Tags Artigos com tags "X-9"

X-9

Por -

Por Redação

Oficialmente assinando cinco sambas para 2019 no Rio (Paraíso do Tuiuti, Grande Rio, Renascer de Jacarepaguá, Inocentes de Belford Roxo e Rocinha), além da X-9, de São Paulo, Cláudio Russo completará 30 anos de Carnaval no ano que vem com um marco na carreira. O compositor, que virou referência no quesito samba-enredo, fez um levantamento e revela ao Sambarazzo que já ganhou mais de 100 sambas em disputas.

Apesar do expressivo número, Russo não tem dificuldade de apontar qual samba foi o mais importante da carreira.

Russo e Moacyr estão juntos há pelo menos cinco temporadas – Foto: Reprodução Facebook

– Já fiz samba pro Rio e São Paulo, Rio Grande do Sul, até pra Argentina. Posso citar vários sambas que foram especiais, como Beija-Flor 2004 (sobre Manaus), Beija-Flor 2007 (sobre as realezas africanas), Renascer 2017 (‘O papel e o mar’), mas o que marcou mesmo foi Tuiuti 2018. Nunca saí tão feliz da Avenida quanto esse ano. Nem nas vitórias da Beija-Flor. Foi uma emoção única. A comissão de frente foi sensacional, mas o samba faz parte dessa vitória da escola – contou Cláudio.

Autor do samba do ano que vem da azul e amarelo de São Cristóvão, atual vice-campeã da festa, o compositor acrescenta que a obra sobre o Bode Ioiô deu muito mais trabalho de fazer do que ao falar sobre a escravidão. Segundo o poeta, a trajetória de um animal retirante e que chegou a ser eleito vereador foi mais difícil de traduzir em letra e melodia.

O compositor assina com André Diniz o samba da X-9 Paulistana – Foto: Reprodução Facebook

– Eu estava preocupado porque a história do bode é mais conhecida por intelectuais e pelas pessoas de Fortaleza (CE). Transformar em samba foi difícil. A preocupação minha e do Moacyr (Luz, parceiro do samba junto com Dona Zezé, Jurandir e Aníbal) era que não ficasse parecendo um jingle político. Mas a melodia fluiu muito bem. Tenho certeza que esse samba vai voar muito – aposta Russo.

“Bom samba requer um bom enredo”

Na tentativa de desvendar o segredo para o sucesso das obras que assina, o compositor lembra que deve muito aos parceiros que conseguiu fazer ao longo da bem-sucedida trajetória. Um dos mais fieis é Moacyr Luz. Os dois estão juntos há pelo menos cinco temporadas. Fizeram juntos, por exemplo, o samba em homenagem a Candeia pela Renascer de Jacarepaguá (a cantora Teresa Cristina também assinava a obra).

Russo ainda destaca que a receita para um bom hino mora na escolha de um bom tema.

Cláudio Russo completa 30 anos de carreira no Carnaval com mais de 100 sambas assinados – Foto: Ewerton Pereira/Divulgação

– Tenho que agradecer pela confiança no meu trabalho. Não ganho nada com amizade. Confiam na qualidade do meu trabalho. Além de grandes parceiros, como o Moacyr e o André Diniz, eu estudo muito. Leio bastante sobre as narrativas do Brasil. E, claro, se o enredo for ruim, não dá pra fazer um bom samba. Um bom samba requer um enredo antológico – explicou.

Renascer lança samba no sábado

Com o enredo “Dois de Fevereiro no Rio Vermelho”, a Renascer de Jacarepaguá lança neste sábado, 8, o samba-enredo que falará sobre os festejos em homenagem à Iemanjá. A obra foi composta por Moacyr Luz, Diego Nicolau e Cláudio Russo. A festa começa às 15h na quadra da vermelho e branco (Avenida Nelson Cardoso, 82, no Tanque). A entrada é gratuita.

Alguns sambas de Cláudio Russo no Carnaval:

  • 1993 – Portela
  • 1994 – Portela
  • 1997 – Em Cima da Hora
  • 1999 – Em Cima da Hora
  • 2001- Acadêmicos do Grande Rio
  • 2004 -Beija-Flor de Nilópolis
  • 2005 – Mocidade Unida da Cidade de Deus
  • 2006 – Renascer de Jacarepaguá
  • 2007 – Beija-Flor de Nilópolis e Renascer de Jacarepaguá
  • 2008 – Beija-Flor de Nilópolis e Inocentes de Belford Roxo
  • 2009 – Corações Unidos do Amarelinho e Rosa de Ouro
  • 2010 – Arrastão de Cascadura e Renascer de Jacarepaguá
  • 2011 – Em Cima da Hora e Flor da Mina do Andaraí
  • 2012 – Arrastão de Cascadura, Inocentes de Belford Roxo, Renascer de Jacarepaguá e Unidos de Vila Santa Tereza
  • 2013 – Rosa de Ouro e União do Parque Curicica
  • 2014 – Renascer de Jacarepaguá e União do Parque Curicica
  • 2015 – Renascer de Jacarepaguá
  • 2016 – Acadêmicos do Cubango, Paraíso do Tuiuti e Renascer de Jacarepaguá
  • 2017- Acadêmicos de Santa Cruz, Estácio de Sá, Renascer de Jacarepaguá e Unidos de Padre Miguel
  • 2018 – Paraíso do Tuiuti, Inocentes de Belford Roxo, Renascer de Jacarepaguá e Unidos de Padre Miguel
  • 2019 – Paraíso do Tuiuti, Grande Rio, Inocentes de Belford Roxo, Renascer de Jacarepaguá, Rocinha e X-9 Paulistana.

*Foto de capa: Ewerton Pereira/Divulgação

Por -

Por Redação

Internado há mais de um ano na Casa de Saúde São José, na Zona Sul do Rio, em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC), Arlindo Cruz deve assistir à Copa do Mundo em casa. Quem dá a boa nova ao Sambarazzo é a mulher do cantor, Babi Cruz. A expectativa é de que em 15 dias ele seja liberado pelos médicos para seguir com o tratamento em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

– O Arlindo vai assistir aos jogos da Copa em casa. Ele vai chegar já no finzinho da Copa, mas vai assistir em casa. Ele vai ser mais um brasileiro fervoroso vendo os jogos, estou muito esperançosa. Já comecei a preparar a home care pra ele – revela Babi, radiante com a possibilidade de ver o marido voltar para mais perto da família.

Arlindo posa com a filha, porta-bandeira do Império Serrano, e a mulher Babi Cruz – Foto: Sambarazzo

“A gente já escuta o som da voz dele”

Segundo Babi, o sambista tem apresentado uma melhora significativa e avisa que já vem sendo possível ouvir traços da voz de Arlindo. Ela diz que o cantor tem se mostrado animado com as visitas de Arlindinho, herdeiro do sambista, e do compositor André Diniz. Os dois são alguns dos autores do samba-enredo que a X-9, agremiação paulista, irá levar para o Anhembi no ano que vem, quando irá homenagear o ilustre imperiano.

Em janeiro deste ano, Arlindo recebeu um trato no visual – Foto: Reprodução Instagram

– A gente já escuta o som da voz dele. Ele vai ter que passar por tratamentos com uma fonoaudióloga – explica Babi.

Em março do ano passado, Arlindo passou mal quando se preparava para ir a um show em São Paulo na companhia do filho, Arlindinho. O artista foi socorrido após sofrer um AVC e, depois de dois meses no CTI, passou por um procedimento para colocar um cateter cerebral. Em outubro, dezenas de sambistas fizeram um tributo para o cantor na quadra da Vila Isabel. O evento foi organizado pela Liesa com renda total destinada para os tratamentos médicos de Arlindo.

Arlindinho ao lado do pai – Foto: Divulgação

Visita do Rei da Nigéria

Muito emocionada, Babi fala da ansiedade com a chegada de Ooni de Ifé, o rei supremo da cidade de Ifé, na Nigéria, neste domingo, 10. Ele é considerado o maior representante dos iorubás no mundo e a eterna porta-bandeira integra a comitiva carioca que irá receber o líder. Para Babi, será um momento de pedir paz para o Rio de Janeiro.

– Vai ser espiritualmente muito importante para o Rio. Ele é um dos descendentes diretos de Ogum (orixá guerreiro) e merece o nosso respeito. A visita do rei vai servir pra uma virada na violência da cidade – pede Babi.

No dia 11, às 10h, Ooni será homenageado no busto de Zumbi dos Palmares, na abertura da Feira de Cultura e Negócios Brasil-Nigéria, no Terreirão do Samba, no Centro do Rio. Em seguida, participa de premiação na Alerj. Às 19h, fará um discurso à sociedade, no Theatro Municipal.

Por -

Por Redação

Se não bastasse o rebaixamento ao Grupo de Acesso de São Paulo em 2016, a X-9 Paulistana ganhou motivos ainda maiores para lamentar o desfile do Carnaval que passou. É que o Ministério da Cultura, comandado pelo ministro Roberto Freire, exigiu que a escola de samba restitua aos cofres públicos – ou ao Fundo Nacional da Cultura (FNC), criado a partir da Lei Rouanet – a quantia de R$ 368.302,61, de acordo com publicação do Diário Oficial da União da última terça-feira, 31.

Em 2015, a tricolor apresentou um projeto ao MinC – através do PRONAC (Programa Nacional de Apoio à Cultura) e conseguiu um aval de captação no valor R$ 1,5 milhão, alcançando, posteriormente, cerca de 23% do valor desejado, uns R$ 350 mil, captados, segundo dados do Ministério, junto a uma empresa de coleta de lixo de São Paulo e uma produtora de laticínios, como informou a Revista Veja.

No entanto, as contas não foram aprovadas, e agora a escola de samba terá de arcar com essa despesa a mais. O departamento do governo brasileiro não explicou os porquês da reprovação das contas e nem o prazo que a X-9 tem para efetuar o pagamento. Mas esclareceu que a agremiação, a seguir as regras descritas no Diário Oficial, fica três anos impossibilitada de requerer novas aprovações de projetos de captação.

A X-9 Paulistana não se pronuncia sobre o caso até que receba uma notificação oficial.

Veja os documentos oficiais – 1 e 2!

Em 2016, a tricolor apresentou um enredo em reverência ao açaí e à cidade de Belém, no Pará. Mesmo com o recurso extra, acabou em último lugar na elite e sentiu na pele a dor de um rebaixamento inédito. Desde que venceu o Grupo de Acesso em 1994, a escola se manteve no Especial por 22 anos.

Em 2017, no Grupo de Acesso, a tricolor leva para a Avenida o enredo “Vim, vi e venci! A Saga Artística de um Semideus”, do carnavalesco Lucas Pinto, que faz uma homenagem ao pintor italiano Inos Corradin.

Foto de Capa: Paulo Pinto/LIGASP

NOSSOS ENSAIOS