Tags Artigos com tags "Unidos da Tijuca"

Unidos da Tijuca

Por -

Por Redação

A Unidos da Tijuca confirmou nesta segunda-feira, 17, que Elaine Azevedo assumirá o posto de rainha de bateria da escola para o ano que vem. A jornalista de esportes da TV Bandeirantes será apresentada oficialmente durante a eliminatória de samba-enredo no sábado, dia 6 de outubro.

Elaine desfilou como rainha de bateria da Estácio de Sá em 2018 – Foto: Flickr Riotur/Gabriel Monteiro

Após reinar na frente dos ritmistas da Estácio de Sá, da Série A, no último desfile, Elaine estreará no Grupo Especial e terá a missão de substituir a atriz Juliana Alves, que deixou o posto depois de seis temporadas.

– Estou muito honrada e empolgada para entrar na quadra da Tijuca como rainha. Espero, de verdade, ser abraçada por essa comunidade incrível do Borel – disse Elaine.

O presidente da azul e amarelo, Fernando Horta, justificou a escolha da apresentadora por causa do momento de mudança vivido pela agremiação.

– A renovação sempre trás mudanças, algo que a escola está precisando neste momento – resumiu Horta.

Nova rainha de bateria da Tijuca será apresentada no próximo sábado – Foto: Divulgação

Saída polêmica

Juliana Alves usou as redes sociais para se manifestar sobre a saída da Tijuca. A atriz afirmou que deixou o cobiçado posto da escola contra a própria vontade e que o motivo foi financeiro. No texto, Juliana não poupou críticas ao dirigente tijucano, Fernando Horta.

No Carnaval de 2019, a Unidos da Tijuca levará para a Avenida o enredo “Cada macaco no seu galho. Ó, meu Pai, me dê o pão que eu não morro de fome!”. O desfile abordará a história e o simbolismo do pão. O desenvolvimento é da comissão de Carnaval formada por Laíla, Fran Sérgio, Annik Salmon, Marcus Paulo e Hélcio Paim.

*Foto de capa: Flickr Riotur/Gabriel Monteiro

Por -

Por Redação

Após a Beija-Flor anunciar mudança na data da final de samba, a Mangueira também divulgou nesta quinta-feira, 13, que alterou o dia de escolher a obra que vai narrar o desfile de 2019. Inicialmente marcada para o dia 29 de setembro, a verde e rosa agora fará o evento no próximo dia 13 de outubro, dividindo a agenda de final com a Unidos da Tijuca, que elegeu a mesma data para definir seu hino.

No novo calendário divulgado pela Mangueira, a semifinal ocorrerá no dia 29 de setembro. No sábado seguinte, dia 6 de outubro, não haverá disputa na quadra da agremiação. Já no dia 11 do mesmo mês, a escola fará uma audição do intérprete da escola com os três sambas finalistas.

Mangueira alterou a data da escolha do samba-enredo para 2019 – Foto: Arquivo

Desta forma, veja abaixo como ficou o calendário de finais das escolas de samba do Grupo Especial. Anota aí na agenda!

Grande Rio – 22 de setembro

Mocidade – 22 de setembro

Vila Isabel – 28 de setembro

Viradouro – 29 de setembro

Beija-Flor – 4 de outubro

Portela – 5 de outubro

União da Ilha – 6 de outubro

Salgueiro – 11 de outubro

Unidos da Tijuca – 13 de outubro

Mangueira – 13 de outubro

Imperatriz Leopoldinense – 17 de outubro

*Tuiuti, Império Serrano e São Clemente já apresentaram o samba-enredo de 2019 em suas respectivas quadras. No dia 22 de setembro, a Grande Rio apresentada oficialmente o samba, que já foi escolhido e divulgado nesta quinta-feira, 13.

**Foto de capa: Arquivo

Por -
Betinho do Cavaco venceu disputa pela primeira vez na Beija-Flor | Foto: Eduardo Hollanda

Por Redação

A Beija-Flor de Nilópolis mudou o dia em que vai escolher o samba-enredo de 2019. Inicialmente marcada para 11 de outubro, a final da azul e branco foi antecipada e acontecerá no próximo dia 4 de outubro. O motivo foi adequar a data à agenda do intérprete Neguinho da Beija-Flor, que estaria em turnê nos Estados Unidos no dia escolhido anteriormente. A informação foi divulgada neste sábado, 8, pelo colunista Ancelmo Gois, do Jornal O Globo.

Neguinho da Beija-Flor nunca faltou a uma final de samba nos 42 anos de história com a azul e branco – Foto: Arquivo

Desta forma, veja abaixo como ficou o calendário de finais das escolas de samba do Grupo Especial. Anota na agenda!

Beija-Flor de Nilópolis mudou a data da final da escolha do samba-enredo pra 2019 | Foto: Eduardo Hollanda

Grande Rio – 22 de setembro (a escola de Caxias apresentará o samba encomendado neste dia)

Mocidade – 22 de setembro

Vila Isabel – 28 de setembro

Viradouro – 29 de setembro

Mangueira – 29 de setembro

Beija-Flor – 4 de outubro

Portela – 5 de outubro

União da Ilha – 6 de outubro

Salgueiro – 11 de outubro

Unidos da Tijuca – 13 de outubro

Imperatriz Leopoldinense – 17 de outubro

*Tuiuti, Império Serrano e São Clemente já apresentaram o samba-enredo de 2019 em suas respectivas quadras.

Por -

Por Redação

A Unidos da Tijuca escolheu a porta-bandeira que vai defender o pavilhão da escola em 2019. Raphaela Caboclo, que foi dispensada do Império Serrano, fará a estreia pela azul e amarelo. Ela voltará a dançar com Alex Marcelino após cinco anos – os dois formaram o primeiro casal da verde e branco da Serrinha entre 2011 e 2013.

Caboclo foi anunciada na tarde desta quarta-feira, 5, na Tijuca – Foto: Divulgação

O anúncio oficial ocorreu por meio do site da Tijuca.

Após o último desfile, Raphaela foi premiada com o “Estandarte de Ouro”, prêmio do Jornal O Globo, na categoria “Revelação”. Nas redes sociais, a porta-bandeira disse que o troféu foi “um sonho realizado”.

No último desfile, pelo Império Serrano, Caboclo levou o Estandarte de Ouro de Revelação – Foto: Flickr Riotur

Ex-porta-bandeira foi para o Salgueiro

Jack Pessanha anunciou em julho que deixaria a Unidos da Tijuca depois de uma única temporada. Ela e Marcelino perderam dois décimos dos jurados em 2018.

Em seguida, Jack foi oficializada como a primeira porta-bandeira do Salgueiro para 2019. A dançarina formará par com o irmão, Vinícius Pessanha. Em entrevista ao Sambarazzo, ela justificou a saída da azul e amarelo por causa do “amor” que sente pela vermelho e branco. 

*Foto de capa: Riotur

Por -

Por Redação

Com um enredo de viés religioso, sobre a história do pão, a Unidos da Tijuca tem na disputa de samba uma obra um tanto quanto abençoada. A gravação oficial do hino composto por Totonho, Dudu, Fadico e Marcelinho Moreira, atuais vencedores da escola, teve a participação de Padre Omar, que é reitor do Santuário do Cristo Redentor, no Rio.

Padre Omar é o reitor do Santuário do Cristo Redentor – Foto: Canção Nova/Divulgação

O religioso tem uma profunda ligação com o samba. Este ano gravou um álbum intitulado “Samba de fé”, que teve a participação de nomes como Xande de Pilares, Mumuzinho e Fundo de Quintal, conforme divulgou a coluna do jornalista Ancelmo Gois, do Jornal O Globo.

– A ideia foi minha, motivada pelas características do enredo. De uma conversa despretensiosa com o maestro Jorge Cardoso, vi que a parceria com o padre poderia render bons frutos e está rendendo. Jorge oficializou o nosso convite e o padre logo aceitou – declarou Fadico ao Sambarazzo.

Parceria usou um padre na gravação do samba concorrente para 2019 – Foto: Divulgação

Confira abaixo o clipe oficial do samba concorrente:

Tem padre no samba

Padre Omar destacou que concordou com a participação na parceria porque as escolas de samba também pregam uma mensagem de amor.

– O enredo da Unidos da Tijuca evidencia a fé, a religião e o amor que existe no universo do samba – disse Omar.

Padre Omar lançou um álbum de samba este ano – Foto: Divulgação

A relação de religiosos com o Carnaval não é rara. A Grande Rio tem um padre que desfila na ala de passistas, por exemplo. Padre Bráulio Francisco Tibúrcio venceu uma seleção e entrou para um dos principais segmentos de uma agremiação.

Outro que deu demonstração de que conhece as escolas de samba foi Padre Fábio de Melo. Ele compartilhou um vídeo de Milton Cunha, fazendo com que o carnavalesco ganhasse mais de cinco mil seguidores.

*Foto de capa: Divulgação

Por -

Por Redação

Mesmo ciente de que o cenário político não era dos mais favoráveis quando deu o sim ao Salgueiro, Jack Pessanha explicou ao Sambarazzo os motivos de deixar o posto de primeira porta-bandeira da Unidos da Tijuca para defender o pavilhão vermelho e branco no ano que vem. Ela e o irmão Vinícius Pessanha vão substituir Marcella Alves e Sidclei.

– Na realidade, o maior motivo foi poder retornar a parceria com meu irmão. É a realização de um sonho, e na nossa escola. Pra gente, é um momento mais que especial porque é o nosso retorno na dança juntos e ainda defendendo o pavilhão onde nascemos e fomos criados. O amor falou muito mais alto – diz Jack.

Irmãos! Jack e Vinícius retornam parceria após um ano separados – Foto: Reprodução/Instagram

Crias da escola mirim Aprendizes do Salgueiro, Jack e Vinícius defenderam o pavilhão da escola infantil entre os anos 2000 e 2006, quando foram para outras agremiações. Em 2016, retornaram ao Salgueiro como segundo casal. Jack deixou o posto após o carnaval de 2017, quando foi contratada para defender as cores da Unidos da Tijuca.

O mestre-sala lembrou que a dupla completará 20 anos de parceria em 2019. Por causa disso, os irmãos prometem uma sintonia ainda maior na Sapucaí.

Irmãos começaram defendendo a escola mirim Aprendizes do Salgueiro – Foto: Reprodução/Instagram

– Não digo que nossa parceria foi interrompida nesse período (a dupla ficou um ano afastada). Nós apenas seguimos caminhos diferentes. Agora, a união está de volta. Nem sei descrever essa sensação ainda – completa Vinícius.

Jack justificou saída da Tijuca: ‘O amor falou mais alto’ – Foto: Rogério Neves/Divulgação

Preparação profissional

Jack e Vinícius terão o auxílio de Stella Maris, bailarina e professora formada em Educação Física, pós-graduada em Musculação e Treinamento de Força. A treinadora, que já esteve como bailarina em comissões de frente e como assistente de coreógrafa de casais de mestre-sala e porta-bandeira, acumula passagens por agremiações diversas, entre elas Imperatriz, São Clemente, Vila Isabel e Tuiuti.

Casal terá o auxílio de Stella Maris na coreografia – Foto: Thiago Cardoso / Divulgação

– Quero desenvolver um trabalho corporal e coreográfico que valorize a apresentação na Avenida e nos leve à conquista da pontuação máxima. Sempre com muito amor, respeito e carinho. Amo o que faço – diz a coreógrafa.

*Foto de capa: Rogério Neves/Divulgação

Por -
Rainha de bateria da Tijuca se sente realizada no Carnaval | Foto: Irapuã Jeferson

Por Redação

Oficialmente fora do posto de rainha de bateria da Unidos da Tijuca, após seis anos na função, Juliana Alves usou as redes sociais nesta quarta-feira, 22, para se manifestar pela primeira vez sobre a saída. A atriz afirmou que está deixando o cobiçado posto da escola contra a própria vontade e que o motivo seria financeiro.

Atriz afirmou em post que saída foi por motivos financeiros – Foto: Reprodução Instagram 

No texto, Juliana agradece o carinho de todos os torcedores tijucanos, faz uma menção elogiosa ao Mestre Casagrande, que a elegeu como a “melhor rainha” da história da agremiação, e não poupou críticas ao presidente Fernando Horta.

– Vou sentir uma saudade da troca de olhares, dos beijos nas mãos cheias de história e dos abraços na velha guarda e nossas baianas. Saudades do passo marcado e do canto forte da harmonia, da cumplicidade com as passistas, riscando o chão, dos olhos marejando a cada vez que beijava nosso pavilhão com o casal de mestre-sala e porta-bandeira. Eita! E a falta que nem sei do poderoso som da bateria Pura Cadência! Como a gente se divertia, se emocionava e se curtia. Obrigada, pelo apoio fundamental do meu Mestre Casão e cada um dos ritmistas. Sem palavras pra agradecer. Presidente Fernando Horta, fico com sua frase: “o único motivo é financeiro”. A gente discorda em algumas coisas, mas eu sigo te respeitando, te admirando pelo que fez pela nossa escola nos últimos anos e sou muito grata por ter confiado a mim essa missão tão linda – escreveu a agora ex-rainha de bateria.

Juliana Alves desabafou sobre saída da Unidos da Tijuca | Foto: Irapuã Jeferson

A imagem postada no Instagram da artista vem recebendo centenas de comentários enaltecendo a postura de Juliana Alves. Alguns são de torcedores da azul e amarelo que já a tratam como “eterna rainha”.

A Unidos da Tijuca ainda não anunciou o nome da nova rainha de bateria, mas um dos mais cotados é o da jornalista Elaine Azevedo, que no último Carnaval foi rainha de bateria da Estácio de Sá, na Série A.

Jornalista é o principal nome para substituir Juliana Alves na Tijuca – Foto: Paulo Edu/Divulgação

Leia abaixo o texto completo de Juliana:

“O que tenho com a Tijuca é um valor construído ao longo de anos. Por ser tijucana, por ser sambista. Sou comunidade. Isso não tem só a ver só com o bairro onde vivemos. Tem a ver com o meu jeito de ser e meu jeito de sentir. Tem a ver com identidade. 
A minha alegria e meu orgulho viraram trabalho firme ao longo desses 6 carnavais.
E levei o nome da nossa Escola pra onde eu fosse, representando a agremiação e divulgando nosso trabalho. 
Nos ensaios, assídua e disponível a todos e a energia da comunidade era meu grande combustível mesmo quando eu tava triste ou cansada. Meu sorriso vinha fácil com tanto amor, tanto carinho que eu recebia e pra alegria de estar em casa.
Nos ensaios de rua e Tijuquinha, eu vivia o auge da alegria, com as crianças a frente da bateria. Naqueles momentos, tudo fazia mais sentido.
Porque representatividade importa sim. 
Eu sou como elas. E isso dá um brilho no olhar, uma relação, que dinheiro nenhum pode comprar. Fui muito feliz.
Vou sentir uma saudade da troca de olhares, dos beijos nas mãos cheias de história e dos abraços na velha guarda e nossas baianas. Saudades do passo marcado e do canto forte da harmonia, da cumplicidade com as passistas, riscando o chão, dos olhos marejando a cada vez que beijava nosso pavilhão com o casal de mestre-sala e porta-bandeira. 
Eita! E a falta que nem sei do poderoso som da bateria Pura Cadência! Como a gente se divertia, se emocionava e se curtia.
Obrigada, pelo apoio fundamental do meu Mestre Casão e cada um dos ritmistas. Sem palavras pra agradecer.
Presidente Fernando Horta, fico com sua frase: “o único motivo é financeiro”.
A gente discorda em algumas coisas… mas eu sigo te respeitando, te admirando pelo que fez pela nossa escola nos últimos anos e sou muito grata por ter confiado a mim essa missão tão linda.
Universo tá fazendo uma manobra mas sei e tenho fé em Deus que será revertida num bem maior… Estarei aqui na torcida e vibrarei positivamente pelo Borel e comunidade tijucana. 
Saio triste e contra a minha vontade mas agora, só com o tempo mesmo… “são coisas do meu coração”, como diz nosso samba.
Unidos da Tijuca, te amo pra sempre. 
A dor passa, o samba cura, o amor fica. “ Dá um show, Tijuca!”

Leia mais!

Mestre Casagrande comenta a saída de Juliana Alves da Tijuca: ‘Melhor rainha’

Luz na Passarela, que lá vem elas! Mestres de bateria analisam rainhas

Por -

Por Redação

Fora do cobiçado posto de rainha após seis anos brilhando pela Unidos da Tijuca, Juliana Alves deve deixar saudades pelas bandas do Borel, morro da Zona Norte do Rio onde a escola criou raízes. Dispensada na última terça, 21, ela já está fazendo falta para mestre Casagrande, que dividia com ela o espaço à frente dos ritmistas. Ao Sambarazzo, ele rasga elogios à ex-majestade e aproveita para fazer um convite público direcionado à atriz.

— Foi uma excelente rainha, a melhor que já tive, provavelmente a que ficou mais tempo no posto pela Tijuca. A Juliana já tava querendo descansar pra curtir a maternidade. Ela não tem nada pra reclamar da escola e nem eu dela: nunca atrapalhou meu trabalho. Acho que saiu na hora certa — afirma o comandante da “Pura Cadência”, numa referência à primeira experiência da artista com a maternidade, que comemorou a chegada da pequena Yolanda em setembro do ano passado.

Mestre Casão é só elogios para Juliana Alves, que não é mais rainha de bateria da Tijuca | Foto: Michele Iassanori

Elaine Azevedo, da Estácio, pode ser a substituta

Enquanto um dos nomes cotados para o posto é o da jornalista Elaine Azevedo, que no último Carnaval foi rainha de bateria da Estácio de Sá, na Série A, Casagrande deixa claro que ainda há espaço para Juliana Alves no desfile da agremiação:

— Acho que ela deveria vir no carro abre-alas como grande destaque da escola. Esse posto tá vago! A Juliana tem lugar cativo no coração do tijucano e representa muito pra gente.

Casagrande quer ver Juliana Alves como destaque do abre-alas da Tijuca, que já recebeu Elaine Azevedo no barracão para conversar sobre a vaga de rainha | Foto: Paulo Edu/Divulgação

“Quanto menos famosa, melhor”, diz mestre sobre nova rainha

Nada de muitos holofotes: Casagrande não quer que a próxima ocupante do trono seja uma mulher extremamente conhecida. Para ele, que já precisou lidar com o assédio dos fotógrafos e do público a Adriane Galisteu e Gracyanne Barbosa (que hoje brilha na União da Ilha), é essencial que a dona da coroa não represente um risco para a direção de bateria.

— Pra mim, é indiferente. Se não vier nenhuma rainha, vai me ajudar. Se for uma muito famosa, vai atrapalhar. Espero que seja uma mais tranquila. Quanto menos famosa, melhor — sustenta o profissional.

Leia mais!

The best! Casagrande sobre Juliana Alves: ‘Melhor rainha que a escola já teve’

Casagrande: ‘Rainha que só faz caras e bocas tem que dar dinheiro’

Por -

Por Redação

Nesta quinta-feira, 16, os compositores da Unidos da Tijuca entregaram as 12 obras que escreveram pra disputar a preferência da diretoria e ser o hino tocado em 2019 na Marquês de Sapucaí. Se depender de Laíla, que saiu da Beija-Flor após 23 carnavais consecutivos e agora integra a comissão de carnaval tijucana, o modelo clássico de disputa de samba-enredo permanecerá por um bom tempo como forma oficial de escolha.
Laíla ao lado de Fran Sérgio e Jardel Lemos, novos integrantes da Tijuca para 2019 – Foto: Divulgação
O diretor afirmou não ser fã dos sambas feitos “sob medida” – pelo menos três agremiações do Grupo Especial para o ano que vem encomendaram a música a compositores. Para Laíla, a festa acaba perdendo novos talentos.

– A encomenda é um esquema nocivo para o Carnaval. A disputa é tão bela. A música é questão de momento. Criar melodia é momento. Se a encomenda colar, é muito ruim para o Carnaval, para o samba… Nós estamos procurando descobrir, trazer, o jovem pra que ele conheça nossas raízes. Enfim, encomendar é muito ruim – declarou Laíla.

O diretor aproveitou para vender seu peixe e elogiar a safra de sambas sobre a história e o simbolismo do pão, o enredo da Tijuca. Laíla forma junto com Annik Salmon, Fran Sérgio, Fernando Costa, Hélcio Paim e Marcus Paulo a comissão de carnaval da escola.
Laíla está feliz com a safra de samba-enredo da Unidos da Tijuca para 2019 – Foto: Arquivo

– Tenho certeza que vamos ter um grande samba, temos sambas muito bons. Que seja assim não só aqui. Não sou egoísta, sou musicista. Faço escola de samba para o meu sustento, mas amo Carnaval mais do que o dinheiro. Estou muito feliz das coisas que estou podendo fazer aqui na Tijuca. O entrosamento da comissão está fantástico – disse.

“Não quero revanchismo”
Última escola a desfilar no Domingo de Carnaval, já com o dia amanhecendo (algo que na Beija-Flor sempre foi motivo de festa), a Unidos da Tijuca está numa posição considerada desafiadora pela diretoria. Mesmo assim, Laíla planeja fazer um “desfile histórico”:

– O melhor samba será bom em qualquer horário. Samba chama componente. Não existe escola de samba sem componente. Sem diretor tem. Sem alegoria tem. Estou muito tranquilo, quero paz, não quero revanchismo com ninguém. Que cada um faça o seu melhor para que tenhamos um desfile histórico.

*Foto de capa: Arquivo

Por -

Por Redação

O clima é de festa na Unidos da Tijuca, que comemora o nascimento da primeira filha da carnavalesca Annik Salmon, que faz parte da comissão de Carnaval da escola. A pequena Liz veio ao mundo na noite deste sábado, 11, na maternidade Perinatal da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, e foi recebida pela mãe e pelo pai, o químico Marcus Tenorio, que fez questão de compartilhar o momento da chegada através das redes sociais.

Durante a espera pela herdeira, a artista reuniu parentes e amigos para o tradicional chá de bebê e posou para um ensaio fotográfico feito pelo próprio irmão, Alain Salmon, no Parque Lage, na Zona Sul. Annik contou ao Sambarazzo que a gestação ocorreu com tranquilidade e adiantou que o grupo formado por ela, Hélcio Paim, Marcus Paulo Oliveira, Fran Sérgio e Laíla iria passar a trabalhar por chamada de vídeos após o nascimento.

— Nós estamos muito conectados. Esquematizamos um computador no barracão pra que eles possam falar comigo através do Skype — explicou a mais nova mamãe da Cidade do Samba, que em maio se reuniu junto de outras gestantes do mundo do samba no complexo de barracões da Zona Portuária da cidade.

Annik Salmon e o marido, Marcus Tenorio, deram as boas-vindas à pequena Liz, primogênita da artista da Unidos da Tijuca | Foto: Reprodução/Facebook

Por -

Por Redação

Desde 2010, quando exibiu a famosa comissão de frente da eletrizante troca de roupa comandada pelos coreógrafos Priscilla Mota e Rodrigo Negri (atualmente na Mangueira), a Unidos da Tijuca vem buscando soluções criativas para gabaritar o quesito. Para 2019, o foco é o mesmo. Estreando no Grupo Especial e na agremiação, Jardel Augusto Lemos, que agora está à frente do segmento substituindo Renato Vieira, quer escalar novos integrantes para o elenco.

Apesar da estreia no Grupo Especial, Jardel já acumula 13 anos com experiências em comissões de frente – Foto: Sambarazzo

O coreógrafo fará uma audição no próximo dia 20, na quadra da escola, para os interessados em desfilar no setor mais festejado do Carnaval nos últimos anos. Jardel procura homens e mulheres entre 18 e 35 anos, com experiência em dança e teatro.

– Ter a técnica é sempre forte, mas o que vai contar mais durante a avaliação é a expressividade. Vamos trabalhar muito com dança e teatro e estamos procurando alguém que tenha experiência nessas áreas – explica.

Em 2018, a comissão de frente da Tijuca foi coreografada por Renato Vieira, que acabou saindo da agremiação – Foto: Gabriel Monteiro/Riotur

Os candidatos precisam ter disponibilidade para ensaiar no período da noite, entre os meses de outubro e março. Jardel ainda não contabilizou o número de vagas disponíveis, mas garante que não serão poucas. Até o momento, já teve 40 confirmações de interessados em participar da audição.

A última comissão de frente da Tijuca representava o início do teatro. O quesito perdeu 0,3 pontos – Foto: Gabriel Monteiro/Riotur

– Será um número bacana de vagas, sempre costumo fazer isso porque agrega ao nosso trabalho, tanto pra mim quanto para o bailarino. Também quero privilegiar os componentes que já passaram pela Tijuca. Quero agregar pessoas que são da escola ou que nunca desfilaram e têm essa vontade – afirma o profissional de dança, que assinou a comissão de frente da Porto da Pedra (Série A) em 2018.

Para participar do teste de seleção, basta levar no dia 20, a partir das 20h, um currículo com resumo das experiências artísticas acumuladas e uma foto. A quadra da Tijuca fica na Avenida Francisco Bicalho, 47, na Leopoldina, na Zona Central do Rio. Mais informações: (21) 98282-4622.

Fez história! Em 2010, a Unidos da Tijuca arrasou com uma comissão de frente cheia de truques I Foto: Pedro Kirillos/Riotur

Comissão de frente caseira

A Imperatriz Leopoldinense também deve apostar em formar bailarinos da comissão de frente em audição aberta. Ao Sambarazzo, o novo coreógrafo da verde e branco, Fábio Batista, disse que pretende realizar uma seleção entre os componentes da Imperatriz.

Por -

Por Redação

Com todos os enredos do Grupo Especial definidos, as escolas começam agora a receber os sambas concorrentes. À exceção de Paraíso do Tuiuti, São Clemente, Grande Rio e Império de Serrano, que optaram por não fazer disputa e já encomendaram seus sambas-enredo a compositores, todas as demais agremiações já divulgaram o calendário da escolha da obra que vai ser cantada na Marquês de Sapucaí.

Pra você não ser pego de surpresa e marcar outro compromisso no dia e acabar perdendo alguma final, o Sambarazzo reuniu abaixo todas as datas. Anote na agenda!

A partir do mês que vem, escolas do Grupo Especial começam a escolher o samba-enredo de 2019 – Foto: Arquivo

São Clemente – 2 de setembro (a agremiação reeditará o samba de 1990 e fará festa neste dia)

Grande Rio – 22 de setembro (a escola de Caxias apresentará o samba encomendado neste dia)

Mocidade – 22 de setembro

Vila Isabel – 28 de setembro

Mangueira – 29 de setembro

Viradouro – 29 de setembro

Portela – 5 de outubro

União da Ilha – 6 de outubro

Salgueiro – 11 de outubro

Beija-Flor – 11 de outubro

Unidos da Tijuca – 13 de outubro

Imperatriz Leopoldinense – 15 de outubro

*Tuiuti e Império Serrano já apresentaram o samba-enredo de 2019 nas quadras.

**Foto de capa: Arquivo

Por -
a

Por Redação

A Unidos da Tijuca está sem primeira porta-bandeira. Jack Pessanha usou as redes sociais nesta segunda-feira, 30, para anunciar o desligamento da azul e amarelo. Nos bastidores, rola o papo de que a dançarina esteja de malas prontas para o Salgueiro, que ainda não anunciou uma substituta para Marcella Alves.

Na vermelho e branco, Jack deve dançar com o irmão, Vinicius Pessanha. Os dois já foram o segundo casal da “Academia do Samba”, em 2016 e 2017, e já defenderam o pavilhão da Paraíso do Tuiuti durante três carnavais (2014 – 2016).

No texto, Jack agradece o presidente tijucano, Fernando Horta, pela oportunidade de dançar na agremiação. De acordo com a porta-bandeira,  o momento simbola o começo de uma “nova trajetória”.

— Pra mim, o encerramento não é uma escolha e sim um destino. Pois a obrigatoriedade de se permitir novos momentos resgata a liberdade e abre o coração para uma nova oportunidade — escreveu.

Jack Pessanha, que defendeu o pavilhão da Tijuca no último Carnavla, não faz mais parte da equipe da escola | Foto: Reprodução/Instagram

Por -

Por Redação

O nascimento da pequena Liz será o acontecimento mais aguardado do mês de agosto pela família da carnavalesca Annik Salmon, da Unidos da Tijuca. A artista está grávida de 36 semanas, o equivalente a nove meses, e o nascimento da primeira herdeira está previsto para 13 de agosto.

Contando os dias para conhecer a filha, Annik aproveitou uma folguinha nos trabalhos da Cidade do Samba, na Zona Portuária do Rio, para ser fotografada durante os momentos finais da gestação. O ensaio vai parar naquele álbum que toda família faz questão de ter pra mostrar.

Os registros foram feitos pelo irmão dela, Alain Salmon, no Parque Lage, aos pés do Corcovado, na Zona Sul do Rio. As fotos contaram com a participação especial do maridão, Marcus, e do enteado, Felipe. Entre uma recordação e outra, a profissional do mundo do samba conta que o momento mágico envolve também o trabalho na agremiação. Ela assina os carnavais tijucanos há quatro temporadas.

— O médico até mandou que eu ficasse em casa, mas sigo indo para o barracão e não deixei de trabalhar nenhum dia. Parei de dirigir e fico na dependência das caronas do meu marido ou do meu pai. Estamos adiantando o máximo possível dos desenhos de fantasias e alegorias pra que a Liz possa chegar com tranquilidade nas próximas semanas — conta a futura mamãe da “Fábrica de Sonhos do Carnaval”, que viu a lendária cegonha passar com a notícia da gravidez de profissionais de outras escolas, conforme mostrou o Sambarazzo recentemente.

À espera de Liz! Annik Salmon é só felicidade no aguardo do nascimento da primeira filha | Fotos: Alain Salmon

Comissão de carnaval vai trabalhar pela Internet

Para permitir que Annik continue participando ativamente do processo de criação do Carnaval de 2019 da turma do Morro do Borel, na Zona Norte do território carioca, a comissão de carnaval responsável pelo desfile está se programando para trabalhar virtualmente com a mãe de Liz. O time de artistas formado por Hélcio Paim, Marcus Paulo Oliveira, Fran Sérgio e Laíla foi, segundo Annik, bastante importante nos últimos meses.

— Nós estamos muito conectados. Esquematizamos um computador no barracão pra que eles possam falar comigo através do Skype, depois que a bebê já tiver chegado — explica a carnavalesca, que está empenhada em desenvolver ao lado dos colegas um enredo sobre o pão, tema que a Tijuca vai cantar no ano que vem.

Confira as fotos do ensaio!

Fotos: Alain Salmon

Por -

Por Redação

O intérprete Fabio Crispiano do Nascimento, o Sobrinho, figura bastante querida no Carnaval, morreu no último sábado, 14, vítima de um infarto. O corpo do cantor, que se despede do samba aos 67 anos, vai ser enterrado nesta segunda-feira, 16, no cemitério do Catumbi, na Zona Norte do Rio, a partir das 14h.

Sobrinho chegou a ser elogiado pelo Rei Roberto Carlos – Foto: Reprodução Instagram

Sobrinho começou no Carnaval na Mangueira, nos anos 1970, quando se tornou animador da quadra da verde e rosa. Entre 1981 e 1984, foi o intérprete oficial da Unidos da Tijuca, dando voz aos enredos “Macobeba”, “Lima Barreto”, “Brasil, devagar com o andor” e “Salamaleikum”. O cantor ainda teve passagens pelas escolas Acadêmicos de Santa Cruz, Unidos de Vila Isabel e Império Serrano.

No desfile da Unidos da Tijuca de 1983, Sobrinho encantou até o rei Roberto Carlos, que estava na Marquês de Sapucaí naquele ano. Ao ser entrevistado pela Rede Globo, Roberto disse ter ficado impressionado com a voz do homem que entoou o samba.

Cantor foi homenageado na quadra da Tijuca em 2010 – Foto: Reprodução Instagram

– Quando passei em frente ao camarote, ele ficou pasmado ao ver um cara magrinho, maior cabeção e um óculos fundo-de-garrafa. Chegou a pensar que a voz fosse de um negão. E ainda achava que eu ‘trotava’ quando cantava. É que eu faço um movimento para ajudar o diafragma. Depois de tudo isso, ele falou: ‘Bonito’. Então, eu sou bonito, nas palavras do Rei. Palavra de rei não volta atrás – brincou o intérprete em entrevista ao site O Batuque, na época em que recebeu o elogio de RC.

*Foto da capa: Reprodução Instagram

Por -

Por Redação

A Unidos da Tijuca encerrou nesta quarta-feira, 11, o ciclo de divulgação de enredos do Grupo Especial para o Carnaval 2019. A escola do Borel vai cruzar a Sapucaí ano que vem com o tema “Cada macaco no seu galho. Ó, meu Pai, me dê o pão que eu não morro de fome!”, sobre a história e a simbologia do pão ao longo dos tempos.

A comissão de carnaval tijucana, que agora é formada por Laíla, Annik Salmon, Hélcio Paim, Fran Sérgio e Marcus Paulo, pretende fazer críticas sociais dentro do desfile, ao abordar situações de extrema pobreza e a fome. A parte religiosa também não ficará de fora da apresentação tijucana, ao mostrar a multiplicação de pães, um dos milagres de Jesus Cristo.

Confira abaixo todos os enredos divulgados para o ano que vem!

Beija-Flor – “Quem não viu vai ver… As fábulas do Beija-Flor” 

Paraíso do Tuiuti – “O salvador da pátria”

Salgueiro – “Xangô”

Portela – “Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir cantar uma Sabiá”

Mangueira – “História pra ninar gente grande”

Mocidade – “Eu sou o Tempo. Tempo é Vida”

Unidos da Tijuca – “Cada macaco no seu galho. Ó, meu Pai, me dê o pão que eu não morro de fome!”

Imperatriz – ‘Me dá um dinheiro aí’ 

Vila Isabel – ”Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a Cidade de Pedro”

União da Ilha –  “A peleja poética entre Rachel e Alencar no avarandado do céu”

São Clemente – “E o samba sambou…”

Grande Rio – “Quem nunca? Que atire a primeira pedra!”

Império Serrano – “O que é, o que é?”

Viradouro – “Viraviradouro!”

*As logomarcas do enredo de Portela, Unidos da Tijuca, Beija-Flor e Império Serrano ainda não foram divulgadas pelas agremiações.

*Foto de capa: Fernando Maia/Riotur

Por -

Por Redação

Integrante da comissão de carnaval da Unidos da Tijuca, Annik Salmon reuniu familiares e amigos neste sábado, 23, para o chá de bebê da primeira filhinha. Liz deve nascer em agosto e é fruto do relacionamento da artista com o químico Marcus Tenório. A festa contou com uma decoração em tons cor de rosa e com muitas ovelhinhas.
Decoração foi feita pela mamãe carnavalesca – Foto: Sambarazzo
Tudo ideia da mamãe carnavalesca, que botou a mão na massa pra contemplar os convidados.

– Contei com a ajuda de alguns familiares, mas tive a ideia de toda a decoração. Forrei pufes, pintei, decorei. Deu trabalho (risos) – diz Annik, que descobriu a gravidez em dezembro do ano passado.

Unidos! Integrantes da comissão de carnaval da Tijuca prestigiam chá de bebê da colega – Foto: Sambarazzo
A artista também recebeu os colegas de trabalho na recepção realizada na Ilha do Governador, bairro da Zona Norte do Rio, onde mora. Fran Sérgio, novo integrante da comissão de carnaval da Unidos da Tijuca, Hélcio Paim e Marcus Paulo estiveram presentes. O diretor de carnaval Fernando Costa completou o time.
Fernando Costa, diretor de carnaval da Tijuca, marcou presença – Foto: Sambarazzo

– É muito bom saber que vou poder contar com o apoio de todos eles nessa minha primeira gestação. A Liz vai nascer agora no período que a gente vai estar desenhando, fazendo protótipos. A ajuda da comissão vai ser fundamental – afirma.

A Unidos da Tijuca ainda não divulgou o enredo oficial para o Carnaval 2019.
Liz é a primeira filha de Annik com o químico Marcus Tenório – Foto: Sambarazzo 
Time de mamães
Além de Annik, outras profissionais do Carnaval receberam a visita da cegonha. Entre elas, as portas-bandeira Dandara Ventapane, da Ilha, Verônica Lima, do Império Serrano, e Jaçanã Ribeiro, da Inocentes de Belford Roxo. A coreógrafa da comissão de frente da Mangueira, Priscilla Mota, também vai ser mamãe. Todas se reuniram em uma tarde na Cidade do Samba para uma sessão de fotos para o Sambarazzo.

Por -

Por Redação

A fertilidade definitivamente está em alta no Carnaval carioca. A mais nova grávida da praça é a porta-bandeira da União da Ilha do Governador, Dandara Ventapane. Apesar da barriga ainda pouco aparente, ela já está no quarto mês de gestação. Para curtir esse momento maternal, o Sambarazzo resolveu reunir algumas das futuras mamães carnavalescas para uma sessão de fotos na Cidade do Samba.
Dandara está no quarto mês de gravidez – Foto: Irapuã Jefferson
O papo entre elas, claro, foi praticamente só um: bebês. Mas a ala feminina do samba também aproveitou o encontro pra falar sobre a festa.
Dandara, que ainda não sabe o sexo do primeiro herdeiro, deve ter a criança até a primeira semana de novembro. Com os desfiles das escolas de samba marcados para março do ano que vem, ela planeja ensaiar a partir de janeiro.

– Estou passando por várias mudanças na minha vida. O ano de 2018 é realmente de mudanças. Quando comuniquei à Ilha (sobre a gravidez), já estava com todo o cronograma de ensaios na minha cabeça. Na próxima semana, vou começar uma preparação física. Quero já estar com a coreografia pronta antes do parto, mas só vou ensaiar mesmo em janeiro. Vou ter aí dois meses de ensaios – explica a neta de Martinho da Vila.

Tanto Jaçanã (à esquerda), Verônica (no meio) e Dandara planejam desfilar no ano que vem – Foto: Irapuã Jefferson
Verônica Lima, do Império Serrano, também pretende voltar aos ensaios logo um mês depois ver o bebê nascer. A porta-bandeira, que já é mãe de gêmeas, torce pra ter um menino em outubro.

– Atualmente, o nosso organismo precisa de um mês pra descansar após o parto. Então, em dezembro, já devo começar os ensaios. Essa gravidez foi uma surpresa pra mim. Estou torcendo pra ser um menino desta vez (risos) – aponta Verônica.

Verônica ainda não sabe qual sexo do bebê, mas torce por um menino – Foto: Irapuã Jefferson
Para Jaçanã Ribeiro, da Inocentes de Belford Roxo, a gravidez era esperada (e foi muito comemorada). Ela vai ter a segunda filha, que se chamará Isabel.

– No dia do desfile, senti que estava grávida. Fui confirmar dias depois. Como a Isabel vai nascer em outubro, em dezembro eu já devo estar de volta pra Inocentes. Quero levar minha bebê comigo, claro – entrega Jaçanã.

Annik e Priscilla contaram que estão planejando gravidez há dez anos – Foto: Irapuã Jefferson
Sala com berço
No quinto mês de gestação, a coreógrafa Priscilla Mota não quer desgrudar do primeiro filho de jeito nenhum. Ela e Rodrigo Negri assinaram um contrato com a Mangueira já incluindo uma sala para o casal. No espaço, além dos ensaios da comissão de frente, os dois pretendem cuidar da criança.

– Eu gosto de ficar aqui na Cidade do Samba. Gosto de passar o dia aqui. Então fechamos o contrato com essa sala, pra eu poder trazer meu filho pra cá – revela Priscilla, que brinca: – Castanheira (Jorge, presidente da Liesa), tem que montar uma creche na Cidade do Samba!

O “casal segredo”, como a dupla ficou conhecida, deve ver a tão desejada criança em setembro. O menino, que deu trabalho para ser descoberto, vai se chamar Davi.
Annik exibe o barrigão de seis meses – Foto: Irapuã Jefferson
Trabalho de casa
A carnavalesca da Unidos da Tijuca, Annik Salmon, vai para o sétimo mês de gravidez e se prepara para a chegada da Liz, que deve nascer em agosto. Ela planeja levar a menina para o trabalho durante a preparação para o Carnaval de 2019.

– Estava pensando nessa gravidez há muito tempo. Acho que, quando a vontade de ser mãe bate, não tem mais como controlar. Estou nessa expectativa da Liz nascer. Quanto ao trabalho, vou contar com a ajuda da comissão (formada por Helcio Paim, Fran-Sergio, Marcus Paulo e Laíla) e posso desenhar de casa também – explica Annik.

A rainha de bateria da Vila Isabel, Sabrina Sato, aguarda a chegada da primeira filha, ainda sem nome. A japa tem dividido com os fãs os principais momentos da gravidez. Sabrina também tem dito que continua no posto da azul e branco em 2019, conforme Dandara Oliveira confirmou ao Sambarazzo.
*Foto de capa: Irapuã Jeferson

Por -

Por Redação

Contratados pela Unidos da Tijuca para o Carnaval 2019, Laíla e Fran Sérgio também darão expediente na folia paulistana. Os dois foram apresentados neste sábado, 14, como novos integrantes da Águia de Ouro, durante uma feijoada. Eles farão parte de uma comissão que ainda será formada pelos carnavalescos Sérgio Caputo Gall, que já estava na agremiação, e Beth Trindade. Laíla será responsável pela direção de carnaval, já Fran atuará como carnavalesco.

Laíla e Fran Sérgio também fazem parte do time da Águia de Ouro – Foto: Reprodução Instagram

Este será o segundo ano seguido de Fran Sérgio assinando um desfile no Anhembi. Neste ano, ele foi carnavalesco da Vila Maria, que terminou em 9º lugar. Para Laíla, será um retorno. O diretor já atuou na Unidos do Peruche no início dos anos 90.

A Águia de Ouro venceu o Grupo de Acesso do carnaval paulistano em 2018 com enredo “Mercadores de sonhos”. Com isso, garantiu sua volta ao Grupo Especial no ano que vem.

Fran postou em suas redes sociais a novidade – Foto: Reprodução Instagram

Laíla e Fran já estão acostumados a trabalhar juntos, tanto que marcaram época pela Beija-Flor de Nilópolis. Laíla saiu da azul e branco nesta temporada, após o título de 2018, num desfecho de casamento de mais de 40 anos, entre idas e vindas. Ao todo, o decano diretor participou de 13 dos 14 títulos da nilopolitana. O carnavalesco Fran Sérgio é outro com décadas de serviços prestados à maior campeã do Século XXI. Pela Beija, Fran ganhou oito vezes (1998, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2011 e 2015). Os dois agora encorpam também o time que já tinha Annik Salmon, Hélcio Paim e Marcus Paulo, da Unidos da Tijuca.

NOSSOS ENSAIOS