinegrafista Alexandre Maranhão.

Gladiadora! Com uma ajudinha da estilista Rita Borel, Larissa Neto fotografou com figurino inspirado no que Beyoncé vestiu em 2004 para gravar um comercial de TV | Fotos: Michele Iassanori/Sambarazzo e Divulgação/Pepsi

Perda da mãe quase fez Larissa desistir do samba

Em 2014, pouco antes de receber o convite para desfilar como musa da Tijuca, Larissa perdeu a mãe, Graça Maria. As duas eram companheiras de folia e frequentavam juntas o Sambódromo e a quadra da agremiação, na Zona Portuária do Rio de Janeiro.

A trajetória como dançarina, que já rendeu viagens pra Europa e Ásia, foi sempre dedicada à figura materna. O luto repentino, porém, quase fez Larissa desistir do samba.

– Dedico isso tudo a ela. Era como mãe de miss. Ia comigo aos ensaios e shows, sempre acompanhando e torcendo. Infelizmente, não teve tempo de me ver musa. Foi a minha maior incentivadora. Essa guerra que venho travando é com a saudade, com a falta que ela me faz. Penso nela todos os dias. Minha vida virou de cabeça pra baixo com essa perda. Me considero uma guerreira por ter conseguido meu lugar ao sol – revela a beldade, que é natural de Brasília e chegou à “Cidade Maravilhosa” aos 10 anos de idade.

Que força! Larissa encontrou no Carnaval um pouco da bravura que precisava para superar a morte da mãe | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Musa fez TCC sobre a Unidos da Tijuca

O amor de Larissa pela escola do coração vai muito além da Avenida. Além da dedicação para cuidar bem do corpo com idas frequentes à academia e uma boa alimentação, a paixão pelo batuque da bateria “Pura Cadência” chegou até o curso de publicidade que ela concluiu recentemente. .

– O samba entrou na minha vida de uma forma… Fiz até um documentário sobre o marketing da Unidos da Tijuca para o meu trabalho de conclusão de curso. Hoje, todo mundo me conhece e eu conheci o mundo através do samba. A escola teve papel fundamental nisso, por me possibilitar essa visibilidade – explica a gata cheia de gratidão, que começou desfilando pela Porto da Pedra e tem passagens pelo time de bambas de escolas como Beija-Flor e Rocinha.

BATE-PAPO

Nome: Larissa Neto

Idade: 30

Signo: Escorpião

Local de nascimento: Distrito Federal

Bairro onde mora: São Gonçalo

Casa ou apartamento? Apartamento

Mora com quem? Com meu marido, André Mesquita

Namorando ou ficando? Casada

Filhos? Não

Profissão: Publicitária e dançarina na equipe do músico Dudu Nobre

Cor preferida: Preto

Animal de estimação: Natasha (poodle) e Diego Yago (maritaca)

Livro: “O Mundo de Sofia – Romance da História da Filosofia”, de Jostein Gaarde

Filme: “Planeta dos Macacos”

Um homem: Jesus Cristo

Uma mulher: Minha mãe, Graça Maria

Religião: Católica

Novela: Não assisto muito

Um Samba: Unidos da Tijuca em 2003, “Agudás”

Grife: Não sou muito ligada em grifes. Uso o que me agrada, o que me faz sentir bem

Não uso nunca: Sutiã

Perfume: Minha mãe sempre disse que não devemos revelar o nosso perfume. É segredo!

Não saio de casa sem: Rímel, blush e celular

Carro que tem e o que gostaria de ter: Mercedes-Benz GLA

Cantor: Marcelo Camelo e Criolo

Cantora: Beyoncé e Jennifer Lopez

Ator: Mark Wahlberg

Atriz: Meryl Streep

Música: “Como é grande o meu amor por você”, do Roberto Carlos

O que eu quero: Ter sempre muita saúde e ser feliz

O que eu não quero: Perder pessoas próximas

Gosto de ir: À praia

Não gosto de ir: À academia

Time: Flamengo

Programa de TV: “Saia Justa”, do GNT

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Mestra de bateria


Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borel
Maquiagem: Isa Michel MakeUp
Making of vídeo: Alexandre Maranhão/Cabecidade
Texto: João Paulo Saconi

Com a canção “Olhos Coloridos”, Sandra de Sá fez sucesso cantando que todos queriam imitar os seus cabelos enrolados. Rafaella Mell, musa da São Clemente, elege a música como a principal de sua playlist e, assim como na letra, tem orgulho dos cachos que formam o black power que ostenta enquanto cai no samba. Aliás, a nova estrela dos ensaios sensuais do Sambarazzo é toda Carnaval, da cabeça aos pés: começou na folia quanto tinha apenas 6 aninhos e, ainda bem, nunca mais parou.

– Me acostumei com a rotina dos ensaios desde pequenininha. Durmo antes de ir pros eventos, que eu nem sei que horas terminam. Vou começar a faculdade e talvez diminuir um pouco o ritmo – revela Rafa, hoje com 20 anos.

“Os meus olhos coloridos me fazem refletir… ♫”! Rafaella Mell, da São Clemente, elege a música “Olhos Coloridos”, sucesso de Sandra de Sá, como a sua própria trilha sonora | Foto: Michelle Iassanori/Sambarazzo

Musa é, literalmente, campeã em samba no pé

Mais do que os cachos, a dança de Rafaella deve mesmo despertar muita inveja Avenida afora. A gata acumula títulos de mais de 30 concursos de samba, sendo que o primeiro deles foi conquistado na primeira vez em que ela pisou na quadra de uma agremiação.

– Eu não gostava muito de samba quando criancinha. Não podia ouvir uma bateria que chorava e gritava até dizer ‘chega’. Calhou de ir um dia na Cubango (em Niterói) e me apaixonei. Teve um concurso de passistas mirins no dia, disseram pra eu participar e eu entrei e ganhei no mesmo dia – relembra a sambista, que conta com o apoio de amigos e admiradores em cada competição que se inscreve.

A primeira vez a gente nunca esquece! Rafaella foi campeã de um concurso de passistas mirins assim que entrou numa quadra de escola de samba | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Ritmos ajudam a manter a boa forma

Não é só no paticumbum que Rafaella curte se esbaldar. Quando está longe do som das baterias, é através da zumba e da dança de salão que ela costuma queimar calorias para garantir o corpaço, revelado diante das lentes da fotógrafa Michele Iassanori. No futuro, ela pretende trabalhar na área da estética. Bonita que só, certamente vai fazer sucesso embelezando a clientela:

– Também faço academia e cuido bastante da alimentação. Faço dança pra poder manter. Dá trabalho. Às vezes, quero muito comer algo que não pode e preciso me controlar.

Grata a tudo que conquistou até aqui em bem vividas duas décadas, a beldade revela um sonho que, a medir pelos atributos físicos que você confere mais abaixo, é molezinha. Ela quer ser rainha de bateria. Nós também queremos que você seja, Rafa!

Nome? Rafaella Mell

Idade? 20 anos

Signo? Virgem

Local de nascimento? Niterói

Bairro onde mora? Santa Bárbara

Casa ou apartamento? Apartamento

Mora com quem? Meus pais e minha irmã

Namorando ou ficando? Solteira

Profissão? Recepcionista

Cor preferida? Amarelo

Animal de estimação? Tenho um cachorro, o Toby

Livro? A Bíblia

Filme? “O Guarda-Costas”

Um homem? Meu pai

Uma mulher? Minha mãe

Religião? Católica

Novela? “Império”, de Aguinaldo Silva para a TV Globo. Participei sambando.

Um samba? Da São Clemente, em 2011

Grife? Rita Borel

Perfume? Lili

Não saio de casa sem? Batom

Cantor? Thiaguinho

Ator? Rafael Zulu

Atriz? Juliana Alves

Música? “Olhos coloridos”, da Sandra de Sá

O que eu quero ser? Feliz

O que eu não quero? Preconceito

Gosto de ir? Ao samba

Não gosto de ir? Ao mercado

Time? Tricolor

Programa? “Esquenta”, da TV Globo

Se eu não fosse musa seria? Porta-bandeira, pois carregaria o pavilhão da escola


Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borel
Assistente de produção: Patrícia Iassanori
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Texto: João Paulo Saconi

Personagem das mais conhecidas na obra do escritor Jorge Amado, Tieta do Agreste foi um símbolo de sensualidade no século passado, quando deixou as páginas dos livros para se tornar sucesso nas telas da TV e do cinema. Virou também sucesso nas rádios através de uma canção de Caetano Veloso, gravada em dueto com Gal Costa.

Representada na ficção pelas atrizes Betty Faria e Sônia Braga, a jovem do interior nordestino que viajou para São Paulo para se aventurar a viver a própria liberdade vira agora símbolo do novo ensaio do Sambarazzo, estrelado por Theba Pitylla, musa da Império de Casa Verde no Carnaval paulista.

“É a lua, é o sol, é a luz de Theba…” ♫! Musa da Império de Casa Verde se transformou em Tieta | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Assim como Tieta, Theba se descobriu, ainda novinha, um mulherão de parar o trânsito e a Passarela do Samba da “Terra da Garoa”. A gata faz sucesso no Sambódromo do Anhembi desde os 16 anos e, aos 31, já desfilou nas alas de crianças e passistas, e conquistou as sonhadas vagas de rainha de bateria (pela Dragões da Real, há uma década) e majestade da Corte Carnavalesca (em 2015).

Ficou faltando apenas a ponte aérea para a estreia em solo carioca, que só não aconteceu ainda pela incompatibilidade de datas.

– Com certeza tenho vontade de desfilar no Rio de Janeiro. Pra falar a verdade, até recebi convite da Porto da Pedra, mas a escola desfila no mesmo dia que o Império (de Casa Verde). Não tive coragem de largar a minha escola, mas se tivesse como conciliar, certamente faria – conta.

O nome de Theba faz referência a uma ninfa da mitologia grega, mas ela incorporou uma das figuras femininas mais desejadas da ficção brasileira | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Nudez não inibiu beldade

As fotos, que tiveram como pano de fundo as dunas de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, foram livremente inspiradas em cenas da novela exibida pela TV Globo no fim da década de 1980. A abertura do folhetim ficou marcada por mostrar a ex-modelo Isadora Ribeiro nua no meio da areia, cena que Theba reproduziu diante das lentes mais ousadas da folia.

– Tirei tudo. Fiquei até um pouco receosa. Pensei: ‘Ai, meu Deus do céu, como será que vai ficar?’. Nunca tinha fotografado sem nada, só de lingerie ou biquíni – revela a sambista, que namora o ritmista Michel há 3 anos e garante que apesar de apoiar a realização das fotos, o amado é bem ciumento.

“No começo, achei que (Tieta) era só uma novela muito antiga. Quando começamos a fotografar, comecei a entender melhor o tema e a gostar mais”, diz Theba | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

O corpaço, segundo Theba, é mantido em boa forma graças ao trabalho como dançarina e modelo e, é claro, assiduidade na academia que ela frequenta três vezes por semana. Com a proximidade dos desfiles, o ritmo acelera, mas os cuidados com a aparência ainda precisam caber dentro da rotina atribulada da moça.

Para Theba, carnaval paulista tem menos disputa por holofotes

Ex-rainha de bateria da Dragões da Real, Theba acredita que o posto em Sampa não é tão cobiçado como no Rio. Para ela, isso se deve à existência de um maior número de vagas para que as mulheres desfilem em frente às baterias. É comum que as agremiações escolham, além da rainha, uma madrinha e uma musa.

– É mais tranquilo em relação ao Rio. Tem várias escolas em que não sai só uma na frente, mas sim uma corte. Não conheço ninguém que pagou um valor exorbitante pra desfilar. Muitas escolas têm rainha da comunidade – finaliza.

BATE-PAPO

Nome: Theba Pitylla

Idade: 31 anos

Signo: Aquário

Local de nascimento: São Paulo

Bairro onde mora: Itaim paulista, na Zona Leste

Casa ou apartamento? Apartamento

Mora com quem? Sozinha

Namorando ou ficando? Namoro o Michel, há três anos

Filhos? Não

Profissão: Bailarina e modelo

Cor preferida: Azul

Animal de estimação: Não tenho

Livro: “Laços Eternos”, da Zíbia Gasparetto

Um homem: Meu namorado, Michel

Uma mulher: Minha mãe, Elza

Religião: Católica

Novela: “Avenida Brasil”, de João Emmanuel Carneiro (TV Globo)

Um Samba: Império de Casa Verde 2003 (“Nhô João Preto Velho, milagreiro e profeta de todos os deuses lá pelas bandas do Cafundó)

Não uso nunca: Drogas

Perfume: Chloé

Não saio de casa sem: Perfume

Cantor: Djavan

Cantora: Marisa Monte

Ator: José wilker

Atriz: Laura cardoso

Música: “A sorrir”, do Cartola

O que eu quero: Paz no mundo

O que eu não quero: Violência

Gosto de ir: Ao samba da família Batukada Boa

Não gosto de ir: Ao cemitério

Time: Palmeiras

Programa de TV: “Fantástico”, da TV Globo

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Porta-bandeira


Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Ateliê David Silva
Assistente de produção: Patrícia Iassanori
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz e Michele Iassanori
Texto: João Paulo Saconi

Se o enredo que a Paraíso do Tuiuti escolheu na volta ao Grupo Especial vai render só notas 10, a gente só vai saber mesmo na Quarta-feira de Cinzas. Mas, no quesito musa, a escola que vai cantar a Tropicália na Sapucaí já sai na frente, digna de nota máxima. É que a estonteante Mylla Ribeiro, está no time que vai embelezar a passagem da escola pelo Sambódromo carioca.

Tropicaliente! Mylla Ribeiro, musa da Tuiuti, adorou o enredo “Carnavaleidoscópio Tropifágico”, proposto pelo carnavalesco Jack Vasconcelos pro desfile de 2017 | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Graças à agremiação, a gata conta que passou a conhecer mais sobre a corrente de vanguarda artística,que surgiu no fim da década de 1960 e contou com figurões como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Tom Zé, e acabou se fascinando pela história que o carnavalesco Jack Vasconcelos escolheu pra tentar o título.

A partir das informações que encontrou acerca da transformação cultural liderada pelos renomados músicos, ela resolveu posar para o Sambarazzo como se estivesse vivendo os tempos áureos do movimento.

– Sugeri o tema das fotos. Até me indicaram outros, mas preferi focar no tropicalismo. Eu amei o enredo, que é super colorido, divertido e vai ser muito bom pra escola. Já tinha ouvido falar, mas nunca parei pra pesquisar. Admiro muito pelos artistas. São grandes nomes, embora não sejam os que eu escuto sempre. O movimento foi uma revolução. É o enredo da escola e eu vou ter fotos pra postar até o Carnaval – brinca a loura, que tem 34 anos, foi mãe duas vezes e ainda assim ostenta um corpaço de deixar com inveja qualquer musa inspiradora das canções tropicalistas.

 

“Sempre tive corpo bonito”

Frequentadora da academia desde os 15 anos, Mylla não esconde o empenho em garantir a exibição de uma boa forma na Marquês de Sapucaí, onde já desfilou pela Acadêmicos do Cubango e pela Renascer de Jacarepaguá, como rainha de bateria. Da malhação, o principal instrumento pra esculpir o corpaço, ela não abriu mão nem durante os períodos de gestação.
– Malhei até o oitavo mês e foi super tranquilo. Sempre tive um corpo, modéstia à parte, muito bonito. Tenho uma alimentação restrita e perto do Carnaval, diminuo bastante o carboidrato, orientada pela nutricionista. Pra chegar na Avenida arrasando, também faço drenagem, botox, essas coisas todas… Gosto desse negócio de estar sempre bonita. Isso me faz bem – explica.

De tirar o fôlego! Mylla dá duro pra manter as curvas em dia e o resultado não podia ser melhor | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Talento pra música? Só embaixo do chuveiro!

Fã de cantores sertanejos que estão bombando nas rádios atualmente (como Marília Mendonça, por exemplo), Mylla é categórica ao declarar que o gogó não é seu forte. Ao posar pras fotos “tropicalientes”, usou o violão pra encobrir a nudez.  Em casa, até arrisca uma ou outra notinha musical no chuveiro. E para por aí.

– Não tenho nenhum dom pra música. Gosto muito de dançar. Canto sertanejo o dia inteiro em casa e meus filhos (Nickolly e Enzo) ficam implorando pra eu parar. Canto muito alto – brinca a sambista, que já revelou acreditar que tem vocação pra televisão e até se inscreveu no “Big Brother Brasil”, da TV Globo.

Corpão violão… literalmente! Inspirada pela musicalidade da Tropicália, Mylla posou com o instrumento que o movimento substituiu pela guitarra elétrica, gerando protestos e até uma passeata liderada por ninguém menos que Elis Regina | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

 

BATE-PAPO

Nome: Mylla Ribeiro

Idade: 34 anos

Signo: Touro

Local de nascimento: Niterói

Bairro onde mora: Ponta da areia

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Meus filhos (Nickolly e Enzo) e meu marido (Fernando)

Namorando ou ficando? Casada

Profissão: Educadora física

Cor preferida: Azul

Animal de estimação: Não tenho

Livro: “O segredo”, de Rhonda Byrne

Filme: “Um momento pode mudar tudo”

Um homem: Meu marido

Uma mulher: Minha mãe

Religião: Espírita

Novela: “O Clone”, de Glória Perez (TV Globo)

Um Samba: “A farra do boi”, da Paraíso do Tuiuti em 2016

Grife: Uso o que me faz sentir bem

Não uso nunca: Guarda-chuva

Perfume: Coco (da Chanel)

Não saio de casa sem: Rímel e blush

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho uma BMW 320i e sou muito satisfeita com ela

Cantor: Jorge & Matheus e Henrique & Juliano

Cantora: Marília Mendonça

Ator: Murilo Benício

Atriz: Giovanna Antonelli

Música: “We don’t talk anymore”, do Charlie Puth com Selena Gomez

O que eu quero: Ser feliz longe dos invejosos

O que eu não quero: Ficar perto de pessoas falsas

Gosto de ir: À praia

Não gosto de ir: Ao supermercado

Time: Vasco

Programa de TV: “Pânico”, da Band

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Baiana!


Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borell
Locação: Eco Hostel Rio, na Praia de Itaipu, em Niterói
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Texto: João Paulo Saconi

Por -

Por João Paulo Saconi

Salve, salve! Todo mundo já teve um amigo que sonhasse em entrar pro time de participantes do “Big Brother Brasil”, o popular reality show da TV Globo. A fama proporcionada pelo programa – mesmo que temporária – é almejada por muita gente, assim como o polpudo prêmio de R$ 1,5 milhão.

Os mais chegados em Mylla Ribeiro, musa da Paraíso da Tuiuti, têm acompanhado por mais de uma década o desejo da gata em passar uma temporada na casa mais vigiada do país pra tentar faturar a bolada e os louros de ser uma tripulante da “nave louca do BBB”, como o ex-apresentador Pedro Bial costumava definir.

‘Sonho meu…’! Mylla Ribeiro, musa da Paraíso da Tuiuti, por pouco não integrou o elenco do Big Brother Brasil 16, no ano passado | Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação

Musa já se inscreveu 12 vezes e chegou perto de entrar na casa

Entre as 12 vezes em que se inscreveu pra atração (incluindo a edição deste ano, que estreia em 23 de janeiro), numa delas Mylla chegou a ser selecionada pra uma etapa de entrevistas preliminares com a produção global. Se aprovada, faria parte da 16ª turma a habitar a vigiada mansão construída no Projac, Zona Oeste do Rio de Janeiro, no complexo de estúdios e produções da Globo.

Diante da possibilidade de atingir o objetivo tão sonhado, a sambista resolveu abandonar o posto de rainha de bateria da Renascer de Jacarepaguá, da Série A da folia carioca. A decisão, tomada pouco tempo após o Carnaval de 2015, quase a deixou de fora da Sapucaí no ano seguinte.

– Jogaram um verde pra eu sair da escola porque o BBB não costuma selecionar participantes que apareçam muito na mídia. Disseram que eu tinha tudo pra entrar. Eu falei pro presidente da Renascer (Antônio Carlos Salomão) que não iria desfilar naquele ano, mas não revelei o motivo, porque era confidencial. Passei em três etapas, mas fiquei de fora da “cadeira elétrica” com o Boninho (José Bonifácio Brasil de Oliveira, diretor) e, aí, já tinha saído do Carnaval – lembra Mylla, que nos tempos de majestade protagonizou um belo ensaio sensual do Sambarazzo.

Mylla achou que os holofotes de rainha pudessem deixá-la menos anônima do que a produção do BBB supostamente consideraria ideal pros participantes da atração | Foto: Ricardo Almeida/Sambarazzo

Musa também quis ser Panicat: “Gosto do glamour da TV”, diz

A beldade, que é educadora física, não esconde a paixão que desenvolveu pela televisão. Embora quase tenha ficado no prejuízo graças à vontade de alcançar o estrelato através do jogo de convivência e afinidade, Mylla também tentou –ainda sem sucesso – ocupar uma vaguinha de “Panicat” no “Pânico na TV!”, da Band.

– Gosto muito desse glamour da televisão. Isso me envolve. Sempre gostei disso. Já me inscrevi também pra ser ‘Panicat’. Se eu entrasse no BBB, com certeza ganharia. Escrevam o que tô falando. Sou muito simpática, tenho certeza que iria até final – avisa, sem deixar de ressaltar o amor que sente pela agremiação que a acolheu e pelo chamado “maior espetáculo da Terra”.

‘Olha elaaaa’! Mylla assistiu ao BBB e garantiu que não se seguraria se entrasse em alguma briga com Ana Paula Renault (participante que ficou famosa a partir das confusões em que se envolveu dentro da casa) | Foto: Reprodução/Facebook

Na próxima segunda, 9, os registros de uma outra câmera – um pouquinho indiscreta, assim como a do BBB – vão garantir ainda mais visibilidade à Mylla. O Sambarazzo a convidou pra esquentar os tamborins num novo ensaio sensual, cujo tema ela mesma sugeriu. Os nossos leitores, é claro, não podem deixar de dar aquela espiadinha!

Pra entrar de vez no clima de verão, o Sambarazzo abre a temporada 2017 de ensaios sensuais com uma mulata que, independentemente da estação do ano, é capaz de esquentar qualquer clima. A referida garota do tempo é Elaine Ribeiro, a linda musa da Porto da Pedra, de 34 anos, que é dona de um corpo escultural e de uma sedutora malemolência que só uma sambista de raiz pode ostentar.

Tendo como cenário a Praia de Itaipu, em Niterói, Elaine aproveitou a carcaça de sereia para mostrar que a maré tá boa pra peixe! A gata, registrada minuciosamente por nossas lentes, já foi rainha de bateria da Porto da Pedra por dois anos consecutivos, uma década atrás, e jura que vai ficar na agremiação até ser promovida a membro da Velha Guarda. Neste Carnaval, vai desfilar como musa da vermelho e branco e promete fisgar – com anzol e tudo – a atenção de cada um na Passarela do Samba.

Majestade da bateria “Ritmo Feroz” em 2006 e 2007, Elaine Ribeiro é prata da casa na Porto da Pedra e vai desfilar como musa da escola este ano. O ensaio aconteceu na Praia de Itaipu, a favorita da moça, que é fã de frutos do mar e costuma frequentar um famoso quiosque chamado “Bar do Jorginho” | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Academia é pros fracos: corpo perfeito é fruto de muito samba 

A boa forma, que vai roubar a cena na mais quente das estações e na folia, é mantida sem grandes esforços. Por não ser fã de academia, Elaine raramente malha. Ela credita o sucesso do corpaço na conta da atribulada agenda de trabalho como recepcionista bilíngue e passista-show.

– Não tenho tempo, não consigo malhar. Quando começo, dói e fico irritada. Depois, fico toda dolorida e até desisto, embora tenha vontade. Se disser que tenho preparação (pro Carnaval), vou estar mentindo. Eu só rezo pra dar tudo certo e pro corpo continuar perfeito. Acho que é a cerveja – brinca a dançarina, para inveja de boa parte da mulherada.

Os contornos esculturais de Elaine não contam com a ajudinha da malhação para serem esculpidos | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Viajada! Elaine já mostrou samba no pé mudo afora

Natural de São Gonçalo, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro onde mora até hoje, Elaine viajou o mundo divulgando o ritmo musical que embala o chamado “maior espetáculo da Terra”. As passagens por países como Canadá, Polônia e Itália levaram Elaine a colecionar experiências muito mais reais do que as chamadas “histórias de pescador”.

E, se mar calmo nunca fez bom marinheiro, o da beldade já foi agitado até demais. Elaine revela, por exemplo, que a beleza das brasileiras nem sempre é vista com bons olhos por alguns estrangeiros. Numa entrevista recente, relatou ter sofrido racismo em território internacional, além de ter sido presa ao reagir a um episódio de assédio, algo comum na rotina das meninas que buscam prestígio além das fronteiras do Brasil.

“A gente nunca fica livre do assédio”, diz Elaine | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

“Sou muito seletiva e enjoada”, afirma musa

Diferentemente do ditado bem-humorado, nem tudo que cai na rede de Elaine costuma entrar pra lista de preferências da musa, que garante saber exatamente aquilo que a faz mergulhar de cabeça num relacionamento.

– Comigo não tem “caiu na rede é peixe”, porque às vezes vem baiacu. Sou muito seletiva e enjoada. Tem que ter alguma coisa a mais, senão, não rola. A pessoa tem que ter algo que me atraia. Vou conhecer 10 mil pessoas e, se não tiver algo que capture a minha atenção, não rola. Sou muito exigente – conta Elaine, que contou com o apoio do namorado, Wander, nas duas vezes em que posou para o site. A primeira foi no ano passado, como coelhinha de Páscoa.

 

BATE-PAPO

Nome: Elaine Ribeiro

Idade: 34 anos (na flor da idade)

Signo: Touro

Local de nascimento: São Gonçalo, região metropolitana do Rio

Bairro onde mora: Mutondo, em São Gonçalo

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Meu “namorido”, Wander

Filhos? Não

Profissão: Recepcionista bilíngue e mulata-show

Cor preferida: Vermelha

Livro: Não sou muito do tipo que lê livros. Das vezes que tentei, o livro foi quem me leu. Depois disso desisti.

Filme: “O Código da Vinci”, inspirado no livro do Dan Brown

Um homem: Meu pai, Gustavo

Uma mulher: Minha mãe, Maria

Religião: Não tenho, mas me considero um pouco espírita

Novela: “Avenida Brasil”, de João Emannuel Carneiro (TV Globo)

Um Samba: Mangueira (1998), “Chico Buarque da Mangueira”

Grife: Gosto de todas, mas meus amigos me chamam de “Miss Guess”.  Gosto muito e metade do que tenho é da Guess

Não uso nunca: Bege

Perfume: La vie est belle (Lancôme Paris) e J’adore (Dior)

Não saio de casa sem: Esquecer de várias coisas e voltar umas duas vezes pra pegar. E também sem proteção a Deus. A gente sai de casa sem saber o que está por vir

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho um Fox, mas não ficaria triste se tivesse um Jeep Renegade

Cantor: Djavan

Cantora: Sem dúvidas, minha musa Beyoncé

Ator: Antônio Fagundes

Atriz: Cláudia Raia

Música: “Nem um dia” (Um dia frio…), do Djavan

O que eu quero: Um país com menos violência, o mesmo que todos, ultimamente

Gosto de ir: Ao cinema

Não gosto de ir: Às compras

Time: Flamengo

Programa de TV: O do Jô Soares

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Pretendo, um dia, vir a ser da Velha Guarda (risos)


Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borell
Assistente de iluminação: Fabiane Abreu
Apoio: Bar do Jorginho Itaipu
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Texto: João Paulo Saconi

Por -

Nada de bom velhinho para trazer o presente de Natal dos leitores do Sambarazzo este ano. Quem vai garantir que as festas sejam boas pra valer é Raissa Machado, a bela rainha de bateria da Unidos do Viradouro, que desde 2014 encanta a Sapucaí à frente da bateria da escola.

Estrela do novo ensaio sensual do site, a gata, que tem como programa preferido na TV “Amor & Sexo” (TV Globo), se transformou na Mamãe Noel que todos os marmanjos gostariam de incluir na cartinha de pedidos que só chegam na noite feliz.

Papai Noel que nada! Raissa Machado é quem vai garantir o “Feliz Natal” dos leitores do Sambarazzo | Foto: Michele Iassanori
Natural do Maranhão – o que garantiu a sessão de fotos mais quentes que a turma do Polo Norte já viu – Raissa chegou a Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, aos 3 anos de idade e, hoje, aos 33, conta, de um jeitinho pra lá de inocente, que acreditou no Papai Noel durante toda a infância e parte da adolescência.

– Sempre gostei de acreditar. Quando era criança, cheguei a ver o Papai Noel no quintal da minha avó. Claro que é coisa da imaginação, mas é tão lindo que torna tudo mais fantástico. Hoje, as crianças não acreditam. Eu, em casa, digo que existe sim. As crianças de hoje estão precisando sonhar – afirma a mãe da pequena Nicole, que completa 2 aninhos no fim de dezembro.

“Quero fazer muitos outros ensaios”, revela a Mamãe Noel

Esta é a primeira vez que a sensualidade de Raissa é dividida, através das lentes e dos flashes, com o público. Apesar de iniciante, ela jura que já pensa em repeteco:

– Sempre quis fazer, adorei fazer. As fotos estão maravilhosas. Tem uma pegada sensual, que mostra o corpo sem ser vulgar. Era o que eu queria fazer. Talvez nunca tenha tido coragem e não estava preparada. Pra mim, foi fantástico e eu quero fazer muitos outros.

Sempre tem uma primeira vez! Raissa nunca tinha posado de maneira tão desinibida antes, mas já adianta que quer repetir a dose | Foto: Michele Iassanori
Acredita? Raissa já perdeu concurso de rainha de bateria

Antes de conquistar em 2014 todos holofotes da Viradouro, que hoje desfila pela Série A do Carnaval carioca, a sambista cortou um dobrado para superar a eliminação num concurso promovido pela vermelho e branco para eleger a substituta da atriz Juliana Paes na cobiçada vaga. Mesmo ficando de fora da disputa, que aconteceu antes do desfile de 2009, Raissa não pensou em desistir da agremiação.

– Fiquei triste, obviamente. Tenho a Viradouro como uma segunda casa, hoje muito mais do que na época, em que estava começando. Já tinha uma paixão, porque foi a primeira escola onde pisei. Estava tão feliz de estar participando, foi um momento mágico. No dia seguinte, fui recompensada com a novidade de poder representar a escola no “Caldeirão do Huck” (da TV Globo). Pensei em não desistir, porque é a escola que eu escolhi. Era meu sonho, queria me tornar rainha de bateria. Sonho é pra gente sonhar e conquistar – relembra a atual majestade, que malha todos os dias para garantir o sucesso no posto, e intensifica a dieta e os exercícios aeróbicos nos três meses que antecedem a folia.

Antes de ser rainha de bateria da Viradouro, Raissa foi eliminada de um concurso promovido pela escola para ocupar o posto. Também foi musa da Mocidade (2012) e destaque da Beija-Flor (2013) | Foto: Michele Iassanori

Nome: Raissa Machado Bagueira Leal

Idade: 33

Signo: Touro

Local de nascimento: São Luís (Maranhão)

Bairro onde mora: Icaraí, em Niterói

Casa ou apartamento? Apartamento

Mora com quem? Marido (Paulo Bagueira) e filha (Nicole)

Namorando ou ficando? Casada

Profissão: Empresária e modelo

Cor preferida: Branco

Animal de estimação: Uma cachorrinha (ela se chama Chanel)

Livro: “Greta”, da Mônica de Castro

Filme: “A culpa é das estrelas”

Um homem: Meu marido

Uma mulher: Minha mãe

Religião: Creio em Deus

Novela: “Avenida Brasil”, de João Emanuel Carneiro, para a TV Globo

Um Samba: “Orgulho de ser Niterói”, da Viradouro em 2014

Grife: Não ligo pra marca. Uso aquilo que realmente me faça sentir bem

Perfume: “Good Girl”, da Carolina Herrera

Não saio de casa sem: Protetor solar com tonalidade

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho um Jeep Renegade e queria muito uma Land Rover Evoque

Cantor: Roberto Carlos

Cantora: Ivete Sangalo

Ator: Alexandre Nero

Atriz: Adriana Esteves

Música: Samba de raiz e funk (Anita, Ludmilla, MC Leozinho)

O que eu quero: Trabalhar muito

O que eu não quero: Desigualdade

Gosto de ir: A qualquer lugar, desde que seja com meus verdadeiros amigos

Não gosto de ir: A jogos de futebol

Time: Flamengo

Programa de TV: “Amor & Sexo”, apresentado por Fernanda Lima, na TV Globo

Se não fosse rainha de bateria, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Seria, com certeza, porta-bandeira. Como uma apaixonada e tendo a Viradouro como minha segunda casa, eu estaria junto pra qualquer coisa.

Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borell
Produção: Fabiane Abreu
Locação: Clube Português de Niterói
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Making of fotos: Michele Iassanori
Texto: João Paulo Saconi

Ícone das histórias em quadrinhos, dos seriados e do cinema, a Mulher-Gato é uma das figuras que mais aguça a curiosidade dos marmanjos que sonham em descobrir quem está por trás da máscara, do chicote e de toda a malícia da mulher-felina que é responsável pelas maiores maldades de Gotham City. Enigmática, a vilã se tornou o caso amoroso mais duradouro na vida de Batman e, agora, vai fazer qualquer um cair de amores pelo novo ensaio do Sambarazzo.

Na ficção, a Mulher-Gato é o alter ego da comissária de bordo Selina Kyle, que se tornou uma criminosa após bater a cabeça em um acidente de avião. Por aqui, é Milena Nogueira – estreante no posto de rainha de bateria do Império Serrano e musa do Salgueiro há cinco carnavais – quem dá vida ao papel, interpretado nas telonas por atrizes consagradas como Michelle Pfeiffer, Halle Berry e Anne Hathaway.

A empresária, professora de educação física e mulher de 38 anos tem um gato pra chamar de seu: Diogo Nogueira. Ela é casada com o cantor e compositor há 12 anos, e topou o desafio de fotografar na pele de uma das mulheres mais fatais que já foi registrada pelas câmeras de Hollywood. Mãe de dois filhos, Milena não decepcionou ao transformar o Rio de Janeiro na própria cidade fictícia em que se passam a maioria das histórias dos super-heróis.

aa
Vestida de Mulher-Gato, Milena Nogueira posou no Museu do Amanhã, novo cartão-postal queridinho entre os cariocas | Foto: Michele Iassanori

Diogo Nogueira não soube que Milena encarnaria a personagem na madruga: “Saí de fininho”

Milena resolveu adotar realmente uma identidade secreta para posar para as lentes da fotógrafa Michele Iassanori, responsável por registrar os badalados ensaios do Sambarazzo. Nem o maridão Diogo Nogueira ficou sabendo que a amada se transformaria, por uma madrugada inteira, em Mulher-Gato nas ruas desertas do Rio de Janeiro.

– Quem disse que eu falei? O Diogo vai gostar, tá lindo. Ele só falou: ‘Foto a essa hora?’. Mas ele tava no telefone, aí eu saí dando tchau, de fininho. Achei bem diferente, nunca tinha feito um ensaio a essa hora da madrugada – revela Milena, que posou em frente ao Museu do Amanhã, na Zona Portuária carioca, e na Cinelândia, na região Central da “Cidade Maravilhosa”.

Vilã? Que nada! “Sou boazinha, até demais”, dispara Milena

Embora inspirada pela vilania da personagem, a estrela da Marquês de Sapucaí garante que as maldades não passam nem perto da sua personalidade. A única vez em que ela diz ter realmente enveredado para o lado negro da força foi quando se fantasiou de Hera Venenosa para a festa de aniversário de Viviane Araújo, rainha de bateria do Salgueiro.

– Sou meio bobona. Sempre boazinha, até demais. Até abusam da minha boa vontade nesse meio do Carnaval. Mas, tudo bem. Deixa pra lá. Eu tô nele porque eu quero. A Mulher-Gato é uma vilã, mas é tipo o Robin Hood. Eu gosto bastante do universo dos heróis – comenta a gata, que mantém o corpo sarado e pronto pra qualquer desafio fazendo musculação e controlando a dieta, sem doces nem álcool.

a
Milena Nogueira só se transforma em vilã quando veste uma fantasia: “Sempre boazinha, até demais” | Foto: Michele Iassanori

“O Império é uma escola digna de Grupo Especial”, destaca rainha

Ao ser questionada se a conquista do posto de rainha de bateria numa escola de samba da elite carioca estava entre os sonhos e planos que fez para sua trajetória na Passarela do Samba, Milena pontuou que, na visão dela, o Império Serrano, hoje na Série A, deveria ter um lugar cativo entre as 12 escolas que desfilam no Domingo e na Segunda-feira de Carnaval, o horário nobre da folia.

– De certa forma, já estou realizando (o sonho de ser rainha entre as escolas mais vistas), estando à frente da bateria do Império, pois é uma escola digna de Grupo Especial. Ela está desfilando no dia errado – brinca Milena Nogueira, que se não fosse rainha de bateria aceitaria desfilar como diretora de harmonia.

Mas, por enquanto, no currículo só consta a função mais cobiçada pela mulherada: ela reinou à frente da bateria da Caprichosos de Pilares e também brilhou em terras paulistas, com a Águia de Ouro.

Nome: Milena Nogueira

Idade: 38 anos

Signo: Sagitário

Local de nascimento: São José dos Campos, SP

Bairro onde mora: Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Meu marido, meus filhos e três cachorros

Namorando ou ficando? Casada há 12 anos

Filhos? Tenho dois, o Matheus e o David

Profissão? Professora de educação física e empresária

Cor preferida? Rosa

Animal de estimação? Cachorro

Livro? “Os caminhos de Mandela”, de Richard Stengel

Filme? “O Último Samurai”, com Tom Cruise

Um homem? Meu pai, Rubem

Uma mulher? Minha mãe, Dilcéia

Religião? Espírita

Novela? “Avenida Brasil”, de João Emanuel Carneiro

Um Samba? “Aquarela Brasileira”, do Império Serrano (1964)

Grife? Louis Vuitton

Não uso nunca: Peças falsificadas

Perfume: Love Chloé

Não saio de casa sem: Meu celular

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho uma Mercedes, que já é o que eu gostaria de ter

Cantor? Diogo Nogueira

Cantora? Alcione

Ator? Cauã Reymond

Atriz? Adriana Esteves

Música? “Desde que o samba é samba”, do Caetano Veloso

O que eu quero? Menos críticas e mais sorriso. Mais alegria. Mais cada um cuidando da sua vida

O que eu não quero: Inveja, aquela coisa de a pessoa querer ser você

Gosto de ir: À praia

Não gosto de ir: Ao mercado

Time? Flamengo

Programa de TV? “Quilo por quilo”, do Discovery

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Diretora de harmonia. Porque me preocupo muito com o desfile, com a organização. Sou muito ligada nisso

Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Rita Borell e Museu da Moda
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Making of fotos: Michele Iassanori
Texto: João Paulo Saconi

Respeitável, público! Leyla Barros, a mais nova estrela da seção de ensaios sensuais do Sambarazzo, está mais do que acostumada a brilhar diante dos olhos da plateia (e, agora, das lentes das câmeras). A gata, que é musa da Estácio de Sá desde 2009, começou a trabalhar como artista circense aos nove anos de idade e não parou mais de fazer sucesso, seja sob a grande lona ou em eventos sediados, mundo afora, em parques temáticos e navios de cruzeiro.

\aa
Além de musa da Estácio de Sá, escola da Série A do Carnaval carioca, Leyla Barros é artista circense | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Exercendo o ofício de sambista ou de acrobata, Leyla conquistou a preferência de espectadores em países como China, Itália, Turquia e Suécia (onde será a Rainha do Carnaval de 2017). Agora, é a vez da beldade cair no gosto dos internautas do site.

– Eu gostava de circo quando era criança, embora fizesse teatro e me interessasse pela capoeira também. Sempre fui apaixonada pelos números circenses de entretenimento, mas nunca gostei muito dos palhaços. Não chegava a ter medo, mas alguns deles eu achava sem graça. Fotografar no circo foi tranquilo, eu fiquei inibida no começo por ser o meu local de trabalho, mas passou – diz Leyla, que posou para as fotos no Circo Olímpico Up-Leon, no Centro do Rio de Janeiro.

feijoada-do-sambarazzo-ii-novo

Paixão pelo circo nasceu em projeto social

A relação de Leyla com o universo dos picadeiros surgiu a partir de uma oficina na ONG Ação da Cidadania, em Santa Teresa, também na região Central da “Cidade Maravilhosa”. Foi lá que o primeiro contato com os números circenses aconteceu, dando origem às habilidades da musa com as acrobacias, o malabarismo e até mesmo o equilíbrio sobre o monociclo, a modalidade favorita.

– Eu gosto muito do monociclo, sou apaixonada. Praticava no pequenininho quando era mais nova e, depois, aprendi a andar no maior. Tenho facilidade de reunir a dança com o circo, é um conjunto. Gosto muito de fazer acrobacias de solo. O circo obriga a gente a fazer muito exercício e força. É um preparo físico ao nível da academia. Tenho que saber equilibrar as medidas ideais para o corpo, visando o circo e o samba – conta a artista, que já trabalhou como passista-show e hoje é contratada de uma empresa de entretenimento pela qual se apresenta em espetáculos circenses.

aa
Apesar de dominar diversas modalidades circenses, Leyla morre de amores pelo monociclo | Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

“Sou Estácio doente”, garante a musa

Se alguém quiser matar Leyla de amor, parece que a Estácio de Sá é o lugar mais indicado. O coração da moça bate mais forte pela agremiação, que já a consagrou como madrinha de bateria, em 2012, quando brilhou ao lado de Luana Bandeira, rainha até hoje.

– Sou Estácio doente. Entrei para a ala de passistas com treze anos de idade, através de uma audição – comenta Leyla, que além da escola, carrega no coração o carinho pelo namorado Felipe Nascimento, um dos maiores apoiadores do ensaio abaixo, segundo ela.

Nome: Leyla Barros.

Idade: 26 anos.

Signo: Leão.

Local de nascimento: Ceará.

Bairro onde mora: Catumbi, região Central do Rio de Janeiro.

Casa ou apartamento? Apartamento.

Mora com quem? Minha mãe, Valneide.

Namorando ou ficando? Namorando.

Filhos? Não.

Profissão? Circense.

Cor preferida? Vermelho.

Animal de estimação? Pássaro.

Livro? “O alquimista”, de Paulo Coelho.

Filme? “O diabo a quatro”, dirigido por Alice de Andrade.

Um homem? Meu irmão, Paulo.

Uma mulher? Minha mãe.

Religião? Católica.

Novela? “Anjo mau”, de Maria Adelaide Amaral.

Um Samba? “Pavilhão do amor”, da Estácio de Sá.

Grife? Dolce & Gabbana.

Não uso nunca: As pessoas para ter algo na vida.

Perfume: “Sublime”, da Carolina Herrera.

Não saio de casa sem: Maquiagem.

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho uma (motocicleta) Bis e gostaria de ter Corola.

Cantor? Lucas Lucco.

Cantora? Beyoncé.

Ator? Tarcísio Meira.

Atriz? Cleo Pires.

Música? “Pra te fazer lembrar”, do Lucas Lucco.

O que eu quero? Ser cada vez mas feliz e realizar todos os meus sonhos.

O que eu não quero: Deixar de sambar.

Gosto de ir: Ao circo.

Não gosto de ir: Show de rock.

Time? Vasco.

Programa de TV? Não tenho um favorito.

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Tenho muito orgulho de ser musa. Já fui passista e madrinha de bateria, mas acho que seria porta-bandeira pelo orgulho de conduzir o pavilhão da escola na Avenida.

Fotografia: Michele Iassanori
Iluminação: Fabiane Abreu
Figurino: Maria Flor Lingerie
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Making of fotos: Michele Iassanori
Locação: Circo Olímpico Up-Leon

Por -

Por Redação

Após faturar três medalhas de ouro na Rio 2016, um chapéu personalizado da Velha Guarda da Portela e um convite especial para desfilar na azul e branco em 2017, o atleta Usain Bolt embarcou de volta para a Jamaica na noite de domingo, 21, mas a passagem do ídolo do atletismo pelo Brasil continua dando o que falar. O esportista, que caiu no samba com passistas cariocas, se entregou também aos carinhos da morena Jady Duarte, com quem foi fotografado em cenas íntimas que vazaram na internet.

O comportamento da moça, que conheceu Bolt em uma boate, passou a noite com ele e enviou as fotos que tirou para um grupo de amigas através do WhatsApp, rendeu muito assunto nas redes sociais. Entre os internautas que opinaram sobre o episódio, a porta-bandeira Alessandra Chagas, da Unidos do Viradouro, fez um desabafo sobre os que condenaram a postura do affair brasileiro de Bolt.

aaa

aa
Usain Bolt “caiu na net” em momentos íntimos com a carioca Jady Duarte e a porta-bandeira Alessandra Chagas, da Viradouro, manifestou-se sobre o caso através das redes sociais | Fotos: Divulgação e Alex Nunes

Alessandra, que defendeu o pavilhão da União do Parque Curicica no último Carnaval e anunciou recentemente a mudança para a vermelha e branco de Niterói, deixou claro que repudia a atitude de Jady, mas ainda assim defendeu a carioca das críticas que recebeu na internet pela exposição repentina e por supostamente ter recebido dinheiro pelo encontro. Sem economizar no textão, a sambista classificou de “hipócrita” quem criticou a brasileira por sair com Bolt, já que o campeão é comprometido há três anos com a jamaicana Kasi Bennet.

aaa
Soltou o verbo! A porta-bandeira Alessandra Chagas desaprovou as críticas feitas através das redes sociais à Jady Duarte | Foto: Reprodução/Facebook

A proximidade de Alessandra com o mundo do esporte, porém, não se resume ao comentário enfático sobre o romance do atleta “raio”. A dançarina, que já posou em um ensaio sensual para o Sambarazzo, abandonou a carreira de nadadora para se dedicar ao samba, conforme revelou durante a Olimpiada.

Por João Paulo Saconi

Colhinho da Páscoa, que trazes pra mim? Um lindo ensaio sensual com um trio de sambistas que vai fazer você, caro leitor, jurar que ele, o folclórico coelinho, de fato existe.

Dani Sperle, Elaine Ribeiro e Carol Sant’Anna, que costumam arrasar na Sapucaí, mostram que samba no pé não é o único quesito que dominam. Elas estrelam a seção de ensaios do Sambarazzo e provam, num estilo pra lá de sapeca, que o domingo pode ter outros atrativos além dos tradicionais ovos de chocolate que a data pede: esbenjam beleza, doçura e sensualidade.

– Para apimentar uma relação, vale tudo. Se eu estivesse namorando nesta Páscoa, com certeza colocaria a roupa de coelhinha e ainda incluiria chocolates na brincadeira. De vez em quando, é bom fazer essas graças. E chocolate serve pra lambuzar tudo, fica uma delícia – brinca Dani, que é musa da União da Ilha há seis anos e garante que não abre mão dos bombons recheados, os seus favoritos na hora de escapar da dieta.

Coelhinho da Páscoa, que trazes pra mim?! Dani Sperle, Elaine Ribeiro e Carol Sant'Anna no mais novo ensaio sensual do Sambarazzo | Foto: Michele Iassanori
Feliz Páscoa! Dani Sperle, Elaine Ribeiro e Carol Sant’Anna no mais novo – e por que não apetitoso? – ensaio sensual do Sambarazzo | Foto: Michele Iassanori

Já Carol, que é ritmista da Mangueira, a grande campeã do Carnaval 2016, elegeu a marca de chocolates suíços Lindt como a sua predileta para, no popular, “enfiar o pé na jaca”. A loira, que já posou para o Sambarazzo, conheceu a iguaria em  uma de suas turnês internacionais, já que além de tocar timbau na verde e rosa, ela roda casas de show em todo o mundo exercendo seu ofício mais apaixonado: cantar.

– Gosto muito do Lindt, é meu favorito. O Twix também é muito bom e o Kinder Ovo é o melhor ovo de Páscoa. Não compro ovo de Páscoa pra mim, só para as minhas afilhadas. Só ganho quando tenho sorte. Curti bastante posar como coelhinha, ficou melhor do que eu esperava – revelou a mangueirense, que aguça a curiosidade da galera ao dizer que talvez já tenha usado a fantasia de coelhinha do ensaio em outra ocasião especial e ainda mais íntima.

O ponto fraco de Elaine Ribeiro vai fazer a companhia da beldade coçar um pouquinho mais o bolso. Ela é fã do famoso bombom Ferrero Rocher. A ex-rainha de bateria da Porto da Pedra, da Série A do Carnaval carioca, que tirou uma espécie de ano sabático e ficou de fora da festa neste ano, priorizando exclusivamente apresentações como “mulata-show”, saboreia nesta Páscoa o próprio sabor da renovação: ela está decidida a voltar para ao Sambódromo carioca no ano que vem.

– Este ano não fui para a Avenida, nem para assistir. Viajei para Rio das Ostras (no litoral do Rio de Janeiro), porque precisava ter a certeza de que quero voltar. Costumo dizer que a Sapucaí é minha casa, é uma emoção única. Não consigo ficar longe do Carnaval, é minha vida. Tenhos meus projetos, mas não dá pra largar. É um casamento perfeito – finaliza Elaine.

Fotografia: Michele Iassanori
Assistente de fotografia: Fabiane Abreu
Figurino e acessórios: Fran Sérgio e Cristiano Bara
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Making of fotos: Michele Iassanori
Locação: Solar Imperial (conheça o site oficial e a página no Facebook)

Por João Paulo Saconi

A primeira vez a gente nunca esquece! Raíssa de Oliveira foi a primeira sambista a posar sensualmente para as lentes do Sambarazzo, e está de volta para repetir a dose em uma sessão de fotos que faz jus ao repeteco. Linda de viver, a estrela da Beija-Flor de Nilópolis revela o quanto cresceu desde que assumiu, aos 12 anos de idade, o cobiçado posto de rainha de bateria. Hoje, é um mulherão de parar o trânsito nas ruas e, principalmente, na avenida que mais a projetou para o mundo: a Marquês de Sapucaí.

Destaque na seleta lista de rainhas com raízes na comunidade, a soberana dos ritmistas da azul e branco acabou ganhando notoriedade pela forte identificação com os componentes.

– Me sinto privilegiada desde os meus 12 aninhos. Eu não acreditava que eu ia ser rainha de bateria. Sempre via na televisão que as rainhas de bateria eram mulatas de suas comunidades, atrizes e modelos, e eu nem acreditava que eu estaria ali ocupando aquele posto. Foi tudo muito novo pra mim também. Vim crescendo, criando mais maturidade, e hoje em dia eu vejo o quanto esse posto é almejado, o mais cobiçado pelas mulheres. Posso dizer que sou honrada porque vai fazer 14 anos que estou à frente da bateria, o que é motivo de orgulho – diz Raíssa, que vai muito além do rostinho bonito e da boa forma física: ela é formada em jornalismo e ainda tá caindo dentro dos estudos na área de moda.

Para garantir o corpaço – que é dos mais elogiados da folia carioca – Raíssa não abre mão de uma intensa rotina de preparação. Tudo, é claro, ela faz com a ajuda de profissionais gabaritados e empenhados em manter as curvas e a saúde em dia. E que saúde, hein?! O físico da moça chama muita atenção na pista do Sambódromo e nos eventos da Beija-Flor. O assédio? Ela tira de letra.

– Tenho acompanhamento de um personal trainer e de um nutricionista. Faço crossfit e frequento uma clínica de estética também, que é sempre bom. Sei me esquivar bem, até porque qualquer mulher bonita vai ser assediada. Tem quem goste de mim e tem quem critique, mas sei lidar com críticas e elogios – garante a beldade.

“Não vou pendurar as minhas sandálias”, garante Raíssa

Mesmo com tanto tempo de reinado, a gata nilopolitana está longe de pensar em “largar o osso”. Apesar da certeza de que ainda há muito o que mostrar na Sapucaí, ela garante que, quando parar, vai continuar vestindo a camisa – ou o bíquini – da escola do coração.

– Sei que a vida é feita de ciclos. O dia que eu deixar de ser rainha, não vou pendurar as minhas sandálias. Sou nova e vou continuar saindo na escola, fazendo o que eu gosto, que é sambar e passar alegria pro povo. Nada de pendurar os saltos altos – afirma a leonina, que não sai de casa sem…passar batom.

Nome: Raíssa de Oliveira

Idade: 25

Signo: Leão.

Local de nascimento: Hospital São José, em Mesquita, no Rio de Janeiro.

Bairro onde mora: Nilópolis.

Casa ou apartamento? Apartamento.

Mora com quem? Minha mãe, Lúcia Cristina, e meu irmão, o Diego.

Namorando ou ficando? Nenhum dos dois, mas tô bem! (risos).

Filhos? Não.

Profissão: Formada em jornalismo, mas atualmente atuando na área da moda.

Cores preferidas: Laranja, dourado, amarelo e vermelho.

Animal de estimação: Cachorro.

Livro: “O Caçador de Pipas”, de Khaled Hosseini.

Filme: “Um amor para recordar”, baseado no livro do Nicholas Sparks.

Um homem: Meu irmão, Diego.

Uma mulher: Minha mãe, Lúcia Cristina.

Religião: Sou católica.

Novelas: “O Clone” (Glória Perez) e “Avenida Brasil” (João Emanuel Carneiro)

Um Samba: “O povo conta a sua história: ‘Saco vazio não pára em pé’ – A mão que faz a guerra faz a paz”, da Beija-Flor (2003).

Grife: Uso qualquer coisa, desde que caia no meu gosto. Sem preferências por marcas.

Não uso nunca: Drogas.

Perfume: Sou viciada em perfume, faço até coleção.

Não saio de casa sem: Batom.

Carro que tem e o que gostaria de ter: Não tenho preferência por carro, se estiver andando e me levando nos lugares que quero ir, sem dar problemas, já está bom (risos).

Cantor: O rei Roberto Carlos.

Cantora: A diva Beyoncé.

Ator: Murilo Benício.

Atriz: Fernanda Montenegro.

Música: “Tá escrito”, do Grupo Revelação.

O que eu quero: Paz, amor e um mundo melhor.

O que eu não quero: Todas as coisas negativas.

Gosto de ir: É sempre bom conhecer lugares diferentes.

Não gosto de ir: Ao hospital.

Time: Torço pra todos, mas acho que sou um pouco flamenguista! Para o bem da nação rubro-negra (risos).

Programa de TV: “Vai que cola”, do Multishow.

Se não fosse rainha de bateria, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Seria carnavalesca ou ritmista.

Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Ateliê By Izaquis
Produção de Moda: Wallace Safra
Maquiagem: Victor Waltz
Acessórios: Nega Chic
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Making of fotos: Michele Iassanori

Por João Paulo Saconi 

Pequena notável! O apelido que eternizou Carmen Miranda cabe, no mundo do samba, para uma das mais belas musas da festa. É Graciele Chaveirinho, da Inocentes de Belford Roxo, escola da Série A do Carnaval carioca.

Com 1,65 metros de altura, essa mulata faz ganhar mais força aquela história de que tamanho não é documento. Aos 33 anos, a gata, que já encantou plateias como passista da Grande Rio e da Beija-Flor, está no melhor da forma e, embora sua função nos desfiles não conte ponto, ela reúne atributos dignos de nota 10.

– Já sofri muito preconceito por ser pequenininha. Principalmente em relação a trabalhos com dança e com show de mulatas. Até hoje o contratante quer mulher alta e eu perco bastante trabalho por conta da minha altura. Mas sou muito satisfeita com meu tamanho, adoro ser pequenininha. No início, me chateou, mas depois eu dei a volta por cima e fiz o meu trabalho – conta Graciele, que, pelo segundo ano consecutivo vai brilhar pela tricolor da Baixada Fluminense.

“Meu talento não está na minha altura”, avisa Chaveirinho

Graciele começou a dar os primeiros passos no samba bem cedo, aos 6 anos de idade, na Unidos da Ponte. escola da Série B. Desde então, Chaveirinho nunca mais abandonou o universo carnavalesco. Bom para o progarama “Esquenta”, da Rede Globo. É que a dançarina encantou a produção da atração comandada por Regina Casé em 2011, quando concorreu à vaga de Rainha do Carnaval do Rio. Ela não conquistou o posto, mas já está há cinco anos na TV.

– Meu talento não está na minha altura, mas sim na minha capacidade. Mesmo sendo pequenininha, sempre me destaquei. Nunca sofri preconceito das meninas que trabalham comigo. Consigo crescer no palco – afirma Chaveirinho, orgulhosa de suas conquistas: além do espaço no dominical, ela também ocupou posição de destaque na corte do Carnaval do Rio. Em 2014, ela foi a princesa da festa.

Fênix tatuada nas costas chama atenção no corpo da musa

No corpo escultural que Chaveirinho exibe aqui no ensaio sensual do Sambarazzo, Graciele revela algumas marcas: cinco tatuagens, incluindo uma enorme fênix nas costas. Mas o que chama atenção mesmo é o conjunto da obra, fruto de alguma malhação e dieta.

– Malho três vezes por semana e, quando posso, sempre faço dança de salão. É uma coisa que gosto muito. Minha alimentação é bem regrada, mas claro que às vezes eu como uma besteirinha, né? – confessa a mulata, que, a medir pelas fotos abaixo, não é muito de esconder o jogo.

Confira o ensaio sensual de Graciele Chaveirinho!

 

Nome: Graciele Souza Ferreira

Idade: 33 anos

Signo: Leão

Local de nascimento: Vilar dos Teles – São João de Meriti

Bairro onde mora: São João de Meriti

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Minha mãe, Maria da Graça, e meu filho

Filhos? O David Lucas, de 15 anos

Estado civil: Solteira sim, sozinha nunca

Profissão: Bailarina do “Esquenta”, da Rede Globo

Cor preferida: Amarelo

Animal de estimação: Não tenho, mas gosto de gatos

Livro: “A Proposta”, de Katie Ashley

Filme: “Sempre ao seu lado”, com o ator Richard Gere

Um homem: Jesus Cristo

Uma mulher: Minha mãe, minha rainha. Ela quem me ensinou a sambar.

Religião: Católica

Novela: “Laços de Família”, do Manoel Carlos

Um samba: “O Alabê de Jerusalém – O saga de Ogundana”, da Viradouro (2016)

Grife: Uso qualquer marca que me cair bem

Não uso nunca: Drogas

Perfume: La vie est belle, da marca Lancôme

Não saio de casa sem: Fazer o sinal da cruz

Carro que tem e o que gostaria de ter: Estou fazendo auto-escola, gostaria de ter um Hyundai i30

Cantor: Djavan

Cantora: Beyoncé

Ator: Tony Ramos

Atriz: Fernando Montenegro

Música: “Ela une”, do Jorge Vercillo

O que eu quero: Ter muita saúde para cuidar da minha mãe e do meu filho

O que eu não quero: Ficar sozinha

Gosto de ir: Shopping

Não gosto de ir: Onde não me sinto bem

Time: Flamengo

Programa de TV: “Esquenta”, da TV Globo

Se não fosse musa, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Rainha de bateria

Fotografia: Michele Iassanori
Figurino: Ateliê By Izaquis
Produção de Moda: Wallace Safra
Maquiagem: Victor Waltz
Making of vídeo: Paulinho Thomaz
Making of fotos: Michele Iassanori
Apoio: Luma Beach e Boutique Jack

Por -

Por João Paulo Saconi

Como numa monarquia tradicional, a rainha de bateria Evelyn Bastos quer manter a coroa de realeza dentro do reino do Morro da Mangueira. Pra não dar brecha a qualquer boba de outra corte se meter nos tronos reais do ‘Palácio do Samba’, a mulata, que está há apenas três anos à frente dos ritmistas da verde e rosa, já está pensando numa sucessora, que venha do projeto social da escola.

– Eu vim de projeto social, ganhei cesta básica quando pequena, então o que eu puder fazer e contribuir pra que isso tenha continuidade e pra que a minha sucessora seja uma menina que venha da Mangueira do Amanhã (projeto social da agremiação), que se dedique a isso… Eu vou fazer! Esse é meu propósito e a minha função como rainha de bateria – afirma Evelyn, que recentemente viu a irmã, Emelyn Bastos, ser eleita rainha da bateria na escola mirim da Mangueira. As duas são filhas de Valéria Bastos, que também já foi rainha de bateria da segunda maior campeã do Carnaval.

aaaaa
Herança! Evelyn Bastos, rainha de bateria da Mangueira pelo quarto carnaval seguido, quer que substituta seja da comunidade. O cargo já foi ocupado por famosas como Gracyanne Barbosa e Preta Gil | Foto: Felipe Araújo

‘Rainha de bateria tem que estudar’, defende Evelyn

Além do talento mostrando no samba do pé, a rainha mangueirense faz questão de lembrar as meninas da comunidade da Mangueira sobre a importância do estudo. Prestes a se formar em Educação Física, Evelyn quer dar o exemplo para as aspirantes ao posto de estrela da “Tem que respeitar meu tamborim”:

– O presidente (Chiquinho da Mangueira) pede pra ver os boletins e é bem rígido nessa questão. As meninas da comunidade me têm como referência, então, tenho que ter muito cuidado com o que vou fazer e falar. Sempre peço para estudarem, porque uma rainha de bateria tem que estudar. Tem que se dedicar para saber falar, para saber chegar e não ser somente o samba. Onde eu posso, levo isso. Falo isso pra elas, subindo e descendo o morro, dentro da minha rotina.

aaaaaa
“Tem que estudar”, diz Evelyn sobre o posto de rainha de bateria, que ela ocupa na Mangueira desde o Carnaval 2013 | Foto: Felipe Araújo

Nem só a beleza – que Evelyn já provou ter de sobra em seu ensaio para o Sambarazzo – e nem só o samba no pé. Além das qualidades geralmente esperadas de uma rainha de bateria, a mangueirense ainda destaca que construir uma marca própria é algo que ela não abre mão.

– Pra ser rainha de bateria é primordial você ter uma identidade real, independentemente de você estar com roupa luxuosa, com pena, com pouca pena, descalça, de pé no chão… Mas ter uma identidade real e mostrar o amor que vem de dentro é o que te embeleza e te faz realmente uma rainha de bateria – finaliza.

Cheia de samba de pé, Evelyn Bastos vai, pelo quarto ano seguido, apresentar a bateria “Tem que respeitar meu tamborim”, comandada pelos mestres Rodrigo Explosão e Vitor Art, quando a Mangueira entrar na Avenida na Segunda-feira de Carnaval, pelo Grupo Especial, encerrando os desfiles da festa mais popular do Brasil com o enredo “Maria Bethânia – a menina dos olhos de Oyá”, desenvolvido pelo carnavalesco Leandro Vieira.

Por -

Por Redação

Que toda mulher gosta de maquiagem, isso todo mundo sabe. Mas para não cair na mesmice quando o assunto é make-up, muitas gostam de impressionar nos tons, cores e novidades do mercado. A porta-bandeira da União do Parque Curicica, Alessandra Chagas, é dessas. Quem acompanha sua carreira sabe que cada ensaio, para ela, é um verdadeiro acontecimento no que diz respeito ao visual. E ela garante: o segredo é apostar no básico para sair elegante no final.

Quando estrelou ensaio sensual do Sambarazzo, Alessandra contou com o suporte do maquiador Victor Waltz. Mas a porta-bandeira também dá conta do recado sozinha: - Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo
Quando estrelou ensaio sensual do Sambarazzo, Alessandra contou com o suporte do maquiador Victor Waltz. Mas a porta-bandeira também dá conta do recado sozinha – Foto: Michele Iassanori/Sambarazzo

Aos 31 anos, Alessandra é dona de um salão de beleza em Niterói. Mas nos dias de ensaio de quadra, ela mesma prepara a maquiagem.

– Na maioria das vezes, sou eu mesma quem faço cabelo e maquiagem. É tudo rapidinho, em uma hora estou pronta – garante.

“Casa de ferreiro, espeto de pau”, como diz o ditado? As inúmeras selfies da porta-bandeira, como ela mesma gosta de tirar em suas redes sociais, já falam por si.

Alessandra Chagas revelou ao Sambarazzo, para onde já posou em ensaio pra lá de sensual, o segredo do make poderoso. O primeiro passo é a aplicação do primer, uma espécie de fixador que prepara a pele para receber a maquiagem, além de proteger do suadouro.

– Em seguida, uso uma base que tem efeito compacto e pronto. Disfarça tudo – explica Alê.

Truque! Para reforçar o efeito do batom, Alessandra.... Foto: Reprodução/Facebook
Truque! Para reforçar o efeito do batom, Alessandra usa iluminador ou dá um leve toque de sombra – Foto: Reprodução/Facebook

Olhos e boca ganham atenção especial da porta-bandeira.

– Gosto de me sentir um mulherão quando estou dançando. Por isso, não abro mão de um delineador preto nos olhos para marcar bem o olhar, além de um batom vermelho. Não abro mão dessa cor pra dançar – afirma.

Ainda no batom, Alessandra revela um truque para a etapa final: um iluminador ou com leve toque de sombra branca.

– É pra abrir bem a cor dos lábios na hora do sorriso – ensina.

Para o cabelo, a porta-bandeira aposta mesmo é no coque.

– Não gosto de dançar com o cabelo solto. O coque me dá um ar mais sóbrio e clássico. Acho um charme – opina.

Make-up resistente à chuva

A preocupação com maquiagem vem de longa data, desde os tempos em que Alessandra Chagas defendia o pavilhão da Porto da Pedra e da Rocinha, escolas por onde já teve passagem. Este ano, na Unidos do Viradouro, veio sua maior prova de fogo: desfilar debaixo de uma chuva torrencial que caiu sobre a Avenida na primeira noite de desfiles do Grupo Especial. Ao chegar na dispersão, Alessandra impressionou com o make intacto.

– Nos dias de desfile, faço tudo com um profissional. E quem me acompanha há mais de dez anos é o Leo Rangel. Fiz toda a produção com air brush, que deixa a maquiagem mais resistente e duradoura. Acabei o desfile encharcada pela chuva, mas com o mesmo carão – brinca.

No mosaico, ela exibe as diferentes facetas que exibiu em ensaios e na Avenida, criadas pelas mãos e pincéis de Leo Rangel, maquiador da porta-bandeira - Foto: Reprodução/Facebook
No mosaico, ela exibe as diferentes facetas que exibiu em ensaios e na Avenida, criadas pelas mãos e pincéis de Leo Rangel, maquiador da porta-bandeira – Foto: Reprodução/Facebook

Básica e elegante

MAC e Natura estão entre as marcas recomendadas por Alessandra.

– Prefiro gastar num produto de boa qualidade. Tanto que, nos ensaios, eu não preciso nem retocar nada -garante.

A cada ensaio, aliás, a porta-bandeira traz novidades. Toda terça, quando marca presença na quadra da União do Parque Curicica, Alê não dispensa um outfit (modelito) diferenciado.

Foto de capa: Michele Iassanori

Lutadora de Muay Thai, a rainha de bateria da Acadêmicos da Rocinha, Mônika Nascimento, ostenta um corpo sarado de tirar o fôlego. Aos 29 anos, a empresária do ramo da construção tem tudo para ser uma das sensações da Sapucaí em 2016.

Enquanto o Carnaval não chega, a loiraça, que também desfila como musa do Salgueiro, mostra aos leitores do Sambarazzo como está indo bem seu preparo para a Avenida. Casada e mãe de um filho, ela está com tudo em cima, e por isso estrela o novo ensaio sensual do site.

Nascida no Morro da Mangueira, Mônika mantém o corpo perfeito à base de doses diárias de malhação e uma penca de exercícios aeróbicos.

– Malho bastante. Não chego a ser tão certinha com comida, mas vai chegando perto do Carnaval, aí tenho que dar uma controlada – diz ela, que desfilará à frente dos ritmistas da Rocinha pelo segundo ano consecutivo.

Mônika pensa em desfilar como ritmista

Mas não são apenas os títulos de rainha e musa que Mônika carrega em sua trajetória no samba. A beldade já desfilou por agremiações como Paraíso do Tuiuti, Viradouro e Vila Isabel, além da própria Estação Primeira de Mangueira, sua escola de coração, em posições menos cobiçadas da festa. E afirma que toparia desfilar com uma fantasia bem mais comportada do que as que está habituada a usar: ela adoraria desfilar vestida de ritmista e mandando ver na percussão.

– Acho que vou até fazer umas aulas para ter algo diferente ano que vem na Rocinha. Adoro uma bateria. Acho que por isso seria percussionista. Acho o repique sensacional – revela.

A vida no samba

Mônika sempre esteve ligada ao Carnaval por causa de seus pais, que desfilavam, além de ter tios compositores da verde e rosa. E foi lá, no início da vida adulta, que Mônika iniciou sua carreira de passista.

– No começo eu relutava em ir aos ensaios, mas acabava convencida pela minha irmã, Jack Nascimento, que morreu aos 31 anos, em um acidente de carro. Começamos juntas como passistas da Mangueira e fomos princesas do carnaval juntas também, em 2007 – lembra a beldade, destacando que Jack sempre foi sua maior incentivadora e inspiração.

Casada com Pedro Fernandes, irmão de Regina Celi, a presidente do Salgueiro, e mãe de um menino de 5 anos, a musa salgueirense deseja acompanhar o cresimento do filho e participar da criação dos futuros netos, já que sonha em ser avó.

Confira as fotos exclusivas de Mônika Nascimento!

BATE-PAPO

Nome: Mônika Nascimento Silva Fernandes

Idade: 29 anos

Signo: Touro

Local de nascimento: Niterói

Bairro onde mora: Jacarepaguá

Casa ou apartamento? Casa

Mora com quem? Com meu filho e meu marido

Namorando ou ficando? Casada!

Filhos? Tenho um, de 5 anos

Profissão: Empresária. Tenho uma loja de construção na Região dos Lagos do Rio

Cor preferida: Vermelho

Animal de estimação: Meus cachorros. Tenho cinco rottweilers

Livro: “As 48 leis do poder”, de Robert Greene

Filme: “Velozes e Furiosos 7”

Um homem: Meu pai, Joubert

Uma mulher: Minha mãe, Martha

Religião: Acredito em Deus

Novela: “Avenida Brasil”, de João Emanuel Carneiro

Um Samba: “Tambor”, Salgueiro (2009)

Grife: Não tenho nenhuma preferida. Gosto de roupas que ficam bem em mim

Não uso nunca: Drogas

Perfume: Lady Million (Paco Rabanne)

Carro que tem e o que gostaria de ter: Tenho um Vectra. Gostaria de ter um Infiniti branco

Cantor: Victor e Léo

Cantora: Claudia Leitte

Ator: Tony Ramos

Atriz: Letícia Spiller

Música: “As rosas não falam”, de Cartola

O que eu quero: Saúde para ver meu filho crescer e ter minha família unida

O que eu não quero: Não quero ficar longe da minha família

Gosto de ir: Praia

Não gosto de ir: Cemitério

Time: Flamengo

Programa de TV: “Pânico na Band”, da TV Bandeirantes

Se não fosse rainha de bateria, que outra função gostaria de exercer numa escola de samba? Seria ritmista. Gosto demais de uma bateria de escola de samba

Fotografia: Michele Iassanori
Maquiagem: Victor Waltz
Making of: Paulinho Thomaz